Aposentos da Lady Aprisionada

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por O Corvo em Dom Maio 14, 2017 4:08 pm



Aposentos da Lady Aprisionada

Um amplo e arejado local cheio de conforto e luxo localizado no último andar da torre. Suas paredes são feitas de pedras brancas e seu piso do mesmo material, dando tonalidades pálidas para o mesmo. Sobre o centro existe uma enorme e confortável cama de madeira feita de carvalho, assim como o restante da mobília. Suas cortinas e roupa de cama dividem-se entre tonalidades verdes e brancas, sobre seu chão há vários tapetes de pele de urso e também almofadas de plumas. Baús, mesas, estantes de livros e poltronas espalham-se por todo o local. Uma enorme janela com grades da visão para a cidade e o horizonte além da mesma. Nas paredes alvas existem castiçais de prata que servem para a iluminação à noite, fim uma enorme e elegante lareira aquece o local. Por fim, no canto existe uma espécie de antessala que serve como banheiro, nela possui uma pequena piscina térmica sempre preenchida com água pelos servos do castelo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Seg Maio 15, 2017 12:24 pm

Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

Naquela bela e ensolarada manhã o senhor de Porto Branco brincava com o seu primogênito e único herdeiro no pátio da fortaleza, o pequeno Noah Manderly parecia divertir-se com seu pai o carregando apoiado sobre as costas como um corcel de batalha, e isso parecia aplacar um pouco a culpa que o homem sentia por ter de afastar o garoto de sua mãe. Cardinale Manderly sempre foi um homem rígido e implacável com os seus inimigos, nunca permitindo que os mesmos usufruíssem de qualquer tipo de paz e também nunca descansado até que acabasse com eles, e quando descobriu que tinha inimigos dentro da própria casa, não descansou até por fim neles. Contudo o preço foi alto, pois os inimigos em questão eram o seu próprio irmão de sangue, Charles Manderly, e sua jovem esposa, Sunny Manderly, uma ursa Mormont.

Na época o Lord descobriu que o seu irmão havia seduzido a sua esposa e planejado junto com ela, mata-lo e usurpar Porto Branco, no entanto o que eles não sabiam e que nada passava despercebido pelos olhos de Cardinale em suas terras, portanto quando ele descobriu sua fúria desmedida recaiu sobre ambos, resultando na morte de Charles e na prisão de Sunny numa das torres do castelo, forjando para todos a ilusão de que a jovem também havia perdido sua vida. Na verdade quando Cardinale descobriu sobre o plano de seu irmão e sua esposa, ambos planejaram fugir, porém não foram muito longe já que fazendo jus ao brasão de sua casa, o tritão enfurecido os perseguiu e assassinou seu irmão, capturando também a jovem Mormont e espalhando para todos que Charles havia a sequestrado, estuprado e assassinado, apesar de ter se recusado a falar onde havia enterrado o corpo da mesma. Por isso foi julgado e decapitado por ele, o viúvo.

Como planejado todos haviam acreditado em tal relato e Cardinale aprisionou a jovem Mormont em aposentos isolados numa torre daquele enorme castelo, por vezes ele sentiu vontade de mata-la, mas não conseguiu por ama-la profundamente, então a prendeu num lugar onde pudesse tê-la em sua companhia, mesmo sendo incapaz de esquecer o que ela havia feito. - Está na hora de entrarmos, Noah. - Murmurou sorrindo para o garoto e beijando sua face, encarando em seguida com o cenho franzido um ponto minúsculo numa das torres do castelo; estreitando os olhos para a pequena janela dos aposentos onde sua jovem esposa permanecia presa. Ele sabia que ela o estaria observando, assim como o filho, já que ele levava o garoto para aquele pátio justamente para que ela pudesse observa-lo de longe.

- Vamos, precisa de um banho antes de ir para a sua refeição... - Murmurou para a criança, que por sua vez choramingava insatisfeita pelo término da brincadeira. A criança tinha os traços delicados de sua mãe o que lembrava constantemente a Cardinale da traição da mesma, mesmo sendo impossível esquece-la, assim como não conseguia esquecer a própria jovem que sempre habitava seus melhores sonhos e piores pesadelos.

[...]

Horas mais tarde, ele caminhava rumo os aposentos onde a jovem estava confinada, afinal havia semanas que não a via e o servo que ele tinha designado para cuidar dos aposentos e de tudo que ela precisasse era surdo e mudo, então sempre tinha de ir visita-la e checar se a mesma continuava bela e saudável. - Espero que tenha assistido como o meu filho está crescendo rápido... - Murmurou com malícia, após entrar nos aposentos e trancar a porta. Pondo sobre uma poltrona alguns livros que havia trazido para ela, pois mesmo a mantendo confinada permitia que ela ocupasse sua mente com algo como leitura, por exemplo. - Mandei trazer esses livros da cidadela... Talvez aprecie eles. - Acrescentou sem muito interesse, encarando-a com o seu habitual semblante inexpressivo. Admirando a sua beleza, que parecia ainda mais radiante do que antes.




_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Seg Maio 15, 2017 4:33 pm

Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
Minha vida havia se transformado num completo tormento desde que tinha arruinado meu casamento, caindo na lábia de Charles Manderly. Nunca deveria ter me unido a tal homem e planejado acabar com o meu marido, mas o que eu poderia fazer? Na época era apenas uma jovem tola que recusava o homem que tinha como companheiro, isso por causa de um casamento forçado com um Lord a quem eu desprezava. Cardinale Manderly era conhecido por quase todo o território nortenho, como um homem impetuoso e cruel, muitas pessoas relatavam seus feitos em nome dos senhores do Norte. Sua arrogância e prepotência também eram conhecidas por serem sua marca registrada em qualquer tipo de interação, e foi justamente com esse homem que meu irmão resolveu me casar. Um compromisso forçado e que eu me recusava a aceitar, mas mesmo com resistência ele teve andamento, sendo que em pouco tempo, eu estava casada com Lord Manderly.

Não posso reclamar que ele foi um homem desprezível no inicio, entretanto, eu não conseguia aceitar a situação e esse foi o motivo de minha ruína. Pois mesmo casada e cumprindo minha função como esposa, eu continuava odiando Lord Manderly até que seu irmão caçula, Charles, chegou a Porto Branco, é com pouco tempo de convivência acabou me seduzindo; na época eu estava grávida de Cardinale. No entanto, isso não foi suficiente para me salvar de acabar seduzida e cair na lábia do jovem Manderly, que por sua vez buscava usurpar o lugar de seu irmão como senhor daquela região. Surpreendentemente Cardinale descobriu e acabou com o plano de seu irmão, pondo fim no mesmo e me trancafiando numa das torres do castelo, já que eu conscientemente tinha sido uma aliada de Charles nessa traição. Meu filho Noah já havia nascido nesse tempo, e Charles havia planejado fugir comigo quando tudo foi descoberto, embora não tenhamos chegado muito longe. Resultando assim em sua morte e na condição que eu possuía hoje, no caso uma prisioneira na torre de Castelo Novo.

Mas pelo menos podia observar meu filho através da janela que havia naqueles aposentos, obviamente, eu sempre sentia uma dor no peito quando via meu pequeno correndo pelo pátio na companhia de seu pai. Contudo eu sabia que a culpa de não ter como vê-lo crescer era somente minha e eu tinha aceitado isso há muito tempo. Fiquei assistindo Cardinale e Noah divertindo-se no pátio por vários minutos, quando o homem pareceu encerrar a brincadeira e levar a criança para dentro do castelo. Nesse momento um sorriso surgiu em meus lábios, pois pelo menos ele fazia a criança feliz. Suspirei tristemente, sentindo vontade de abraçar meu pequeno e acariciar suas madeixas. Mas jamais conseguiria fazê-lo com Cardinale me mantendo trancafiada naquela maldita torre, então era hora de tomar uma decisão. Iria seduzir Lord Manderly e me livrar daquela condição.

[...]

Horas mais tarde, eu estava sentada sobre uma banqueta próxima da penteadeira. Observando meu reflexo através do espelho enquanto penteava minhas madeixas castanhas, quando minha atenção foi atraída para a enorme porta do local, que foi aberta dando passagem a Cardinale. Ele entrou como sempre com demasiada cautela, observando-me e me irritando com suas palavras tendenciosas a respeito do nosso filho. - E nosso filho! Exclamei frustrada, encarando os livros que ele colocava sobre uma das poltronas. Pelo menos ele me mantinha ocupada com leitura e outras atividades e os aposentos quais eu estava presa, eram luxuosos e sempre arrumados. - Obrigada. Sussurrei em agradecimento, levantando-me e pegando o roupão, vestindo-o em seguida, afinal estava usando apenas trajes leves e íntimos. Corei um pouco por estar vestida daquela forma em sua presença.

Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Sab Maio 20, 2017 8:14 pm

Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

O Lord parou no centro dos aposentos da jovem e a encarou com um sorriso presunçoso, observando-a ficar frustrada por causa da simples menção de que o filho poderia ser apenas dele. Obviamente, tal reação o deixava bastante satisfeito, já que isso significava que o castigo estava surtindo o efeito esperado, porém, também não pararia por ai, pois Cardinale faria ela pagar muito mais pelo que tinha-lhe feito. - Meu filho na verdade... - Murmurou com um sorriso sarcástico, olhando-a de cima a baixo. Focando sua atenção nos trajes íntimos que a jovem usava, notando o quão bela ela permanecia, mesmo que estivesse a quase dois anos aprisionada. - Afinal você não é nada mais que um espírito em sua vida, esqueceu que está morta? - Ele caminhou em sua direção e a puxou pelo braço para próximo de seu corpo, encarando-a nos olhos. - Na verdade eu deveria ter realmente te matado. Mas... - Sua mão subiu sobre a face delicada da jovem, acariciando-a suavemente, suspirando trêmulo com a sensação que o simples contato físico lhe causava. - Você continua tão bela e graciosa que não consigo tira-la da minha mente. - Deu-lhe as costas e caminhou na direção da pequena janela que havia no local. Observando a vista que ela tinha do mundo fora daquela torre.

- Mas isso não significa que você está à salva. Eu posso mudar de opinião a qualquer momento... -
Comentou simplesmente para ver sua reação, uma vez que ele era completamente incapaz de fazer algum mal a ela, por mais que desejasse e que sua mente o mandasse faze-lo. Cardinale não conseguia, algo em seu mais profundo íntimo não permitia, e ele já havia deixado de tentar lutar contra isso há tempos. No entanto, ainda podia provoca-la e intimida-la. - Poderia sumir com você e ninguém saberia. - Umedeceu os lábios e sentou sobre uma poltrona, cruzando os braços enquanto a encarava. - Contudo nesse momento estou mais interessado no que você tem a me falar, afinal está tão receptiva hoje. - O que realmente era bastante curioso já que desde que ele havia a aprisionado, sempre que vinha visita-la era recebido com inúmeras ofensas e comentários odiosos. - Então? - Arqueou uma sobrancelha com um sorriso irônico, esperando ser agraciado por algumas palavras ofensivas ou pela fúria da jovem.



_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Dom Maio 21, 2017 5:47 pm

Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
Lancei o mesmo olhar sarcástico que Cardinale, quando ele mencionou novamente que o filho era apenas seu, porém, notando rapidamente o que ele estava buscando com aquelas palavras. Mas ele não iria conseguir o seu intuito, não iria me perturbar usando a saudade que eu sentia do meu filho. Daquele momento por diante, eu não iria mais cair nesse joguinho psicológico que ele fazia somente para mexer com a minha cabeça, invés disso me concentraria em algo mais produtivo. Buscar uma forma de começar a seduzi-lo e ludibria-lo para que em breve conseguisse sair daquele cativeiro, esse era meu único objetivo no momento. Um sorriso forçado surgiu em meus lábios à medida que ele se aproximou de mim e me puxou bruscamente pelo braço para junto de seu corpo, arrancando um pequeno suspiro dos meus lábios entreabertos e me fazendo estremecer com o contato físico. Já que eu por outro lado, buscava imaginar que essa reação não era normal, mas as consequências de dois longos anos longe de qualquer contato do tipo. - Você não faria isso, não mataria sua esposa e mãe do seu próprio filho... Sussurrei baixo, sentindo meu coração acelerado e não sabia se era pela proximidade ou pela ameaça, contudo, uma coisa era certa, fazia dois anos que Cardinale não se aproximava tanto de mim quanto agora. Então isso só poderia significar que sua decisão de me aprisionar estava sendo posta em dúvida, mesmo que ele não soubesse disso ainda. Cabendo a mim ajuda-lo nisso. Mas como? Eu não podia me aproximar dele sem sentir ódio pelo que ele tinha me feito, mesmo tendo minha parcela de culpa naquela situação.

Quase abri a boca para soltar algumas ofensas, porém me contive e acabei apenas soltando uma pequena risada irônica. - Continuo, não é? Me parece um pouco atordoado, Lord Cardinale. Observei ele se afastar na direção da janela e segui para a frente da lareira, pegando um livro e o abrindo enquanto aproveitava para me aquecer um pouco. Sabendo que o fogo talvez revelasse algumas coisas, especialmente algumas partes do meu corpo coberto pelo tecido fino daqueles trajes. - Não tenho nada a dizer sobre isso. Que você é um idiota, prepotente e arrogante, você já sabe. Olhei para ele de soslaio e esbocei um sorriso satisfeito, notando que ele estava acomodado em uma poltrona e com seus olhos fixamente em meu corpo. Acesos como tochas em meio à escuridão, claro que eu propositalmente tiraria proveito disso, retirando o roupão fino que usava sobre o robe e esfregando meus braços nus com as palmas das mãos. Deixando-o ter uma visão um tanto privilegiada do meu corpo, talvez assim ele lembrasse que me possuía em noites de frio intenso, talvez dessa forma aquecesse um pouco seu coração de gelo.  

[...]

Pouco tempo depois eu caminhei em sua direção, na verdade parando por trás dele e pousando as mãos sobre seus ombros, apertando-os de leve e sussurrando em seu ouvido. - Você não sumiria comigo, Cardinale. Soprei baixinho contra sua têmpora. - E sabe porquê? Sua consciência não deixa... Na verdade, eu nem tinha tanta certeza disso, já que ele tinha matado o seu próprio irmão, porém, também pensava que se ele tinha me mantido viva, era por algum motivo. E eu imaginava que era por causa de seus sentimentos. Querendo ou não, ele me amava e eu sabia disso desde o início, só não consegui retribuir e acabei caindo na lábia de seu irmão. - Sei que tem saudades de mim, saudades da minha pele do meu perfume... Sussurrei por fim, antes de caminhar para a janela e dar-lhe as costas, olhando através da mesma. - Quanto à receptiva, faz tempo que não tenho nenhum tipo de contato físico com ninguém, pois eu podia odiá-lo mais cumpria minhas funções de esposa. Virei-me para encara-lo com os olhos levemente estreitos em sua direção. - Então se não posso ter com você, talvez possa com algum guarda, não acha? Umedeci os lábios com arrogância, sabendo que essas palavras o deixariam furioso. Mas naquele momento, eu já nem tinha conhecimento se estava seguindo o meu plano e fingindo ou falando a mais sincera verdade.
Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Qua Maio 24, 2017 1:13 pm

Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

Um sorriso cheio de escárnio adornou os lábios finos do Lord com a visão de sua esposa, pois a velha e ofensiva Sunny estava lá pronta para usar de seu arsenal de termos pejorativos, ele até quase sentiu falta disso, quase. - Ora, então ai está você... - Sussurrou com palavras entrecortadas à medida que seus olhos passeavam sobre o corpo da jovem, maldição! Ela estava tentando distrai-lo ou algo assim, e ele sabia perfeitamente disso, mas porque estava caindo nessa conversa como um tolo perdido? Seus olhos continuaram passeando sobre o corpo curvilíneo da jovem, apreciando cada traço lentamente enquanto a mente de Cardinale trabalhava numa forma de não deixar transparecer sua reação. - Atordoado? Eu? Você que me parece confusa, minha cara Lady. - Respirou fundo e desviou o olhar para as chamas flamejantes na lareira, tentando não mostrar o quão atordoado realmente estava com a visão que ela proporcionava. Afinal uma coisa era certa, apesar do que Sunny tinha feito, ela sempre cumpriu com seu papel de esposa para com ele, esquentando sua cama nas noites mais frias... E bem, já fazia dois longos anos que não usufruía de certas coisas que nem valem a pena mencionar no momento, embora não por falta de oportunidade e sim por causa de Sunny. Já que ela não saia da sua mente mesmo quando ele estava na companhia de outras mulheres...

Talvez Cardinale estivesse perdendo a cabeça ou algo do tipo, um Lord conhecido por ser o terror dos inimigos, de joelhos por causa de uma mulher e que ainda por cima o havia traído, francamente! Fechou os olhos e suspirou exausto, sentindo para sua surpresa duas delicadas mãos sobre seus ombros, assim como o hálito quente dela tocando e arrepiando sua pele. - Isso é o que você diz... Mas ambos sabemos que eu faria sim. Afinal não te devo nada que possa deixar minha consciência pesada depois. - Tentou por um pouco de convicção nessas palavras, contudo sabia que sua voz tinha vacilado e que talvez ele tivesse acabado de dar uma brecha para ela buscar seu perdão. Porém, o quão duro ela estaria disposta para ganhar isso? É ele, seria capaz de perdoa-la? Outro suspiro escapou de seus lábios, nesse momento ele soube que tinha que fingir bastante para não cair de vez na conversa de Sunny. Já que deixa-la entrar em sua mente seria novamente sua ruína. - Saudades... - Estava prestes a soltar um comentário sarcástico, quando a revelação da jovem o tirou dos eixos. Ela o queria? Pareceu confuso no momento, afinal sua relação com ela era conhecida por ter sido uma troca intensa de ofensas e desprezo da parte dela, e agora ela o queria? O que algum tempo presa não poderia fazer... No entanto, o que atraiu realmente sua atenção foi o comentário que ela lançou em seguida, nesse breve instante a fúria implacável do tritão enfurecido dominou o Lord.

Ela não o trairia novamente e nenhum outro homem colocaria suas mãos sobre ela, Charles foi o único além dele próprio, e havia sido morto sem nenhum remorso por um golpe único em seu pescoço. Cardinale às vezes ainda podia ver a imagem da cabeça do irmão caindo sobre seu pés banhada em sangue, fazer a mesma coisa novamente com outro não seria nenhum problema. - Experimente! E sua cabeça será arrancada como a de Charles... Dessa vez eu te mataria sem nenhuma piedade. - Murmurou retornando ao momento; somente, então, notando que sua mão estava envolta do pescoço da jovem, pressionando-a bruscamente contra a parede enquanto a lâmina de uma adaga em sua outra mão era direcionada a sua face. - Me tente... - Sussurrou baixo com os olhos fixos nos dela, antes da lâmina da adaga descer num corte único sobre o tecido fino que ela usava sobre o corpo. Cortando o traje íntimo e a deixando praticamente nua em seu campo de visão. - Quem parece atordoada agora? Ou seria assustada? - Esboçou um sorriso de lado, um gesto cheio de malícia.



_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Sex Maio 26, 2017 1:35 pm

Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
Eu sabia que com um pouco de audácia conseguiria dobrar Cardinale e faze-lo estremecer com meu contato, e tinha comprovado no momento que toquei seus ombros minutos atrás, percebendo o quanto ainda mexia com ele, também sentindo o quão mexida ficava em sua presença. Talvez a falta de contato físico tivesse me deixado completamente entorpecida por ele, o que chegava a ser uma ironia já que antes não sentia nada mais do que desprezo. Mas o que havia mudado nesse tempo? Eu não poderia me sentir atraída assim por ele, poderia? Pelos Deuses Antigos! O homem havia me aprisionado, mesmo eu tendo cometido o erro de trai-lo, mas ainda sim, havia me aprisionado! Um suspiro baixo escapou dos meus lábios, eu não poderia sentir nada por ele, tinha simplesmente de focar no meu plano e deixa-lo de joelhos a meus pés. Então, era hora de mostrar mais atitude e obriga-lo a sair da zona de conforto que ele havia construído para si.

E foi exatamente o que eu fiz falando sobre outro homem, momentos depois minhas costas chocaram-se bruscamente contra a parede alva de pedra, Cardinale me encarava furioso com uma mão sendo pressionada envolta do meu pescoço e a outra segurando uma adaga, confesso que no momento até fiquei um pouco assustada, porém, tinha certeza que ele não faria nada comigo, mesmo parecendo transtornado. No fundo um sorriso brotou nos meus lábios, pois parte do plano havia dado certo e eu obtive a real certeza do que ele sentia por mim. - E se eu tentar? O que você fará? Arqueei uma sobrancelha, encarando-o com desdém, observando-o direcionar a lâmina a minhas vestes e corta-las num único golpe. Deixando-me nua e com a respiração ofegante. - Você é um idiota, sabia? Impulsionei meu corpo para frente, recaindo sobre ele. - Não deveria fazer ameaças que não pode cumprir... Sussurrei baixinho, olhando-o fixamente nos olhos com um sorriso malicioso nos lábios.

Erguendo minha mão na direção de sua face e acariciando-a suavemente, notando como nunca tinha feito isso antes. - Não que me beijar Lord Manderly? Umedeci os lábios. - Ou me tocar? Insisti com um tom de voz mais provocante, quase num sussurro enquanto sentia uma sensação gélida de frio bater contra a pele nua do meu corpo. Causando-me arrepios e me deixando trêmula. No entanto, isso dava-se ao fato de estar realmente nua a sua frente, com os restos das vestes jogadas a meus pés.

Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Ter Maio 30, 2017 3:10 pm

Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

Os olhos azuis do Lord vaguearam com um brilho malicioso sobre o corpo nu da jovem lady à medida que seus lábios eram umedecidos, Cardinale estava contente por depois de tanto tempo sua esposa parecer sentir sua falta. Contudo, isso não era suficiente, pois algo em seu subconsciente insistia em alertar que algo estava errado, que Sunny estava apenas tentando usa-lo num plano para seduzi-lo. Mas talvez ele fingisse cair nesse plano somente para ver até onde ela poderia ir. Afinal, que mal poderia ter nisso? Não era como se a jovem lady fosse tranca-lo naquela torre e fugir por ai, nem mesmo em sonhos ela seria capaz de fugir daquele castelo, não enquanto existisse inúmeros guardas patrulhando a área e vigiando cada ponto do mesmo. Então nada de mal poderia ocorrer ou sair daquela situação, tampouco Cardinale importava-se com isso no momento. - Eu sei que sou um idiota, mas não pelo que você pensa... - Sussurrou ele, completamente focado nos lábios entreabertos da jovem, sentindo uma vontade insana de beija-los. - É sim, por cair nessa sua conversa... - E talvez ele fosse mesmo um idiota, já que no instante que ela o provocou sobre beija-la, ele tomou seus lábios num único movimento. Roubando seu fôlego num beijo brusco e ávido, empurrando ela contra a parede gélida e alva e deixando a adaga cair de sua mão num barulho ensurdecedor sobre o chão de pedra.

- Sabe que se estiver me usando, vai me pagar muito caro, não sabe? - Indagou num sussurro, antes de puxar seu lábio inferior entre os dentes e voltar a beija-la. Nem precisando gastar muito tempo escutando a segunda provocação sobre toca-la, uma vez que o ato por si só já o tinha levado a fazê-lo, seu braço esquerdo se estabeleceu firmemente entorno da cintura da jovem, pressionando-a firme contra seu corpo enquanto a outra mão foi estabelecida espalmada sobre a base de sua coluna. Subindo num gesto quase inocente por suas costas, e descansando em sua nuca, terminando com a quase inocência do gesto num rápido e firme puxão em seu cabelo. Forçando-a inclinar a face para que ele pudesse explorar mais a fundo aquele beijo. Cardinale só poderia estar ficando maluco por acabar cedendo assim à investida da jovem, mas o que ele poderia fazer? Quando estava a tanto tempo ansiando por isso. Por um único beijo. Fingir cair na situação ou realmente cair? Sua cabeça no momento estava numa confusão de sentimentos há muito esquecidos. Mas uma coisa era certa, ele não era nenhum idiota fácil de ser iludido, é se Sunny achava que seria fácil usar esse meio para tentar escapar de sua prisão, teria de se desdobrar bem para conseguir. Afinal, dois poderiam jogar esse jogo...

- Está fazendo isso tudo para fugir de mim ou para ver nosso filho? - Indagou ele no momento que cessou o beijo, ainda com os olhos fechados e a testa colada sobre a dela. - Terá de fazer melhor do que isso... - Esboçou um sorriso malicioso, característico seu e voltou a beija-la novamente. Pois como mencionado antes, dois poderiam jogar esse jogo, é ele estava pagando para ver até onde ela iria.



_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Sex Jun 02, 2017 1:58 pm

Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
O beijo que ele me deu foi realmente surpreendente por causa de tamanha intensidade e ânsia de contato, isso somente demonstrava o quão louco ele estava sem mim, Cardinale realmente sentia minha falta. E por incrível que pareça eu também sentia a sua, tanto que meu corpo inteiro tremulou e um arrepio percorreu minha pele no momento que a lâmina caiu contra o chão de pedra. Porém não por causa do barulho ensurdecedor, mas pela intensidade apresentada por ele na busca desesperada pelos meus lábios. - Idiota pare de falar! Apenas me beije! Puxei ele pelo colete de couro que usava, colando seu corpo completamente no meu e joguei os braços envolta do seu pescoço. Ignorando suas palavras enquanto apreciava o gosto de seus lábios há muito não sentidos, eu podia até odiá-lo, entretanto, também sentia algo por ele? Isso já havia ficado mais do que claro. - Eu não quero fugir... Mas ver meu filho e o meu desejo. Não tem nada a ver com conversa ou armações, eu apenas quero ver Noah. O beijo tão logo foi cessado e eu já traçava um caminho para o seu pescoço, enchendo-o de beijos e mordidas. - Olhe só para você todo trêmulo e ofegante... Deixei surgir uma pequena risada à medida que colava minha testa sobre a sua, respirando ofegante. - Eu não estou usando você, Cardinale. Eu só estou... Bem, eu quero o meu marido de volta, mesmo que somente nisso... Olhei para ele fixamente. - Eu apenas o quero... Esses três anos me deram tempo para pensar e eu nunca deveria ter o odiado ou tramado com seu irmão... Uma de minhas mãos desceu para as amarras de seu colete e começou a desatar os laços. Eu por outro lado estava confusa, pois estava realmente querendo Cardinale? Ou representando e jogando pelos Deuses Antigos? Confesso que no momento nem sabia mais o que era interpretação ou verdade.

Não demorou muito para mim arrastar o colete para fora de seu corpo e encarar a camisa de algodão que ele usava, puxando o ar e esboçando um sorriso malicioso. Olhando para o Lord e decidindo se realmente seguiria por aquele caminho, já que o objetivo parecia tempestuoso e incógnito. - Lord Manderly... Sussurrei baixo. Meu destino tinha decidido por seu caminho sozinho e cabia a mim apenas aceita-lo. A mesma mão que puxou seu colete invadiu sua camisa, tocando e acariciando sua pele nua por baixo da mesma. - Você está muito vestido... Não acha? Inclinei sobre as pontas dos pés e capturei seus lábios num novo beijo, pousando uma mão sobre seu ombro para me manter naquela posição. Uma vez que tinha uma estatura baixa em relação à de Cardinale. Esquecendo meus planos naquele instante e tendo a mente e o corpo invadido pela necessidade que eu tinha por ele, pois talvez ambos pudessem andar juntos para o mesmo local. Recupera-lo e me tirar do cativeiro em que vinha vivendo. - Sentiu minha falta, não é? Olhe só para o poderoso Corvo Sangrento todo desnorteado... Mordisquei e chupei seu lábio inferior. Pensando em como esses três anos presa haviam me deixado mais corajosa e descarada, antes eu nem pensaria em passar por uma situação assim.

Uma coisa era certa, ele me queria e eu mesmo não admitindo realmente, também o queria. Então a sorte havia sido lançada para mim. Só esperava ter êxito nela.
Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Seg Jun 05, 2017 1:00 pm

Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

Sunny tão receptiva e o querendo era no mínimo estranho, mas Cardinale tinha isso em mente e não cairia tão fácil na conversa da jovem Lady. Na verdade ele estava bastante surpreso pela sinceridade de sua resposta, pois aparentemente Sunny apenas queria ver o pequeno Noah. E que mãe nessa situação não desejaria ver seu filho? Principalmente ela que estava afastada do mesmo há tanto tempo. Um suspiro baixo escapou dos lábios do homem à medida que ele a encarava, refletindo sobre o que estava fazendo com ela e Noah, se era certo usar o seu próprio filho naquela vingança. Porém, também levando em conta que Sunny merecia tudo o que tinha acontecido com ela, tudo que ele tinha feito para ela. - Não está esperando o meu perdão, não é? - Um sorriso repleto de malícia surgiu em seus lábios enquanto seus olhos encaravam a mão da jovem, que soltava as amarras de seu colete negro. - Contudo fico feliz por você sentir minha falta... - Sussurrou baixo, livrando-se do colete com ajuda dela. Fechando os olhos e respirando ofegante quando a mão calorosa da jovem invadiu sua camisa, acariciando sua pele gélida. No final das contas ele também sentia muita falta da esposa.

Não demorando muito para que seus lábios fossem capturados num beijo intenso, que ele tão avidamente retribuiu, jogando um braço envolta da cintura da jovem e a puxando firme contra seu corpo. - Sim, mas podemos resolver isso... - Respondeu o comentário sobre estar muito vestido, puxando logo em seguida a camisa para fora de seu corpo, continuando a retribuir o beijo. Demonstrando com isso que continuava tão loucamente apaixonado por ela, quanto em outrora. - Ambos sabemos que sim! Agora chega de bobagem... - Ergueu ela do chão e a pressionou contra a parede, mantendo seus lábios firmes sobre os dela. Decidido a apreciar a situação que ambos se encontravam no momento, uma vez que ela poderia ser considerada rara e nunca mais acontecer novamente. Cessando o beijo momentos depois com uma mordida em seu lábio inferior e o puxando entre os dentes, encarando Sunny com um semblante um tanto rígido. - Espero que não esteja tentando me usar realmente, M'Lady. - Umedeceu os lábios com a pontinha da língua. - Pois eu detestaria frustra-la. - Piscou para ela, voltando a tomar seus lábios num movimento brusco e agora mergulhando a língua de encontro a sua. Pronto para deixar três anos celibatários para trás, ou melhor, pronto para ter sua esposa novamente em seus braços.

-Treino Sedução-


_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Qua Jun 07, 2017 6:58 pm

Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
Como eu pude esquecer como Cardinale era intenso em suas carícias, pois podia até detestar meu papel de esposa com ele, mas não podia negar que ele sabia como dar prazer a uma mulher. Deuses! Sunny! Não vá por essa linha de pensamento! E novamente estava nua em seus braços, sentindo o contato de pele sobre pele já que ele tinha retirado sua camisa. - Então chega de conversa. Sussurrei contra seus lábios à medida que o beijo se tornava mais exigente, eu realmente estava ansiando de desejo pelo Lord Manderly. Minhas mãos logo passaram a percorrer seu corpo febril lentamente, tocando suas costas e cravando meus dedos em sua cintura, apertando os músculos presentes na mesma. Antes de dedilhar os cós de sua calça de linho e correr meus dedos para as amarras da mesma. - Eu acho que precisamos de... Hmnn! Soltei um pequeno arquejo com a mordida recebida em meu lábio inferior. Mergulhando profundamente naquela sensação nebulosa de desejo que sentia no momento por ele, não sabia exatamente quando havia despertado esse sentimento para com ele, porém tinha certeza que não era passageiro. Não depois de tê-lo odiado tanto com essa situação de aprisionamento e depois ainda sentir algo por ele.

Minha respiração estava ofegante e minhas mãos trabalhavam soltando as amarras de sua calça, influenciando assim aquela situação com Cardinale a ir ainda mais longe. Já que eu estava completamente inflamada pelo mesmo. - Porque não me leva para a cama? Idiota. Soltei a última amarra que prendia sua calça e capturei seus lábios novamente, apreciando o toque suave e úmido de sua língua em contato com a minha enquanto o empurrava na direção da cama. Derrubando-o sentado sobre a mesma e o olhando com um sorriso repleto de malícia. - Vamos terminar de despi-lo. Cai a sua frente sob meus joelhos e passei a retirar suas botas, assim como sua calça negra de linho. Deixando-o praticamente nu, exceto se não fosse pelas vestes íntimas que o mesmo usava. Imaginando como fazia um longo tempo que eu não via Cardinale daquela forma, e confesso que o vendo agora, percebia como isso tinha me feito falta. Realmente me arrependia de tudo que tinha feito, mas quem poderia me culpar? Era uma jovem que havia sido forçada a casar e via o marido como o grande vilão da história, mesmo que ele não fosse realmente. - Eu acho que senti falta disso... Sussurrei baixinho, detestando admitir o que era uma completa verdade. Eu tinha sentido sua falta.

Logo me via ficando de pé e recaindo sobre ele, fazendo-o cair de costas na cama e montando sobre seu quadril. Encarando-o com os olhos brilhantes e cheios de um sentimento nebuloso e estranho, que não era conveniente ser mencionado no momento. - Nos vamos começar a resolver essa situação a partir de hoje... E eu já mencionei que não estou tentando engana-lo. Minhas mãos foram pousadas sobre seu peitoral com as unhas afundando na pele e na carne do mesmo, e meus lábios dominaram os seus de uma forma desesperada e exigente. Tomando-os num movimento ávido e até mesmo elétrico de atrito. Algo naqueles aposentos começaria a mudar hoje, talvez ele deixasse de ser um cativeiro.


-Treino Sedução-
Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Qua Jun 14, 2017 12:52 pm

Texto(+18):
Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

A temperatura nos aposentos de Lady Manderly parecia ter subido consideravelmente, o que antes era frio aquecido por uma lareira, agora estava envolto numa onda de calor imensurável emanada por cada ponto do local. Isso podia ser visto através das gotículas de suor que escorriam sobre a testa alva do Lord, ou na respiração falha que escapava pelos lábios entreabertos de sua Lady. Entretanto aquele calor presente no local, não provinha de uma mudança climática no Norte, mas de um avassalador e luxurioso sentimento de desejo, que ascendia nos seus mais profundos íntimos e inflamavam seus corpos numa sensação voluptuosa por atrito carnal. Em outras palavras, Lord Manderly estava dominado por essa sensação e ansiava o momento que teria sua esposa em seus braços novamente, especialmente na cama. Todavia ele temia que ela apenas o estivesse usando e brincando com seus sentimentos, afinal mesmo um homem forte como ele poderia ser quebrado por algo assim, então essa era a pergunta, tudo isso valeria a pena por uma noite com sua jovem e bela esposa? Ela já o tinha traído antes, o que garantiria que não faria novamente? Cardinale mostrava-se realmente receoso com isso, pois uma coisa era ser conhecido em batalhas como um sanguinário implacável, ou como um governante rígido de pulso firme, outra completamente diferente, era ser usado e traído pela mulher que amava. Contudo ele preferia confiar nas palavras que ela havia falado, embora não pretendesse liberta-la de seu cativeiro, mas daria a ela esse voto de confiança. Esperava que pelo menos essa nova forma que ela estava demonstrando fosse verdadeira... Fosse à única.

Os lábios de Cardinale permaneciam sendo pressionados fixos e bruscos sobre os dela, sua língua travava uma batalha feroz junto à da mesma em sua boca. Suas mãos mantinham-se firmes sobre as curvas da jovem nortenha, acariciando sua pele pálida e suave e a deixando eriçada com seus toques mais ásperos. Um sorriso malicioso surgiu nos lábios do Lord, quando seus olhos perceberam o que a jovem fazia em sua calça; soltando as amarras que prendiam a mesma. Sunny realmente parecia estar querendo o seu marido e não o usando em planos para se libertar, ele podia ver fragmentos disso no brilho intenso de seus olhos azuis e também na coloração rubra de suas bochechas, sempre que apertava alguma parte de seu corpo. - Para a cama? Prefiro tê-la contra uma dessas paredes gélidas ou talvez sobre o chão frio... - A ideia parecia ótima a seus olhos, porém a jovem Manderly o queria na cama e talvez ele devesse dar isso a ela, ou melhor, nem precisou, já que no momento que ela soltou as amarras de sua calça, o empurrou sentado sobre a cama. - Parece desesperada, Milady. - Umedeceu os lábios a encarando, assistindo-a ajoelhar-se a sua frente e começar a despi-lo de suas botas e calça. O que foi surpreendente para ele, uma vez que ela nunca havia estado nessa posição a sua frente, tampouco o despindo desesperada para tê-lo.

- Tenho certeza que sentiu. - Sussurrou em resposta a seu comentário, estava agora praticamente nu, exceto se não fosse pela pequena veste branca que usava abaixo da calça. Mas seus olhos estavam travados nos dela como se estivesse avaliando os movimentos que tomaria, como se Sunny tivesse acabado de virar sua presa e estivesse a poucos momentos de ser devorada. Suspirando e observando o movimento que ela tomou, quando ficou de pé e o empurrou deitado sobre a cama, montando sobre seu quadril. - Talvez... Mas antes veremos até onde está disposta a ir. - Com esse comentário, ele começou a retribuir o beijo fervoroso dado por ela, enquanto suas mãos percorreram suas pernas, especialmente suas coxas, e se firmavam nas curvas gêmeas e bem modeladas de sua bunda. Apertando suas nádegas com os dedos grossos e ásperos, à medida que mergulhava sua língua de uma forma lasciva entre seus lábios, invadindo sua boca. Cardinale havia desejado e sentido falta demais de Sunny para ter calma naquele momento, ele podia até não admitir, porém hoje seria o dia que ele começaria a tentar recupera-la ou mesmo conquista-la. Seus lábios logo saltaram para o pescoço da jovem, percorrendo-o com beijos e mordidas a fim de chegar à região de seu colo. Não demorando muito para que o seu olhar recaísse sobre os pequenos e sólidos relevos de seus seios, notando os quão rijos seus bicos rosados pareciam, assim com suas auréolas mais vividas.

Uma benção dos sete parece ter recaído nesse lugar! Pensou respirando profundamente, antes de apalpar um desses relevos com a canhota e abocanhar o outro com os lábios. Esmagando-o entre os dedos enquanto sugava e mordiscava o outro, circulando a ponta da língua sobre sua auréola rosada e puxando o bico em seguida entre os dentes. Sugando-o envolta da língua úmida. Fazia muito tempo que o Lord queria voltar a fazer isso, e valia a pena ressaltar que sua jovem esposa continuava tão ou mais bela, quanto ele lembrava. - Pelos sete! Eu também senti falta disso... - E tinha mesmo, o volume rígido imponente que surgia entre suas pernas pressionadas contra o quadril da jovem Manderly demonstrava isso. Ele até remexeu-se um pouco só para ela sentir o que a esperava em breve, um sorriso satisfeito adornou seus lábios, e ele alternou o toque de sua boca para o outro seio. Utilizando a língua no mesmo processo, provocar, sugar e, por fim, mordiscar. Queria escuta-la implorando...

-Treino Sedução -


- Treino Sedução -

_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Sunny Manderly em Sex Jun 30, 2017 4:54 pm

TEXTO(+18):
Lady Manderly
O mais irritante no amor é que se trata do tipo de crime que exige um cúmplice.!...
No instante em que Cardinale começou a me tocar e a me beijar, uma sensação de nostalgia percorreu o meu espírito indomável, espantando qualquer carência que vinha sentindo nos últimos dois anos que passei cativa nessa torre. Fui praticamente dominada por suas carícias acintosas e seus beijos fervorosos, restando para mim fazer a única coisa que podia no momento, apreciar tudo com máxima devoção e me entregar totalmente a ele. Joguei a cabeça para trás e suspirei, tomada pela sensação calorosa de excitação que percorria minha pele e escapava através da respiração acelerada, por meus lábios entreabertos, demonstrando assim, o quão forte era a paixão que eu sentia por aquele homem, mesmo tendo passado anos para reconhecer. Porém, isso passaria a mudar a partir de hoje, pois mesmo eu querendo ludibria-lo para conseguir minha liberdade, também queria salvar o pouco que restou do nosso casamento, talvez faze-lo ser verdadeiro como jamais havia sido antes. Já que estava mais do que na hora de esquecer os erros passados, e buscar um novo futuro. Entretanto, eu também sabia que isso tudo não ocorreria de uma hora para outra, então, tinha de ser paciente. Restando para nós atualmente somente o que tínhamos começado hoje, mas isso, por hora, já me trazia bastante satisfação.

Meus dedos se prenderam diretamente nos fios negros de seus cabelos à medida que nossos beijos trocados, tornavam-se mais intensos e demorados. Fazendo-me necessitar por mais, ansiar cada vez mais por Cardinale. Rebolei sobre o seu quadril e puxei os seus cabelos com um pouco mais de força, enquanto ela passava a me torturar, chupando os bicos rijos dos meus seios, utilizando de sua língua para me enlouquecer nesse ato libidinoso. Eu, obviamente, também não podia ficar muito para trás nesse ato, por esse motivo o empurrei deitado sobre a cama. Pousando ambas as mãos sobre o seu peito e arranhando sua pele pálida com as pontas das unhas. - Então, Lord Manderly... Sussurrei mordendo o lábio inferior com os olhos fixos em sua visão totalmente descomposta. - Parece ansioso... Corri minha mão de seu peito para o seu abdômen, acariciando os músculos existentes no local. Antes de escorregar de seu quadril para uma de suas coxas, roçando meu quadril sobre a mesma e o deixando sentir uma certa umidade existente na região entre minhas pernas. - Sentindo falta disso, Milorde? Indaguei com um sorriso, mantendo o movimento provocante sobre a sua perna.

Cardinale nunca foi um homem que se deixava ser dominado com facilidade, mas por alguma razão nesse momento, ele estava me deixando assumir o controle e isso era no mínimo curioso. Minha mente só conseguia pensar no que ele estaria planejando, no entanto, meu corpo estava absorto demais naquela troca de carícias e provocações, preparando-se para o ato sexual que com certeza estava a caminho, para simplesmente perder muito tempo pensando no que Cardinale faria. Minha mão anteriormente em seu abdômen, agora percorria a sua região pélvica arranhando o rastro de pêlos que havia sobre o local, por fim, chegando ao ponto que eu queria. O seu membro pulsante, rígido e úmido, elevado num volume exorbitante. - Hmnn... Entendo toda a sua ansiedade agora, Milorde. Esbocei um sorriso malicioso e dedilhei o mesmo, capturando o músculo pulsante na palma da mão e o apertando firme. Libertando-o em seguida do pouco tecido que ainda restava em seu corpo, antes de masturba-lo lentamente.

Copyright © 2017 All Rights Reserved for Mayu Amakura at Lotus Graphics
-Treino Sedução-

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aposentos da Lady Aprisionada

Mensagem por Cardinale Manderly em Sab Jul 15, 2017 11:37 am

TEXTO(+18):
Cardinale Manderly
Senhor de Porto Branco

O homem continuava a sugar os bicos rijos dos seios da jovem Lady, espremendo um sob a mão canhota à medida que deslizava a língua sobre a auréola rosada do outro, mordiscando-o e puxando o mesmo entre os dentes. Observando Sunny se retesar toda e soltar inúmeros suspiros e gemidos, porém, a situação não permaneceu dessa forma por muito tempo, tampouco o seu controle sobre o corpo excitado da jovem. Uma vez que a mesma logo escorregou de seu colo para a sua perna, montando sobre a mesma, e deixando o Lord sentir o ponto morno e úmido entre as suas pernas, no caso a região íntima da jovem, ser esfregado contra a sua coxa. Fazendo-o por consequência ficar ainda mais excitado, com o membro despontando sólido sob o pouco tecido que ainda restava sobre o seu corpo. Deuses! Como Cardinale a queria! Como desejava tê-la submetida em seus braços nas mais inúmeras formas! Um suspiro pausado e trêmulo escapou de seus lábios levemente abertos, quando sentiu as unhas da jovem serem fincadas em sua pele, arranhando o seu peito e deixando algumas marcas vermelhas sobre ele. Observando-a em seguida, passar para o chão e ficar sob os calcanhares, tomando o seu membro rijo na palma da mão e o libertando do tecido que ainda o cobria. Movimentando-o numa leve masturbação e arrancando inúmeros gemidos de Cardinale, que por sua vez, contorcia-se um pouco sob a palma da mão cálida de sua jovem esposa. - Droga Sunny! - Silvou com sofreguidão, pousando a mão sobre a da jovem envolta de seu membro e inclinando-se para frente. - Não seja tendenciosa... - Mordiscou o lábio inferior, contendo um sorriso.

- Está tentando me provar algo, milady? - Indagou num tom de voz levemente rouco, o que era meio óbvio dada à situação, Cardinale, então, tomou o cabelo da jovem esposa na mão e o puxou firmemente, forçando-a a encarar os seus olhos. Sentindo os fios sedosos deslizarem entre seus dedos, enquanto ele inclinava-se mais a frente e beijava a jovem e mordiscava o seu lábio inferior, puxando-o entre os dentes. Imaginando como a jovem havia ficado ousada nesse tempo que permaneceu aprisionada naquela torre, talvez ela até tivesse aprendido a reconhecer o marido que possuía a seu lado, entretanto, não poderia ficar pensando nessas coisas no atual momento. Não iria perder a chance de possuir a jovem e aplacar um pouco desse desejo perturbador que sentia por ela, afinal, o sentimentalismo bobo poderia ficar para depois ou simplesmente ser jogado de lado. Puxou ela pelo cabelo na direção de seu membro, que aquela altura já latejava de tanto tesão acumulado pela jovem em questão. - Quero que me chupe... - Balbuciou com um sorriso malicioso, imaginando como ela poderia ficar ofendida por conta desse pedido, afinal, ela era uma nobre e não uma prostituta qualquer encontrada em vielas ou bordéis da cidade. Mas ele também estava pouco se importando se ela iria ficar ofendida ou não, já que ele não estava brincando quando pensou no quão duro ela teria de trabalhar, caso quisesse consertar algo entre eles e livrar-se daquele cativeiro.

- Então? - Umedeceu os lábios a encarando com um olhar acintoso, que por alguma razão mostrava-se também com um brilho maligno.

Atemporal
-Treino Sedução -


_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum