Quartéis de Jardim de Cima.

Novo Tópico   Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Deus de Muitas Faces em Sab Maio 13, 2017 4:04 am



Quartéis

Os Quartéis de Jardim de Cima são os maiores e mais bem equipados dentre as Grandes Casas. Com alojamentos para a maior parte dos soldados e guardas da Casa, possuem ainda um anexo com jardins para hospedar os muitos cavaleiros andantes e espadas juramentadas à membros da família. Um verdadeiro cavaleiro encontra pão e abrigo em Jardim de Cima, desde que preste algum tipo de serviço ao Lord, seguindo as normas da honra e da cavalaria. Pajens e escudeiros são mantidos e treinados aqui, exceto os de nascimento nobre, que podem escolher ficar no interior do castelo (a maioria permanece nos quartéis, com medo da zombaria de seus companheiros de nascimento inferior). O castelão e o intendente do castelo também possuem aposentos aqui, onde podem manter filhos e esposa. É comum ver os homens de armas da Casa treinando nas diversas armas e modalidades de competição em justas ou combates singulares, afim de conquistar os torneios e prepararem-se para uma possível batalha.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Tristan Redwyne em Qua Jun 28, 2017 6:25 pm


Rumo a Jardim de Cima

A viagem!


Logo depois de Tristan Redwyne receber uma carta do seu lord suserano, imediatamente as preparações para a viagem tinham começado. O castelo estava completamente movimentado eram criados, guardas, cavalheiros correndo por todos os lados e o lord estava um tanto quanto bem animado para chegar em Jardim de Cima, já que iria rever seu filho Polux e sua filha Myrna, que estavam sobre os cuidados do Lord Tyrell seu irmão de casamento.

O intuito daquela viagem seria ajudar Joseph a conseguir, mas pistas sobre a morte de sua irmã Cyressa, entretanto já que o torneio em nome da rainha dos espinhos estava chegando iria aproveitar e já ficar para tal evento. Seria bem recebido, e claro seus 150 homens que iriam acompanha-lo também o que deixava Tristan feliz pois além de sua família, aqueles que eram fieis aos Redwyne eram as pessoas que ele, mas se importava e tinha desejo de proteger.

Enfim o grande dia chegou todas as preparações estavam prontas e uma das galès de Tristan Redwyne, apelidada de Rainha da Arvore ( em homenagem a aquela que um dia pertenceu a seu pai Paxter Redwyne ) estava a sua espera em Porto Ryam. Tinha capacidade para acomodar cento e cinquenta homens o que deixou o mesmo muito orgulhoso, desde as suas recentes perdas o lord Redwyne havia se apegado mais a vida como governante e capitão da frota da arvore. E atravessar os estreitos Redwyne que separava a arvore e a terra firme, o daria muito prazer.

Passados alguns longos minutos todos estavam a bordo e assim Tristan adentrou a galès, sorriu e imediatamente ordenou que o navio começasse aquela breve viagem. Deslizando levemente pelas aguas do oceano a viagem se iniciou, alguns outros navios da frota iriam seguir o percurso por segurança já que os corajosos nascidos do ferro sempre tinham alguns dracares naquela área, em busca de navios mercantes ou de alvos fáceis. Tristan rezava aos sete para ter uma batalha em alto mar naquele dia, mantinha sua espada firme em sua cintura observando o mar e tudo a sua volta, mas para sua infelicidade nada atrapalhou, de chegarem ao seu destino Vilhavelha.

Destino!


Após desembarcarem em Vilhavelha, a rainha da arvore voltou para seu lugar de origem e assim Tristan e seus homens continuaram sua viagem. Através da Estrada da Rosa observaram o belo clima da Campina embora alguns de seus homens ainda preferissem o mar, em seguida foram para a estrada do oceano que ficava as margens do sigiloso Rio Vago e logo mais chegariam em Jardim de Cima. Todos estavam um pouco cansados mas poderiam percorrer muito, mas que aquilo e Tristan conhecendo seus homens sabia disso, por fim finalmente chegaram ao destino final o castelo do lord Tyrell, que se encontrava na importante encruzilhada daquelas duas estradas, o sol estava absolutamente quente.

Pararam na entrada do Castelo até que um dos guardas avistou Tristan e imediatamente abriu as portas, sorriu brevemente e gritou:

– Lord Tristan Redwyne seja novamente bem-vindo...

Tristan educadamente respondeu ao guarda e adentrou a residência de seu irmão, apertou firme o cabo de sua espada em sua mão direita. Visitar o local onde sua irmã Cyressa havia sido assassinada lhe proporcionou um grande sentimento de raiva e culpa, nunca iria perdoa quem fosse o responsável por aquilo e se pudesse mataria o mesmo ou a mesma de várias formas diferentes. Continuou adentro aquele castelo que ele conhecia tão bem, seus homens o seguiam até que finalmente dois guardas bem robustos vieram até ele. Fizeram uma rápida reverencia na qual Tristan assentiu e finalmente falaram:

– O Senhor de Jardim de Cima, o espera em um dos nossos quarteis m’lord...

Joseph não era muito de treinar suas habilidades com espada, apesar de ser um bom esgrimista sua principal arma era a inteligência. Contudo após os últimos e recentes acontecimentos de alguma forma o mesmo estava se preparando para algum imenso problema, o que com certeza iria acontecer pois fariam de tudo para descobrir o culpado daquela tragédia que marcou a vida de ambos.

– Estou cansado meus homens também, mas pelos sete nada me deixaria, mas feliz nesse belo dia, do que ver o famoso Lord Joseph Tyrell treinando... hahaha

Um dos guardas que provavelmente era novo naquele castelo, observou Tristan com uma cara desconfiada imaginando se aquele homem era louco de zombar de seu Senhor em seu próprio castelo. Entretanto o outro deu uma grande gargalhada pois já conhecia o Redwyne, e sabia que os dois lord eram muito mais que apenas suserano e vassalo.

– Vocês todos podem descansar agora ou se preferirem podem se divertir um pouco da forma que quiserem, esses dois guardas aqui vão indicar onde serão os aposentos de vocês.... Foi uma bela viagem companheiros... como já sei o caminho posso ir sozinho mesmo sei que vários homens fiquem me seguindo por todo castelo de meu irmão...

Mal acabou de gritar tudo aquilo e saiu em direção aos quarteis, o vento batia sobre seu rosto com certeza um dos melhores locais para morar em Westeros era naquele belo castelo com aqueles perfeitos jardins, Tristan animado finalmente chegou onde Joseph violentamente trocava golpes com um de seus guardas no pátio de um dos quarteis.

Ficou observando a dança que os dois homens faziam analisando um ao outro para efetuar seus golpes por um momento, e em seguida retirou sua espada jogando na grama e se sentou dando gargalhadas gritou atraindo olhares de vários guardas que estavam perto:

– Acho que você está um pouco enferrujado Lord Tyrell, iria pedir para enfrentá-lo no próximo turno, mas imagino que vossa excelência não consiga me acompanhar.


๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑๑
tag: #Treino with: Joseph e Avalon  song: King  notes: encontro
Ripe for Victory !
THANK YOU SECRET FROM TPO!



Treino Historia e Navegacao

_________________
Tristan Redwyne

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Avalon Hightower em Qua Jul 19, 2017 1:19 am

"Knowledge is the light in the dark..."


A Estrada da Rosa estava melhor conservada do que já estivera em séculos. Bastava aproximar-se de Jardim de Cima, para comprovar a diferença no ar. Afastando-se do mar, a fortaleza de meus suseranos erguia-se imponente, acima de seu labirinto vivo. Os canteiros de rosas e as enormes plantações de pêssegos, toranjas e ameixas alcançavam o horizonte, até onde eu podia vê-los de minha carruagem. Ao meu lado, Aleria dormia com a cabeça sobre meu ombro, uma dama até mesmo em seu sono. Os rapazes mais jovens dormiam à minha frente, os dois unidos como sempre. Seria a última viagem de meu Lorent, antes que partisse em definitivo para a Cidadela. Eu já o havia apresentado e prometido à Ordem, em parlamentação com o grande Senescal, líder dos Meistres. Ele concordaria em tutelar meu Lorent, em troca do apoio e proteção dos Hightower, além das generosas doações que faríamos em breve. O outro entraria junto de meu filho, para garantir-lhe uma formação impecável e o maior número de elos que ele pudesse sustentar em sua corrente. Os Hightower eram os únicos a possuírem certos privilégios, como treinar seus próprios Meistres. Era tradição que o Lord possuísse muitos filhos homens, e que o mais novo fosse enviado para aprender. Olhando para meus três meninos de aparência idêntica, sorri com a proximidade de sua maioridade. Luthor fora o primeiro, meu herdeiro enquanto eu não encontrasse seu irmão, Garth. Eu perdera as esperanças de recuperar meu filho perdido há alguns anos, mas era um sonho sempre próximo do meu coração. Até que pudesse realizá-lo, contudo, eu teria de preparar o mais velho dos gêmeos.

Ele era treinado diariamente na espada, para honrar a memória de seu avô. Tutorado em política, história e nas regras da etiqueta e da boa oratória. Tudo para torná-lo um hábil comandante. Seu irmão mais jovem, Loras, era um tanto diferente. Era um hábil arqueiro já aos catorze anos, e gostava de criar gatos e cães. Mas possuía uma vaidade quase maior que a de sua irmã, e um temperamento um tanto delicado, embora muito gentil. Ele gostava de sedas, adornos de metal, e orgulhava-se muito dos trajes que remetem aos símbolos e cores de nossa Casa. Seu irmão constantemente o incomodava com provocações, mas nunca admiti discórdia entre meus filhos. O mais jovem, Lorent, era o equilíbrio entre os dois. Calado, centrado e inteligente, parecia ter nascido para ser um Meistre. Ele era bondoso, mas reservado. Gostava de animais como o irmão, mas não gostava de esforços físicos ou treinamento com armas. Respeitei sua vontade, é claro. Ele não precisaria lutar para ser um Meistre. Alerie amava aos três, e eles a idolatravam, desde que sua mãe se fora.

- Chegamos, m’lord. - Avisou o cocheiro, e empertiguei-me no assento, olhando pela janela de madeira. Nos aproximávamos do grande portão de metal que protegia o primeiro nível da fortaleza, a base da colina. Árvores e arbustos na forma de animais e pessoas emolduravam o caminho sob a passagem.

O estandarte da torre branca sempre fora bem-vindo à vista da rosa dourada. A própria Rainha dos Espinhos era uma de nós, minha tia de sangue e uma verdadeira irmã de meu pai. Tão implacável quanto aquele homem determinado, mas bem menos dura com os seus. Ela garantira os melhores negócios com Essos para Vilavelha durante seus anos como Lady Regente, e meu primo não revogara nossos privilégios, nos tornando o maior porto no Sul de Westeros. Talvez maior do que qualquer outro, atualmente. Há algum tempo os mercadores têm preferido aportar em Vilavelha, fugindo dos portos dorneses onde o ouro é fraco, ou dos portos de Lannisporto, onde o crime é farto. Sequer seríamos interpelados pelos guardas, se eu não tivesse insistido por uma inspeção. Mesmo familiares podem ser rendidos nas estradas e usados como passagem livre para foras-da-lei ou saqueadores.

Quando finalmente chegamos ao pátio central do Jardim de Cima, os rapazes acordaram e correram para fora, loucos para assaltarem as cozinhas. Foram seguidos por uma pobre serva que tentava acompanhá-los. Meus meninos conheciam o lar dos Tyrell tão bem quanto o seu próprio. A torre e o jardim eram uma única família há muitos anos. Certamente uma das filhas de Joseph faria par com um dos meus. Talvez tia Desmera desejasse exatamente aquilo, com nossa reunião inesperada. Eu só poderia saber quando ela estivesse novamente entre nós. Notei com certa satisfação que não era o único por ali. Tristan viera da Árvore, o que apenas confirmava que os planos dos Tyrell eram maiores do que eu podia supor. Os Redwyne também eram proeminentes, e Cyressa, a irmã do Lord, fora a mãe de todas as crianças Tyrell da geração atual. Infelizmente, seu assassinato era um mistério que abalara a família de maneira irrevogável. Joseph tornara-se recluso em sua Casa, enquanto Tristan parecia ver fantasmas em cada sombra, caçando o assassino de sua irmã. O culpado poderia muito bem ser uma sombra, um mercenário sem rosto de Essos, tão bizarro fora o ocorrido. Uma Lady de Grande Casa morta em seu lar, sem que qualquer servo ou guarda visse ou soubesse de algo. Era absurdo, e gerara um sentido de urgência entre todos naquele castelo. Bem, todos exceto titia, talvez. Poucas coisas podiam assustá-la, e ela insistia para que Joseph casasse novamente o quanto antes.

Sorri quando Alerie despediu-se, avisando que iria procurar por suas primas. Apenas retornei para o pátio, onde vi Tristan ao longe. Passei por membros de sua comitiva, cumprimentando os guardas e servos Redwyne com gestos educados e sorrisos simples. Logo os passos dele levaram-me até os Quartéis, onde guardas Tyrell treinavam e ensinavam os mais jovens a montar, atirar e empunhar lâminas. Joseph estava treinando com sua espada, praticando em bonecos de madeira. Tristan parecia fazer troça de seu irmão por casamento, enquanto o observava de longe.

- Ora, ora. Vejam só onde os dois se meteram! Há quanto tempo, Tristan! Como vão as coisas na Árvore? Algum problema com as rotas de comércio? Ouvi dizer que os Mares do Verão e a Baía dos Escravos andam extremamente perigosos, mesmo para os mercadores de vinho. Seus associados têm conseguido lidar com os saqueadores e piratas? - Indaguei, preocupado. - Desculpe, eu não deveria mencionar política em um ambiente tão formal. É que na última quinzena recebi uma visita do rei das Ilhas de Ferro e de uma comitiva da Casa Harlaw. Um rapaz de nascimento nobre roubou navios da Frota de Ferro e atacou carregamentos de Vilavelha. Resolvi a crise executando o rapaz e tomando a espada de sua família, a Anoitecer. Ainda me recupero de um ferimento. - Bati a mão na perna enfaixada, mostrando-a aos dois. - Dickon Greyjoy ficou furioso, mas ele envia seus sinceros pedidos de desculpa ao Guardião do Sul. - Avisei, sorrindo. - E então, primo? Disposto a encarar seu parente manco?

Olhando para um dos guardas, fiz sinal para que ele me passasse o machado em sua cintura. Eu podia ser um sulista, mas aprendera a lutar em Lys com um mercenário foragido de Braavos. Havia convivido com dançarinos de machado das Ilhas de Ferro. Nenhuma arma podia superar a que melhor utilizamos.

- Uma prática em trio, talvez? - Propus, girando o machado em minha mão, enquanto provocava meus amigos à luta.

◦◦◦

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Jasper Tyrell em Qua Jul 19, 2017 9:56 am




Welcome Friends


  Um novo dia havia começado em Jardim de Cima, entretanto não era mais um dia comum pois a comitiva Redwyne e Hightower enfim chegariam em seu destino. Joseph estava completamente animado estava com saudades de seu irmão de casamento, e rever seu grande amigo Avalon também seria ótimo. Logo após ter colocado uma de suas vestimentas mais imponentes o mesmo decidiu dar uma inspeção na fortaleza, não iria permitir que algo estivesse fora de ordem na presença de seus convidados.

Averiguou as vestes dos criados, observou atento se os vidros de cada cômodo estavam lisos, foi a cozinha tomar ciência se os alimentos que seriam servidos naquela noite estavam com uma aparência decente, e por fim decidiu ir até os quarteis trocar umas palavrinhas com os guardas. Todos eles estavam animados pois muitos tinham amigos que serviam os Redwyne e Hightower, outros felizes porque admiravam Tristan. Aquele lord que após a tragédia com sua irmã e esposa de Joseph, havia se tornado mais frio e absolutamente paranoico e com uma sede imensa de matar o responsável por aquele crime.

Outros esperavam ver pessoalmente Avalon, sua fama dada a forma que governava a casa Hightower e sua inteligência era algo que muitos cavaleiros dos Tyrell admiravam, fora o fato que algumas criadas estavam bastante animadas para finalmente pelas palavras delas “ ver a beleza daquele homem “ só que Joseph já tinha avisado que não iria permitir risadinhas e comentários sórdidos na presença de Avalon.

Por fim quando o lord chegou ao pátio dos quarteis muitos acenaram e fizeram reverencias “ – Bom dia lord Tyrell.. “ O mesmo observou que todos estavam treinando mais animado, e com mais esforço naquele dia. Talvez quisessem impressionar os visitantes que chegariam em breve, ou talvez seria o fato que estavam muito felizes. Já que toda Campina estava passando por uma época muito esplendida, a colheita havia sido maravilhosa, as estradas que passavam por toda região estavam ótimas e o comercio fluía naturalmente.

Joseph foi até um de seus guardas pessoais, já que o capitão havia viajado para Porto Real junto com sua mãe para enfim buscar seu herdeiro. Apertou firme a mão do cavaleiro e em seguida sorriu enquanto dizia “ – Bom dia sor, bom pelo que Meistre Orious me contou as comitivas dos Higtower e Redwyne devem está chegando, mas como ainda não estão aqui acho que posso treinar um pouco com a espada... vamos providencie uma para mim...” o cavaleiro saiu apressado enquanto Joseph observava alguns jovens rapazes treinando logo a sua frente, qual destino o futuro reservava para aqueles jovens ? Talvez no futuro morreriam em campo de batalha lutando pelos Tyrell, talvez não viveriam uma longa vida cheia de paz em Jardim de Cima. Eram perguntas que só o tempo iria responder, mas o Guardião do Sul lutaria para que todos ali naquela fortaleza, vivessem por anos.

Antes que pudesse se perder mais em meio aos seus pensamentos o sor voltou, portava uma bainha com a espada em suas mãos e entregou para seu lord em seguida. Joseph sorriu e já sacando a espada voltou a falar “ – Estarei treinando em dos bonecos de madeira, não quero me cansar e muito menos ficar todo suado antes que nossos convidados cheguem, assim que isso ocorrer indique aos dois onde estarei presente ok sor ? “ O cavaleiro assentiu, e o lord saiu caminhando em direção aos alvos.

Joseph estava enfim de frente aos bonecos de madeira o sol estava bem quente naquele dia, com a espada firme na mão direita o mesmo a ergueu e um tanto quanto de forca ele colocou no golpe que seria desferido ao boneco do meio, na altura dos ombros da figura. Entretanto naquele instante ele pensou ‘ O que estou fazendo ? Somente iniciantes ficariam treinando com bonecos de madeira, que mal faria se o lord Hightower e Redwyne me vessem completamente suado ? Seria uma cena interessante haha... ‘ dando altas gargalhadas que atraiu a atenção de alguns cavaleiros que sorriram ele continuou se virando, na direção do sor que havia falado a poucos minutos “ – Sor venha ate aqui vamos treinar... vamos mostrar aos nossos convidados que o Lord Tyrell também soa haha “ o cavaleiro veio correndo animado, e já sacou sua espada quando estava de frente ao seu senhor. Imediatamente Joseph parou com suas brincadeiras embora fosse um treino, havia um oponente a sua frente e não iria se permitir perder para o mesmo.

Os dois homens começaram a girar um em volta do outro analisando cada um, em seguida o cavaleiro veio correndo em direção a Joseph, ele estava tentando acertar o braço esquerdo de seu senhor, mas não demostrava está colocando a devida força, talvez de fato com medo de machucar seu lord.

Joseph apoiando sua mão esquerda no cabo da espada e curvando seu braço direito na vertical, defendeu daquele golpe fazendo as espadas vibrarem no ar em seguida girou seu corpo retraindo a espada e com toda sua força, tentou revidar o golpe conduzindo na direção do ombro de seu oponente.

Para a sorte do jovem ele conseguiu se esquivar dando um rápido pulo para a esquerda, mas antes que pudesse se quer dar um suspiro Joseph já estava indo em sua direção fingindo que iria golpeá-lo de baixo para cima na altura do tórax, mas enganou o rapaz e com um movimento rápido o lord deu um chute com estrema força em sua perna, embaixo do joelho, assim derrubando-o antes que enfim sua espada chegasse ao destino.

Já no chão o Guardião do Sul apontou a espada para o pescoço do já derrotado homem, e no mesmo instante que iria falar para o mesmo que o duelo havia sido bom, mas que esperava mais, foi interrompido por uma voz já conhecida “ – Acho que você está um pouco enferrujado Lord Tyrell, iria pedir para enfrentá-lo no próximo turno, mas imagino que vossa excelência não consiga me acompanhar “ como o esperando os Redwyne haviam chegado, era Tristan sempre com seu jeito irônico. Joseph mandou seu guarda se levantar e entregou sua espada para ele, em seguida sorrindo, mas sem sair do lugar respondeu:

– Lord Redwyne como foi a viagem meu irmão ? Espero que não tenha passado por nenhuma confusão... bem podemos descobrir se isso é verdade o que acha ??

Antes que seu irmão de casamento pudesse responder uma nova figura entrou no campo de visão dos lord’s, era nada mais nada menos que Avalon Hightower. Vários cavaleiros acenaram para ele enquanto ele vinha em direção de seus amigos. Como Joseph estava um pouco mais longe, observou Tristan e o mesmo conversarem sobre as questões dos piratas que ainda andavam atrapalhando a rota Redwyne. Quando ouviu sobre o lance de Avalon ter sido ferido por um nascido de ferro, Joseph mordeu o lábio enfurecido. Teria que tomar providencias se aquele povo continuasse dando problemas, entretanto o fato de Avalon ter matando-o o acalmou por hora “ – Lord Hightower como foi a viagem ?? Como está Alerie e seus filhos ?? Fico feliz que tenha dado um final nesse maldito, esses nascidos de ferro sempre estão afins de confusões... “ depois das formalidades, Avalon propôs um treino entre os três lord’s.

Joseph observou enquanto o Hightower pegava o machado de um dos guardas, sorriu animado já pedindo ao Sor que estava do seu lado, sua espada.

– Tenho certeza que embora esteja manco, possa nos dar uma bela disputa Avalon... mas não posso dizer o mesmo do nosso querido Lord Redwyne...

Alguns guardas do local deram gargalhadas, mas com todo respeito, a maioria ali sabia que os irmãos de casamento tinham muita intimidade e brincadeiras assim era normal entre eles, por fim Joseph segurou firme sua espada rente ao seu corpo esperando que seus amigos, viessem ao ataque para que treinassem naquela bela manhã. Seria um espetáculo para todos que estavam no pátio, já que os três eram ótimos combatentes.


Treino Espada Longa!!



Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Tristan Redwyne em Qua Ago 02, 2017 5:15 pm


Lord Redwyne
Flashback


R
i diante da aproximação de Avalon. O barulhento Lord de Torralta finalmente chegara, manco como um velho tolo. De fato, a menção aos homens de ferro foi perturbadora, especialmente para mim, que tinha por obrigação manter os mares da Campina seguros. Talvez tivesse confiado demais, e por anos demais, nos pactos de paz entre os nascidos do ferro e os Tyrell. Talvez um pirata fosse um pirata, não importando se cometia atrocidades em Westeros ou nas Ilhas do Verão, depredando estrangeiros. Ao menos, podia garantir que a riqueza da Campina e a expansão do comércio Redwyne haviam sido providenciais neste sentido. Mesmo a paz nunca nos enganara o bastante para que abríssemos mão da supremacia conquistada pelo revés das circunstâncias. Daenerys Nascida da Tormenta havia incendiado a monstruosa frota de Euron Greyjoy, e desde então nós Redwyne éramos os mais poderosos desbravadores dos catorze mares. Meus antepassados haviam jurado que nunca mais o deixaríamos de o ser. A cada ano, novas embarcações, mercantes e militares foram erguidas, até que nosso império marítimo forjou um caminho até as Cidades Livres, enriquecendo no ritmo com que a Campina prosperava, ampliando nossas rotas a ponto de fundarmos uma força que nem mesmo os Greyjoy ousariam enfrentara levianamente. A Frota da Árvore era um nome a ser respeitado, uma força a ser reconhecida. E assim o seria. Ao custo necessário.

- Ora, Avalon, uma prática em trio? Não seja tolo, seu grande urso loiro. Mal pode conter um de nós, muito menos os dois, com a pata comprometida. - Repreendi, rindo. A verdade era que eu adoraria uma chance de derrubar aquele convencido na lama. Nunca havia sido bom o bastantes enfrentando-o na juventude. Nem mesmo Joseph, podia lidar com o tamanho do Hightower aliado à sua mente trapaceira. - Nosso Guardião está cansado da própria rotina de treinos. Permita-me ser o seu adversário. O vencedor leva dois dragões, o que me diz? - Nenhum de nós tinha necessidade real de dois dragões, mas era uma forma de animar o jogo. - M’lord, se me dá licença: Garoto, traga-me uma espada! Vou ensinar uma coisa ou duas para este Hightower.

Pedi, rindo como um jovem verde. A maturidade dos homens desaparecia diante de um quartel de treinos, ou de um bordel. Eu sabia bem disso. Enquanto o guarda entregava-me uma espada de treino, eu flexionei os ombros, dando espaço para que Avalon tomasse o centro do pátio. Enquanto o fitava, lembrei da época em que vivíamos juntos ali em Jardim de Cima, até que Lord Hightower enviasse Avalon para a Ilha dos Ursos, e depois para as Cidades Livres, ser ensinado. Éramos meninos jovens, mas eu lembrava-me das coisas que eu e o Farol do Sul havíamos descoberto juntos. Sorrindo com perversão, lambi os lábios, girando a arma em meu pulso. O primeiro movimento seria dele, como fora no passado. Mas estávamos prestes a reviver algumas coisas, é claro, com um resultado bem diferente desta vez.







_________________
Tristan Redwyne

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quartéis de Jardim de Cima.

Mensagem por Avalon Hightower em Sex Set 01, 2017 3:09 pm

"Knowledge is the light in the dark..."


- Bem velho amigo, então parece que será apenas você a quem eu derrubarei na lama hoje! - Afirmei, sorrindo ao ver Tristan preparando-se para nosso treinamento. Flexionei os ombros, ignorando a ferida em minha perna, balanceando o peso do machado na mão direita. - Por mim, está ótimo! Sempre gostei de ver a cara de um Redwyne caído de traseiro no chão! - Provoquei, atiçando a rivalidade entre nossas duas famílias, que sempre disputavam pelo favorecimento dos Tyrell. Desmera era uma Hightower. A falecida Lady Tyrell, uma Redwyne. Éramos todos família, e as emoções podiam vir à flor da pele, em tais ocasiões.

Girando o machado de uma mão, investi contra Tristan, tentando acertá-lo com a lateral da arma. Machados de treino não possuíam fio de corte, então o único perigo real era um hematoma, ou algo do tipo. Ainda assim, senti um puxão em minha perna que diminuiu minha velocidade, no instante em que parti para cair sobre ele. Não deixei que a dor fosse notada, mas usei a outra perna para chutá-lo, caso assomasse em minha direção. Atento, observei seus movimentos, aguardando para desviar caso a espada de treino em suas mãos viesse em meu encalço, girando para os lados e tentando revidar o golpe logo em seguida. Claro que a velocidade nunca fora bem o meu forte, especialmente ferido. Tristan também não era um lutador excepcional, muito mais preocupado em navegar e vender seu vinho, do que em vencer adversários em combates singulares. Sorrindo, Continuei procurando por uma brecha, avançando sobre o solo arenoso enquanto investia vez após outra com o machado, utilizando meu tamanho como vantagem.

Todo aquele momento fazia com que as lembranças de um passado despreocupado e sem obrigações me viessem à mente. Valia à pena forçar o ferimento adquirido com o filho do Lorde Harlaw. Ao menos ali eu fora mais do que apenas um erudito numa torre. A cautela e cultura Hightower era um verdadeiro fardo, pois limitava as ações de seu Lord. Tínhamos obrigações a cumprir. Não só com os Tyrell, mas com nossos próprios vassalos, com a Cidadela e com os Sete Reinos. Éramos os guardiões dos Meistres. Os protetores de todo o conhecimento adquirido através dos séculos. Os faróis do Sul, únicos que possuíam os segredos mais antigos de Westeros. Arfando, soube que Tristan logo revidaria. Ele sempre fora um combatente atrevido, para além do bom senso. Aquela prática seria particularmente animadora.

OBS: Este post é apenas o início de um único treino contínuo, junto de Tristan Redwyne. Por isso o tamanho curto, aguardando a resposta de seus movimentos.


◦◦◦

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum