Os Sete Reinos

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os Sete Reinos

Mensagem por O Corvo em Qua Mar 08, 2017 10:31 pm



Ficha de Inscrição para os Sete Reinos de Westeros



Todos os nomes e sobrenomes existentes nos livros ou série são vedados o uso nesse RPG, a não ser que o personagem tenha autorização da equipe de administração.

  1. Essa ficha de inscrição só é válida para aqueles personagens que irão tramar em Westeros, caso queira tramar como um estrangeiro, ou selvagem, terá que preencher a lista cabível para esses grupos.
  2. Para participar do RPG, precisa-se de Nome e Sobrenome. Ex: Richard Collins (Caso o personagem seja bastardo, pode usar o sobrenome recebido pela região de origem do mesmo. Ex: Dorne – Sand).
  3. Todas as informações devem ser preenchidas de forma correta, não aceitaremos nome de personagens que fujam do padrão. Ex: Cold_Miller ou Broon.Carter.
  4. Todos os personagens deverão seguir suas tramas, e cumprir missões para que eventualmente possam subir hierarquicamente dentro do RPG.
  5. O Personagem que morrer, entrará para o grupo dos Mortos, não podendo postar fora de Para-lá-da-Muralha.
  6. O Resultado saíra no máximo em sete dias.
  7. É vedado que um mesmo Off tenha mais que 2 (duas) contas Lorde numa mesma região (reino). Exceto em casos especiais, quando a conta em questão vai fazer parte de outro grupo (Ex: Patrulha da Noite ou Meistres).
  8. Fica proibido a criação de fichas para casas nobres (grandes ou menores), magistrais, cavaleirescas ou clãs com menos de três membros vivos e disponíveis para jogo. 


(Modelo de Ficha)
Nome On: (Nome do Personagem)
Obs¹.: Nomes de Personagens da Saga das Crônicas de Gelo e Fogo não serão aceitos.
Obs².: Para usar um sobrenome de bastardo, primeiramente deve-se olhar a qual região recebe-se esse sobrenome. Ex: Norte – Snow.
Nome Off: (Seu Nome e Sobrenome)
E-Mail: (E-mail para contato)
Sangue: (Pode escolher entre Legítimo ou Bastardo).
Região Pertencente: (Região de origem do seu personagem).
Norte – Vale de Arryn – Terras Ocidentais – Dorne – Terras da Coroa – Terras da Tempestade – Terras Fluviais – Campina – Ilhas de Ferro.
Características do Personagem: (Descrições físicas, psicológicas, atributos, entre outros que possam caracterizar seu personagem).
História do Personagem: (Breve resumo da trama que deseja criar para seu personagem)
Obs.: A história deve ter no mínimo 250 palavras.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: -
Força: -
Inteligência: -
Agilidade: -
Coordenação Motora: -
Vigor: -
Oratória: -
Fé: -
Obs.: Não ultrapasse 16 pontos.


Última edição por O Corvo em Qui Jun 01, 2017 6:43 pm, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Jacques Demolay em Qua Abr 05, 2017 12:12 am




Ficha de Inscrição para os Sete Reinos


Nome do Personagem: Jacques Demolay
Nome OFF: Pablo Xavier
E-mail: pabloxavdm@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região pertencente: Norte
Característica do personagem: Jacques Demolay é um homem de vinte e oito anos, esbelto e com longos e sedosos cabelos de cor castanho claro. Costuma estar sempre vestindo o manto sagrado da família Demolay que se resume em um sobretudo preto com orla vermelha e o brasão da casa estampado em seu peito. O que se refere a personalidade, Jacques foi obrigado a tomar conta de sua família desde cedo, portanto, acabou desenvolvendo senso de responsabilidade e por isso não costuma deixa transparecer suas emoções, pensando sempre com a razão — exceto quando se põe lealdade a prova. Com bastante diversidade, a família Demolay treina campeões com todos os tipos de armas, Jacques, por sua vez, não foi diferente, porém, nunca escondeu o fato de demonstrar preferência ao ataque de curto alcance.


História do personagem:
Nascido na fiel e respeitosa casa dos Demolays, Jacques — uma pessoa com princípios inabalados — jurou, na noite em que seu pai morreu, defender sua família e suas posses. Aos doze anos de idade, sem muito entender da vida, Jacques foi submetido ao ritual de iniciação da cavalaria da família Demolay e, daquele momento em diante, ele jurou proteger o Amor Filial, a Reverência pelas coisas sagradas, a Cortesia, o Companheirismo, a Fidelidade, a Pureza e o Patriotismo. Acendendo essas sete velas, a espada de seu falecido pai foi passado para ele que, cabido de responsabilidades, teve que arcar com as consequências de nascer em uma família sem grande poder econômico e político. Por muitas vezes, Jacques deixou de comer para dar aos membros de sua família, porém, coisa da qual nunca abriu mão foi de sua força de vontade e perseverança de tornar sua família maior do que ela é. Tendo correndo em suas veias o sangue de uma linhagem de exímios lutadores, Jacques nasceu com o dom para as artes da luta e, ainda com vinte anos, já havia dominado o estilo de luta da família — O Baluarte Inquebrável. Esbanjando o simbolismo oculto de sua família, Jacques não desejaria nunca ter nascido em outra família que não seja a dele e, a partir disso, ele prefere evoluí-la do que largá-la.


"Pensamentos" ::Falas:: Narrativa em terceira pessoa :: — Outras pessoas —  







Ficha aprovada com sucesso

_________________



Jacques Demolay

VIVER PELA ESPADA QUE PROTEGE A VIDA

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Katherine Martell em Sab Abr 08, 2017 7:37 pm



Por isso viva...


Nome On: Katherine Martell
Nome Off: Natasha Alves
E-Mail: natasha.beatriz.alves@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Dorne
Características do Personagem: Katherine é uma jovem de dezesseis anos de idade que possui a pele oliva dos dorneses de sal sem nenhuma macula e os cabelos escuros cacheados também característicos dos mesmos. A jovem tem um metro e meio de altura e pesa cinquenta quilocalorias. Seu corpo possui belas curvas e é definido pelos treinos que a garota faz, a despeito do que a septã que cuida dela gostaria. Veste-se com sedarias esvoaçantes que, na maioria das vezes, exaltam mais seu corpo torneado e atraem a atenção dos homens. Em situações mais formais que o dia a dia ou em momentos que sua sensualidade seria mal vista, a jovem usa sedarias que ocultem suas curvas. Em todos os casos, usa belas joias, normalmente com as cores de sua casa ou que combinem com suas vestimentas. A jovem tem uma personalidade gentil e educada, preocupada com as pessoas ao seu redor e interessada em auxiliar. Uma característica importante da jovem é que ela não se importa se a pessoa é socialmente inferior a ela ou não, tratando todos com o devido respeito. É muito gentil com seus irmãos mais novos e os trata bem. Gosta de exploração e combates, além de ter um gosto enorme por adagas e venenos.
História do Personagem: Katherine foi a primeira dos filhos do Lord Martell a nascer, sendo a primogênita da família. Seus irmãos não tardaram muito a nascer após ela, tendo pouca diferença de idade entre eles. De todo modo, uma coisa era certa: a jovem era mais ligada aos seus irmãos garotos do que as garotas. Juntos, eles frequentemente cavalgavam pelas proximidades e treinavam com armas juntos. Isso criou uma forte ligação entre eles e uma lealdade acima daquela normalmente existente entre irmãos. Como primogênita da família, a jovem vem sendo ensinada coisas como politica, diplomacia, arte da guerra, heráldica, história, administração e matemática. Apesar de ser uma dama de nobre nascimento, ela não gosta muito de tarefas tipicamente femininas como costura ou canto, apesar de ter conhecimentos básicos sobre isso. Também não esta noiva de ninguém e é virgem, algo um tanto raro para uma dornesa. Ocasionalmente viaja para os Jardins de Água para aproveitar um clima um pouco mais ameno. Ao que tudo indica, tem tendencias bissexuais, além de cultuar a deusa do amor de Lys. Quando pode, pede ajuda ao meistre para estudar e aprender novos conhecimentos e muitas vezes é vista treinando quando possui tempo para tal coisa.


Deixa eu fazer diferente...
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah



Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Rylon Martell em Sab Abr 08, 2017 11:06 pm



Por isso viva...


Nome On: Rylon Martell

Nome Off: Natasha Alves

E-Mail: natasha.beatriz.alves@gmail.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Dorne

Características do Personagem: Rylon possui cabelos negros curtos e, caso crescessem, se mostrariam ondulados como de sua primogênita. Deixa uma barba curta em sua face morena, queimada pelo sol. Seus olhos são negros como a noite, duros pelo tempo que governava e também pelas perdas que havia sofrido. Possui um metro e oitenta e pesa oitenta e nove quilos no total. Está em forma ou o mais próximo disso que um homem de quarenta e dois anos consegue. Devido ao calor de de Dorne, costuma vestir-se com sedas fluidas como a maior parte dos nobres da região e gosta de cores claras, em especial o dourado e o laranja. Sua arma de preferencia é a lança, um dos símbolos de sua casa, mas é muito hábil também com a espada. Possui um forte senso de justiça e é fiel a esposa, mesmo que amantes e segundas esposas sejam comuns em Dorne. Com os filhos, se preocupa com o bem estar deles e com sua educação, sendo rígido no que diz respeito a isso. Mas, ainda sim, não é mal ou cruel com suas crianças: apesar de exigir que eles se dediquem aos conhecimentos, permite que eles tenham alguma liberdade em relação ao que fazer ou aprender - ao ponto que Kath tem permissão de treinar com armas, por exemplo, desde que aprenda o que precisa para governar a casa também.

História do Personagem: Rylon é o segundo filho do lord anterior, Quentin Martell, e sua esposa, Eleonor Martell. Ele nasceu com dois anos de diferença para com seu irmão mais velho e era um rapaz de saúde mediana e uma mente rápida. Achava os jogos da corte divertidos, ao contrario do irmão, e achava interessante a forma com que os Jogos ocorriam. Quando seu irmão foi enviado para Porto Real, Rylon não tinha mais de oito anos, ainda sendo uma criança sonhadora. A morte dele, porém, causou grandes marcas na mente da criança. Sua capacidade de confiar nos Blackfyre havia sido totalmente destroçada ai e ele compreendeu porque seus pais diziam que não eram confiáveis para liderar os Sete Reinos.
Desde a morte de seu irmão, começou a ser educado para assumir a casa e aprender as artes do oficio. Arte da guerra, manusear armas, politica, equitação e outros oficios importantes para sua posição. Seu pai morreu por envenenamento quando tinha dezesseis anos, após o casamento dele com a senhora sua esposa. Foi demorado até o primeiro filho vir e ele estava começando a se conformar com a ideia de que talvez não conseguisse ter herdeiros. Então a primeira criança nasceu. Katherine foi a primeira dos cinco filhos e, por direito, sua herdeira legitima. Os próximos filhos vieram rápido e todos começaram a receber educação para administrar a casa, para o caso de algo ocorrer com seu anterior.
Trata todos os filhos de modo igual e é sempre educado e cortes com a esposa. Seu casamento, inicialmente feito por politica, tornou-se um amor verdadeiro entre os dois e ambos tentam manter uma forma gentil de convivência. Mesmo quando temeu que não teriam filhos, em momento algum cogitou amantes ou filhos ilegítimos que eventualmente poderiam ser legitimados para assumirem seus títulos.


Obs.: Nome dos filhos e esposas não definidos para liberdade dos outros jogadores.


Deixa eu fazer diferente...
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah


Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Susanne Glover em Qui Abr 13, 2017 12:16 pm

the acrobat
Nome On: Susanne Elizabeth Glover

Nome Off: Emilly Cassiane (Serafim)

E-Mail: seph-99@hotmail.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Norte

Idade: 22 anos

Cargo: Amazona/Cavaleira

Características do Personagem:

Uma mulher com disciplina exemplar. Susanne é uma atriz nata, conseguindo mascarar seus sentimentos com perfeição. Sempre na postura correta, não é de falar muito, mas quando o faz, tem eloquência, sendo bastante persuasiva quando quer.

Tem cabelos tão negros quanto a noite mais escura, e olhos da mesma cor. Para quem não a conhece, pode até mesmo pensar que a mulher é frágil, devido a pele cor de mármore e os olhos gentis, mas a Glover pode acabar com qualquer um em dois tempos, já que é uma grande acrobata, além de eximia guerreira.

História do Personagem:

Susanne Elizabeth Glover. Esse era o nome da filha mais velha de August Glover, o lorde atual daquela época. De fato, a felicidade tomou conta de Bosque Profundo com o nascimento da menina, mas não durou muito. O que fariam? A esposa do lorde não conseguia segurar uma criança, Susanne fora a única criança que conseguiu sair de seu ventre com vida e sobreviver. Se um garoto não nascesse antes de August morrer ou ficar velho demais para continuar gerindo suas terras, quem herdeira o título?

As preocupações vieram e foram. Quando a menina fez seus três anos, sua mãe engravidou novamente, dando a luz a gêmeos. Um casal. A atenção se virou para eles, mas August nunca deixou de seguir os passos da filha, querendo saber tudo o que ela fazia no decorrer de seu crescimento. Seus estudos e lições era um suplício, já que Susanne achava desnecessária a maioria das coisas. Para que uma lady precisaria saber tecelagem se teria dinheiro ou empregada para aquilo?

Sua atenção, porém, se virou para os guardas. Seu treinamento deixava a menina excitada com a ideia de lutar com espadas, mas ela sabia que mesmo que pedisse a seu pai, ele não permitiria. Contudo, um dia fugiu de seu quarto a noite, pegou uma espada de prata no arsenal e tentou deixar em riste, mas era pesada demais para seus pequenos e fracos braços. Estava concentrada demais, e por isso não ouviu a porta rangendo ao ser aberta e nem mesmo os passos até detrás dela.

Eu aconselho que na próxima tente com uma espada de madeira – a voz de John preencheu seus ouvidos. Se virou rapidamente, deixando a espada cair no chão com um baque surdo. Seu coração palpitava terrivelmente. O medo tomou conta de seu corpo, congelando todos os músculos da pequena. Se seu pai descobrisse... – Calma, Anne! Não irei te dedurar, mesmo que devesse.

Um suspiro de alívio escapou de seus lábios, mas logo a desconfiança ficou no lugar do medo. John Prince; melhor amigo de seu pai, além de ser um dos melhores guerreiros já visto no Norte. Ele sempre fora gentil e atencioso com a menina, quase um segundo pai. O que estaria tramando?

O que quer? – perguntou com a voz nunca antes firme. A coragem e petulância reprimida durante anos agora livres.

Acha que nunca percebi que tem preferência por espadas do que para vestidos bonitos? Por favor, sou olheiro de seu pai desde o dia que nasceu. E além do mais, a herdeira de Bosque Profundo deve aprender a se defender. Não quer minha ajuda? – sua cabeça agora girava. Herdeira? Desde quando? Pelo o que sabia, seu irmãozinho seria o próximo lorde Glover por ser o homem. O que não estavam contando?

Ela ergueu uma sobracelha, ainda confusa e desconfiada demais para responder algo. Antes que pudesse abrir a boca para de falar, ele pegou uma pequena adaga de madeira e jogou em sua direção – Nem precisa dizer nada. Sei que quer aprender.

E foi assim que deu-se início o seu treinamento. Às escondidas, mas ainda sim, não deixou de ser eficaz. Com o passar dos anos, Anne aprendeu tudo o que lhe era necessário, e, ao fazer seus 17, fugiu de casa, viajando por todo o mundo. Contudo, cinco anos depois, a notícia de que seu pai tinha sido ferido e morto em um assalto na volta para Bosque Profundo chegou a Glover, que decidiu voltar. Sua fuga tinha chegado ao fim, afinal.

Voltou para sua antiga casa no dia em que seu irmão assumiria o cargo de lorde. John, sempre fiel a sua casa, reconheceu a mulher rapidamente, diferente de qualquer um presente no local. Mesmo sabendo que poderia renunciar o título de lady, Susanne não o fez. Ela sabia que governar não era algo que faria bem, principalmente sozinha, mas conselhos eram algo de seu feitio, e por isso, se tornou a conselheira de seu irmão quando o mesmo se tornou lorde, naquela tarde.

Família:

+ Susanne Glover, 22 anos.
    - Sua irmã, _____ Glover, 18 anos, gêmea de _____
    - Seu irmão,  lorde _____ Glover, 18 anos, gêmeo de _____
    - Sua mãe, Aleeria Karmet-Glover, 46 anos
    - Seu pai, lorde August Glover, 50 anos †

I'm your great fear



Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Artys Arryn em Seg Abr 17, 2017 12:32 am



As High As Honor...


Nome On: Artys Arryn

Nome Off: Thiago Braga

E-Mail: thiagobraga.calheiro@gmail.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Vale

Características do Personagem: Artys é um homem marcado pela tragédia pessoal. Viúvo por três vezes, possui quatro filhos que significam o mundo, em sua vida. Um rapaz de sua primeira esposa, uma donzela de sua segunda união, e dois gêmeos de treze anos, da última. Todas suas mulheres morreram de maneiras naturais, acometidas por doenças diversas. Tais acontecimentos marcaram o Lord do Vale, que desde então tornou-se cético com relação à deuses e seus desígnios, abominando qualquer tipo de fanatismo ou fé cega, de qualquer religião. Descendente de Robin Arryn e líder da família de sangue Ândalo mais puro, o Senhor do Ninho é considerado mais um erudito que um guerreiro, embora seja capaz de manejar bem uma espada. Suas características no entanto são direcionadas ao comando, não à execução. É um estrategista nato, e um general implacável. Cauteloso e muito ambicioso, faz apenas o que pode ser vantajoso para si ou para seus filhos, confiando na segurança de sua fortaleza inexpugnável para manter afastados seus inimigos e tratando com gentileza falsa ou verdadeira possíveis aliados. Ainda assim, por sua beleza reconhecida na corte de todos os sete reinos, possui um fraco por rameiras e rapazes de vida fácil. Sua fama após a morte de três esposas é reconhecida nos Sete Reinos, bem como suas capacidades na oratória. Razão pela qual cargos no Pequeno Conselho já lhe foram oferecidos por mais de uma vez, embora ele os recuse. Sua ausência de fé o tornou capaz de realizar as mais terríveis vontades e impor os mais cruéis desejos, sob os bastidores do jogo dos tronos. Apenas o nome de sua família lhe importa, para que seus herdeiros sejam poderosos e prósperos. É um homem que segue as próprias leis, sem submeter-se à deus algum, embora finja muito bem sua submissão ao Trono de Ferro.

História do Personagem: Artys é o último filho vivo de Robin Arryn, que morreu jovem, deixando o irmão mais velho de seu filho no poder. Arthos morreu sem gerar herdeiros, envolvido em disputas de território e supremacia com o ramo menor dos Arryn, de Vila Gaivota. Estes, reclamavam o posto de Guardiões do Leste, por ramo feminino, alegando que o falecido Lord Arryn era filho de Petyr Baelish, e não de Jon Arryn. A tecnicidade da rebelião era ignóbil, de modo que nenhuma Casa Vassala apoiou a reclamação, abandonando os Arryn do ramo secundário à própria sorte. Com patrocínio externo, de outras Grandes Casas que desejavam o colapso Arryn, tropas foram reunidas contra a supremacia de Arthos. O irmão mais velho de Artys reuniu os Cavaleiros do Vale, e destroçou a rebelião, matando e banindo todos os membros do ramo secundário, tomando para si a Vila Gaivota, pertencente agora à Grande Casa.
O conflito interno custou a vida de Arthos, que morreu após ser ferido por uma adaga envenenada, durante um dos conflitos armados contra os mercenários contratados pelos Arryn menores com o ouro Lannister. Artys assumiu sua posição, casando-se em seguida com uma donzela Royce, para fortalecer os vínculos com seus servos. Após o nascimento de seu primeiro filho, Lyssena faleceu com uma febre de inverno. Casou-se então com uma Redwyne da Campina, uma donzela de cabelos castanhos e descendência Tyrell por parte de mãe. Rowenna morreu com uma profunda hemorragia, ao dar-lhe sua segunda filha. Por fim, já com certa fama entre as Casa nobres de Westeros, Artys acolheu a mais bela filha dos Corbray. Principalmente por ser ela a última descendente da família e herdeira da espada valiriana da Casa ancestral. Esta união desagradou alguns de seus outros vassalos que desejavam a moça e as terras de sua família, bem como que suas filhas casassem com o Lord, mas estes a admitiram após a promessa de um noivado futuro, entre seu filho primogênito e uma donzela do Vale. Dando-lhe gêmeos, a jovem Wanda ainda viveu durante bons quatro anos, até desenvolver um quadro crônico de doença pulmonar, devido ao gélido ar das montanhas. Quando finalmente desceu para o castelo de inverno nos Portões da Lua, já não era capaz de lutar contra a infecção, falecendo.
Todas estas perdas mexeram com a psique de Artys, que tornou-se pragmático e um tanto insensível. Os únicos por quem sente afeto são os seus filhos, a quem protege com dedicação ferrenha. Contudo, diferente dos últimos Lords Arryn e Guardiões do Leste, possui a visão do falcão em seu sigilo. Sua ambição e o desejo de expandir sua influência para além dos Portões Sangrentos, para além do Vale. De forma inteligente e astuciosa, espera ansioso até que o primeiro conflito tenha início, e seus rivais duelem pela supremacia. Do alto do crescente lunar, o falcão espera. Neutro, inatingível. Aguardando. Para que ao descer com suas garras, no momento mais oportuno, nenhum alvo tenha chance de escapatória.


Obs.: Se for possível, gostaria de sugerir esta linha genealógica:

- Lord Artys Arryn, Guardião do Leste - 37 anos;
- Sua primeira esposa, Senhora Lyssena Royce - Morta aos 22 anos;
- Sua segunda esposa, Senhora Rowenna Redwyne - Morta aos 31 anos;
- Sua terceira esposa, Wanda Corbray - Morta aos 19 anos;
- Seu primogênito e herdeiro, Peter Arryn - 17 anos;
- Sua segunda filha, Maryssa Arryn - 15 anos;
- Seus filhos gêmeos, Lyonel e Luthor Arryn - 13 anos, Lyonel é o mais velho.


I wanna see you fly...
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah


Ficha aprovada com sucesso

_________________

As High As Honor

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Romeo Lannister em Sab Maio 06, 2017 4:20 pm

Nome On: Romeo Lannister
Nome Off: Matheus
E-Mail: i.love.your.boobs@hotmail.com
Sangue: Legítimo (Lannister)
Região Pertencente:  Terras Ocidentais


Características do Personagem: Porte físico atlético, um homem de poucas palavras mas extremamente observador, demonstrando sempre respeito não apenas pelos seus aliados, mas também com seus inimigos, diferente de todos Lannisters que já viveram, gosta de harpa e poesia. Seu psicológico não é anormal. Mesmo sendo educado, tem a língua afiada, não deixa de vestir as mais belas roupas e jóias, sempre que vence uma batalha, sua espada ganha uma joia preciosa para se vangloriar com mais beleza em cima da derrota de outros.
História do Personagem: 
"E quando o dragão descansar e sua sombra se erguer, levantará dela o leão que vagará e se alimentará das entranhas dos seus servos, e assim a maldição da floresta começará pelo seu rei."

Uma profecia feita quando Daenerys tomou Westeros novamente, uma profecia que antes não significava nada mas hoje já começa a fazer sentido para a mente dos sábios, a sombra do dragão se ergueu, os Blackfyre agora estão no trono de ferro e os Lannisters os apoiam, a profecia não simboliza nada menos do que uma maldição na casa Lannister, e por conta disso ela começou a se tornar mais odiada do que o normal, porém mais produtiva em batalha, com a morte do lorde de Casterly Rock, seu filho Romeo, assumiu o posto de Lorde de Casterly Rock, em seu governo nada faltou a coroa, homens, dinheiro, lealdade... Mas pelas entranhas do Oeste a profecia se torna cada vez mais constante, principalmente por que Romeo tem a mesma mão de ferro para governar como os antigos lordes mais poderosos e temidos. Batalhando contra os rebeldes e servindo a Coroa, Romeo se mantém meio ano em king's landing e outro meio em Casterly Rock, sempre que o rei chama, ele volta para servi-lo.
Porém poucos meses antes de ir para King's Landing, uma mulher de vermelho fez-lhe outra profecia, uma mais perigosa e ainda mais sombria, quando cavalgava para o Red Keep, ela parou em sua frente e lhe disse.
"Música da morte, soar de tambores. Tilintar de espadas, cantores da vida. Fogo negro trazido da sombra, sombra sem corpo."

As palavras não saíam da cabeça de Romeo, ficou pensando em ambas a profecias, mesmo que a primeira não tenha sido diretamente para ele, mas rondava sua família, uma família que poderia ser jogada na desgraça enquanto estava sobre o governo dele mesmo.


Ficha sendo analisada pela Administração


Última edição por Romeo Lannister em Dom Maio 07, 2017 1:50 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Norian Mormont em Sab Maio 06, 2017 8:01 pm

Nome On: Norian Mormont

Nome Off: Júlia Souza

E-Mail: juliavitoriasouza20@gmail.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:
Norian Mormont é a criança mais amada da Ilha dos Ursos, tanto pelos seus atos gentis em relação aos viventes da Ilha, quanto por sua personalidade. Apesar disso, a pequena conta com uma insaciável curiosidade para com os treinos que observa seu pai, Dorian Mormont; Talvez a guerreira interior só precisasse ser convocada para tomar a ativa.

História do Personagem:
Norian Mormont, filha de Dorian e Nanien Mormont, cresceu junto aos pais na Ilha dos Ursos. Apesar da pouca idade, 12 anos, a pequena conta com uma incrível habilidade de conversar e convencer, mesmo que sem intenção, as pessoas a sua volta, principalmente quando ha um objetivo em mente. Apesar de sua habilidade com as palavras, Norian também conta com a habilidade de luta, mesmo que não sejam tão boas quanto os dos guerreiros que lá haviam, tanto pela estrutura corporal, quanto pela falta de treino. Sua arma preferida era o arco e flecha e, apesar da falta de treino, era a única arma que ela havia adquirido uma habilidade inata.

Norian, quando criança foi sequestrada por seguidores dos deuses antigos para que ela fosse o sacrifício real em sangue da conhecida Seita Branca, a partir disso Norian despertou o seu sexto sentido, mas nunca, até agora, decidiu a religião que deveria seguir por mais que o Norte siga apenas as dos deuses antigos. Seu sexto sentido era composto por sonhos, intuições e visão, contudo, ele não havia sido treinado para ser utilizado com perfeição, ela apenas usava-o quando ele se aflorava por si só, em raros momentos. A única coisa que havia notado sobre tal "poder" era que ele geralmente começava quando alguma situação de perigo grande se aproximava.

Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Nanien Mormont em Sab Maio 06, 2017 11:38 pm

Nanien Mormont
Quando pequena, vivera por toda sua vida na Campina. Ao contrário de toda a beleza que existia por aquelas bandas, Nanien fazia parte da porcentagem evitada de toda a humanidade: os sem teto. Crescida na rua, pôde vivenciar o pior que o mundo poderia oferecer para uma criança. Agressão (física e psicológica), fome, falta de higiene, falta de apoio, extremo frio e calor, e até mesmo tentativas de estupro. Por sorte, aos sete anos, uma mulher nomeada por “Mianna” decidiu tomar-lhe as dores, cuidando de si sempre que podia, mas sempre no mistério. Depois de um tempo, Nanien Breaver criou por ela um afeto e até mesmo senso de mãe, tentando orgulha-la sempre que podia. Porém ainda vivia nas ruas (uma vez que a adulta a ajudava com machucados e comida mas nunca lhe dera um teto fixo). Às vezes, envergonhada de ter sido pega por crianças maiores ou adultos, ela não voltava às vistas de Mianna por um tempo (até que os roxos sarassem), o que a obrigava a viver novamente como um rato: escondida. Quando em boa aparência, ajudava a mulher com pessoas feridas e nas compras, ensinando a pequena menina como ser boa em cura, culinária e até em comportamento. Claro que a vida nas ruas também ensinara Nanien a como ser furtiva e rápida, pois suas múltiplas fugas fizeram crescer numa criança (praticamente) esquelética músculos de quem entrara em becos sem saída e precisava usar seus próprios punhos (ou facas, quando também roubadas).

Dia desses, quando estava com Mianna, após uma refeição, Nanien dormiu e acordou em um barco cheio de outras mulheres assustadas e piratas nojentos. Cuidou delas perfeitamente com seus conhecimentos básicos e sua coragem monstruosa até que Dorian e sua família resgatassem todas, dando-as até um trabalho na Ilha dos Ursos. A partir daquele dia, eles cresceram juntos (ela ainda meio reclusa, e ele com sua aura feliz e rica, não só em dinheiro como em presença), tornando a pequena convivência num amor adulto, até que ela fosse pedida em casamento. Dessa união, três crianças nasceram: Norian, a mais velha; Manon, a do meio; e Danien, o mais novo.

Vários traumas fazem parte do psicológico de Nanien, mas agora, como adulta, sabe meios de não deixar aflorar. Apesar de ser uma mulher fisicamente forte e muito dedicada e independe, a — hoje — Mormont tem extremo medo de voltar a ficar sozinha (no sentido de uma vida inteira); sua casa não tem probabilidade de ficar sem suplementos, mas tem receio que não possa dar o suficiente para os filhos um dia. Mas acima de tudo, ela conseguiu desenvolver uma personalidade gentil e uma compostura a ser respeitada, e caso necessário, temida. Ela luta por ideais compartilhados com o marido, Dorian, a darem todo o melhor para as crianças, e aproveitarem também enquanto vivos, melhorando sempre nas respostas dos pedidos de seu povo, de quem os serve e de quem os admira. Existe um ímpeto em Nanien que a move para aprender cada dia mais seu combate e suas habilidades de cura e herbologia, já que gosta de passar muito tempo em sua estufa, estudando. Sua alma é tranquila e pacífica, organizada e muito criativa, sabendo abraçar de bom grado seu lado violento quando necessário.

Sua mãe, ??? Breaver.
Seu pai, ??? Breaver.
Sua tutora, Mianna.

Seu marido, Dorian Mormont
Sua filha, Norian Mormont.
Sua filha, Manon Mormont.
Seu filho, Danien Mormont.
Seu filho adotivo, Cecil Mormont.


INFO ON GERAL
Sangue: Bastardo.
Região de origem: Campina.
Idade: 28 anos.

INFO OFF
Nome do player: Márcia Gomes
E-mail para contato: nanaheijima@gmail.com





Ficha aprovada com sucesso


Última edição por Nanien Mormont em Dom Maio 07, 2017 1:58 am, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Andrômeda Karstark em Dom Maio 07, 2017 1:56 am


Nome on: Andromeda Karstark
Nome off: Ana Lemos
Email: de.1025@yahoo.com
Sangue: Legítimo
Região pertencente: Norte

Características do personagem: Filha mais velha do antigo lord de Karstark. Possuí 1,72 de altura, cabelos escorridos em um tom castanho escuro, sardas sobre a face alva, olhos verdes. Mas apesar da aparência é agressiva, quase sempre parece estar irritada com algo dentro do castelo. É super protetora com os que ama e é comum ver ela se meter em confusão com qualquer um que fale mal de seu pai na sua frente. Com a morte do pai, tendo que assumir o castelo sem um casamento, Andromeda, se mostra firme, confiante e se recusa a demonstrar fraqueza perante qualquer um que tente a menosprezar, o sangue dos primeiros homens corria em suas veias e tudo que seu pai ensinou em vida a garota seria usado.
História da personagem: Já perdeu algum membro de sua família? Dói, não é? Como acha que é a vida de uma filha ao perder seu pai? Perdi minha mãe ainda jovem vitima de alguma doença misteriosa que meu pai jurava ser algum tipo de maldição. Mesmo assim ele me criou como pode,
me treinou para saber andar a cavalo, usar espada, escudo e principalmente a usar arcos. O pouco carinho que recebia daquele homem sempre tão frio era o suficiente para mim, era o suficiente para saber que me amava e que queria me ver bem, e por este motivo eu me empenhava em cada treino a ser a melhor, tudo para sempre receber um elogio de meu pai e deixa-lo orgulhoso. Conforme os anos se passavam ele me preparou para que um dia eu assumisse o castelo, me deixou responsável de cobrar impostos, cuidar da colheita, ajudar os fazendeiros atacados por lobos, dentre outras tarefas. Aos 19 anos eu recebi uma trágica noticia ao voltar de meus afazeres, meu pai havia acabado de sofrer um infarto - algo estranho levando em consideração a força que aquele homem tinha - , mas não era hora de questionar os fatos e sim me impor perante aos oportunistas e em meio ao luto me erguer como a nova chefe da casa Karstark, mesmo jovem, os soldados me conheciam e eu tinha seu apoio, os fazendeiros que sempre podiam contar com minha ajuda viam em mim uma esperança de dias ainda melhores, e com isso juntei forças para chegar até aqui. Mas... Mesmo 6 meses após tudo isso, me dói lembrar que meu pai não está entre nós e a solidão é tudo que se mantem desde que ele se foi.

[ Foi pedido para que eu apontasse a situação atual da família Karstark: O pensado seria Andrômeda assumir a família estando sozinha e deslocada, mas gostaria de ter irmãos mais novos caso houvesse algum player interessado em ser um Karstark, a relação familiar deveria ser debatida. ]


Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Rhaenys Blackfyre em Dom Maio 07, 2017 7:59 pm

Rhaenys Blackfyre
Com: ---; humor: ---; vestindo;--.

Nome On: Rhaenys Blackfyre
Nome Off: Kah
E-Mail: kyria.wow@hotmail.com - Skype: karol.2301
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras da Coroa

Características do Personagem: Desde criança, Rhaenys sempre ouvira que era muito bela. Talvez, fossem os olhos de tom violeta, um tom único, diferente até mesmo do olhos de seus irmãos. As longas madeixas prateadas também encantavam aos olhos de todos. Um conjunto harmonioso que, desde pequena, chamava a atenção de todos e o passar dos anos veio apenas aperfeiçoar a beleza da rainha de Westeros. Como dito anteriormente, seus olhos são de um tom violeta intenso e vibrante, seu olhar transmite serenidade, mas ao mesmo tempo força e determinação. Os longo cílios destacam ainda mais seu olhar e as sobrancelhas emolduram perfeitamente seus olhos. Os traços de seu rosto como esperado, são finos e delicados, como se gentilmente fossem esculpidos pelos Deuses, as maçãs do rosto constantemente encontram-se rosadas, conferindo sempre um aspecto saudável. Seu nariz é fino e delicado, logo abaixo os lábios avermelhados e finos, acompanhando a delicadeza de seu rosto. Os longos cabelos platinados alcançam a linha de sua cintura e quando soltos, é possível observar as ondas que se formam por toda a sua extensão. Quando beijados pelo raios de sol, é possível ver o quanto são lustrosos e macios, aqueles que se aproximam da monarca, podem sentir o doce aroma que os fios exalam. Ainda que, já não seja mais uma jovem lady e ter sido mãe, seu corpo ainda possui curvas sinuosas e belas, capaz de seduzir qualquer homem que desejar e é algo que a rainha sabe usar muito bem, principalmente quando se trata de conseguir algo de seu esposo. Uma mulher elegante e de aparência imponente, mas raramente se vê uma expressão severa no rosto dela, tende a receber a todos com um sorriso cativante e encantador em seu rosto.

Dona de uma opinião forte, Rhaenys não é o tipo de mulher fácil de se dobrar ou iludir. Astuta e muito inteligente, sempre está muito atenta ao que acontece ao seu redor, nem mesmo os mais velados sussurros, passam despercebidos aos ouvidos da Rainha. Procura sempre aconselhar seu marido e Rei quando necessário, sua sensatez é admirada por muitos. Eloquente em suas palavras e com uma voz melodiosa, encanta a todos quando discursa, enchendo os ouvidos de todos os súditos da Coroa. Talvez, uma peculiaridade da mulher, seja a sua facilidade para lidar com assuntos diplomáticos, seu traquejo com algumas questões delicadas despertou a admiração de seu marido e até mesmo de alguns membros do Pequeno Conselho.  Todavia, se enganam aqueles que acreditam que a Rainha sempre será benevolente e pacífica, principalmente quando se trata de defender sua família. Seria capaz de queimar os Sete Reinos para proteger seu marido e filhos, se esses se encontrassem em perigo. Mãe zelosa, ama seus filhos acima de qualquer coisa e vislumbra um futuro glorioso para eles, não medindo esforços para que eles atinjam seus desejos. Em alguns momentos, um pouco cuidadosa em demasia, mas é apenas seu coração de mãe falando mais alto. Devotada ao seu marido, jamais contrariou um só desejo dele, pronta a atende-lo a qualquer momento. Vive um casamento feliz, ainda que não tenha se casado por amor, mas o tempo e a convivência fizeram dela uma mulher amorosa e apaixonada. Sua premissa é sempre o melhor para o Reino, mesmo que isso exija sacrifícios e está disposta a tudo para ajudar o Marido em seu reinado.


Historia:

Querida Mãe.

Dou início a essa missiva, desculpando-me pela falta de notícias. A saudade que assola meu peito é tão grande quanto a sua, acredite. Mas a atual conjuntura veio impedindo-me de ter tempo para sentar e colocar tudo isso no papel. São tempo difíceis minha mãe, a paz tênue que mantemos está por findar-se e minhas tarefas como rainha se multiplicaram. Sei que pode me compreender e sabe também, que sou tão castigada quanto a senhora pela falta de notícias. Todavia, não há um só dia, uma só noite em que eu não pense em vocês e no bem estar de vocês. De certa forma, meus esforços é para que tudo permaneça em paz, deixando a senhora e meu pai seguros. Se o pior vier por acontecer, sei que ele será o primeiro a colocar os navios a disposição da Coroa, o que implica que ele se colocará em perigo eminente também.

Especialmente essa semana senti muitas saudades de casa. Dos seus afagos em meus cabelos antes de dormir, de quando papai chegava de Porto Real cheio de presentes para mim e meus irmãos.  São tão doces e felizes as minhas lembranças mamãe, cativo cada uma delas em meu coração, com amor e carinho, agradeço todos os dias de minha vida por ter tido pais tão maravilhosos e afetuosos. Ainda que a minha casa hoje, seja Porto Real, Derivamarca sempre estará em meu coração, assim como, o nome Velaryon sempre estará em minha alma. Jamais esquecerei minhas raízes e meus laços, jamais deixarei de ama-los um só dia. A cada nova travessura das crianças, eu vejo um pouco de mim quando era criança, de como deixava a senhora e papai preocupados. Lembra-se de quando roubei um cavalo nos estábulos e sai cavalgando pela orla? Deuses! Papai quase enlouqueceu! Se não fosse por sua benevolência, aquele pobre homem teria perdido a cabeça por minha culpa.  

Já que entramos nesse assunto, as crianças sempre perguntam por vocês, a distância também os entristece. Rhaegel sucederá bem o pai quando for sua hora, tem sido educado exaustivamente para isso e correspondido a cada expectativa que depositamos em seus ombros. Em alguns momentos, temo que as cobranças sejam exacerbadas sobre ele, mas não há outro meio. Ele será Rei e deve estar pronto quando esse dia chegar. Naerys está se tornando uma dama muito bela, me orgulho muito da mulher que ela se tornou. Creio eu, que logo o Rei deve casa-la e rezo todas as noites para que seja um bom homem a desposar minha filha. Ela merece toda a felicidade do mundo e um pouco mais, merece um futuro grandioso. Bem, os mais novos ainda se preocupam apenas com suas travessuras e em se tornarem cavaleiros e derrotarem grandes exércitos. Ainda não sei bem de quem eles puxaram tanta energia e imaginação.

Tenho muito a agradece-la, se sou a mulher que sou hoje, é graças ao seu árduo trabalho de me educar, a mãe carinho e presente como sempre fora. Ainda lembro-me da nossa conversa na manhã de meu casamento, de como sabiamente me aconselhou que eu deveria ter paciência. Eu estava tão amedrontada, insegura do que me aguardava, afinal, nunca tinha se quer visto o homem com quem ia me casar. Eu temia tanto ser infeliz, sempre sonhei em ter um casamento tão abençoado quanto o de vocês e os deuses me concederam essa pequena dádiva. Vejo tantas Damas aqui na corte infelizes, maridos que simplesmente preferem um bordel a estar com suas esposas. Eu não posso reclamar de meu marido, sempre presente quando pode, jamais me desonrou e se o fez, jamais deixou que eu descobrisse. Não acredito que ele faria tais coisas.

Os anos tem tornado ele um homem mais duro nas questões do Reino, são tantos problemas e obrigações sobre seus ombros que eu não posso critica-lo em momento algum. O peso daquela coroa é imensurável mamãe. Alguns dias ele se recolhe tarde da noite, com a lua no meio do céu. Os anos me fizeram conhecer bem meu marido, não há necessidade de uma só palavra para que eu sinta sua angustia. E como me ensinou, são nessas noites que eu o acalento em meus braços de forma carinhosa e paciente. Vossa Graça é um bom homem, um marido zeloso e devotado ao casamento, os anos nos ensinaram a amar um ao outro de forma incondicional.  Nos últimos tempos, ele tem se esforçado ainda mais para manter a estabilidade nos Sete Reinos e a cada dia eu admiro mais como marido, como homem e como Rei.

Muitos são os rumores que correm nas vielas e becos da capital, o quanto é verdade já é difícil precisar. Todavia, mantenho-me de ouvidos bem atentos, muitos são aqueles que conspiram contra a coroa. Precisamos manter os amigos por perto e nossos inimigos mais perto ainda. Eu estarei ao lado de Vossa Graça para o que ele precisar, manterei nossa família segura a qualquer custo. Sei que isso pode custar caro, muito caro, mas não me importo! O que precisa ser feito, será feito, você me ensinou a não temer mamãe, me ensinou que a família vem em primeiro lugar. Sei que está preocupada nesse momento, mas não fique! Eu cuidarei de tudo e de todos. Não permitirei que nos tirem o que é nosso por direito, mesmo que para isso eu precise derrubar alguns peões e eliminar quem estiver na minha frente.

Responda-me assim que possível, não me deixe sem notícias! Quando a situação estiver mais calma, prometo passar alguns dias em Derivamarca, levarei as crianças para que possa matar a saudade. Amo-te de maneira incondicional e sempre estarei em seu coração assim como sempre estará no meu. Não se preocupe comigo, eu ficarei bem, todos nós ficaremos bem. O jogo dos Tronos precisa ser jogado mais uma vez minha mãe, o Rei precisa de mim, o Reino precisa de mim e estou pronta para ser a Rainha que o Sete Reinos precisa. Cuide-se, acalme papai e não deixe que ele tome alguma decisão precipitada. Que os Deuses abençoe vocês.

Com amor.
Rainha Rhaenys Blackfyre.





Ficha aprovada com sucesso


Última edição por Rhaenys Blackfyre em Dom Maio 07, 2017 8:41 pm, editado 11 vez(es)

_________________

Rhaenys Blackfyre
Rainha dos Ândalos dos Rhoinares e dos Primeiros Homens, Senhora dos Sete Reinos, Protetora do Reino.
CKB

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Cassandra Martell em Dom Maio 07, 2017 8:03 pm

Nome On: Cassandra Martell
Nome Off: Noah Mattheus
E-Mail: synneryus@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Dorne
Características do Personagem: Possui cabelos loiros cacheados que vão abaixo dos ombros pequenos, olhos azuis cinzentos e pele clara são as primeiras características físicas que se nota na mulher. Um pouco mais nova que o marido, possui um metro e sessenta de altura e pesa sessenta quilos. Possui uma boa forma física e tem um bom corpo para sua idade. Após o casamento com Rylon, se tornou comum ver a mulher com corselete de couro e/ou uma espada consigo.
História do Personagem: Cassandra nasceu na casa Uller, no interior de Dorne. Apesar dos costumes dorneses serem bem mais agradáveis as mulheres do que o dos demais reinos, ainda ali a mulher sofria restrições quanto ao seu sexo. Em sua infância, esperava-se que ela fosse uma mulher passiva e calma, coisa que nunca realmente havia sido. E por anos ela sofreu o preço por seu próprio temperamento. Escondida, treinava a arte do manuseio de espadas e adagas, mas sempre que era pega acabava sendo punida pelo pai por isso, não raras as vezes apanhando. Porém aos seus quinze anos houve uma enorme mudança em sua vida, para a melhor é claro.

Cassandra havia sido prometida para Rylon Martell, futuro senhor de Dorne. Era um rapaz de dezesseis anos, jovem e com a mente rápida. Mas ele tratava-a com respeito e como uma igual, não como uma nobre menor ou mulher. Mesmo após o casamento dos dois e a morte de seu pai de seu marido, o homem não mudara o tratamento com ela. E pela primeira vez na vida ela descobrira o que era a verdadeira liberdade.

A jovem não precisava mais treinar escondida, podendo fazer isso abertamente e quanto desejasse. Sentava-se ao lado de seu marido nos tronos do Salão do Sol, em assentos que ficavam em elevação igual. Sua voz era ouvida ali e sua vontade sempre considerada. Sentia-se mais em casa ali do que estivera na casa de sua família.

Mas nem tudo era alegria. Apesar de tudo que ela recebia em Lançasolar, a mulher tinha dificuldades em dar um herdeiro ao senhor seu marido. Apesar das tentativas e do amor que eles passaram a sentir um pelo outro, a mulher não conseguiu dar a luz a filhos dele por anos... Apenas a quinze anos atrás, quando ela tinha vinte e três anos que a primeira criança dos dois nasceu. Depois desta criança, as próximas vieram rapidamente e fácil.

Observação: É a Lady Martell ao lado de Rylon Martell, lorde da casa.


Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Mabel Stark em Dom Maio 07, 2017 11:18 pm

Nome On: Mabel Stark
Nome Off: Carolina
E-Mail: carolsseabra@yahoo.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Norte

Características do Personagem: Mabel é uma garota de quinze anos, tem baixa estatura e cabelos e olhos escuros, característicos de um nortenho puro. Aparenta ser uma garota ligeira, de raciocínio rápido e de riso difícil, habilidosa em artes que exijam velocidade e habilidades manuais, como arco e flecha. Sua pouca altura e membros curtos a fazem muito veloz, embora sua inegável feminilidade acabe a deixando com pouca força bruta. Por mais que não seja uma garota exatamente bela, é agradável aos olhos, de sua maneira sutil. Teve a infância cortada muito cedo por causas familiares, aprendendo a tomar conta da família e de seus irmãos como a mulher da casa, embora este "título" nunca a tenha agradado.

História do Personagem: Seu meistre contou uma vez que nevava quando Mabel nasceu, uma tempestade de gelo que impedia as pessoas de saírem de suas casas, embora sequer fosse inverno ainda; contou também que, para manter a recém-nascida aquecida, sua mãe se sentou com ela à beira da lareira, a ninando até que sua cor voltasse, e deus dedinhos pequenos e enrugados adquirissem mobilidade outra vez. Talvez por aquilo ela não gostasse de frio. Irônico, um nortista que não goste de frio, mas aquela era a verdade. Mabel sempre pensava que o frio fosse a causa de todos os problemas de sua família: da rigidez de seu pai, da antipatia de seus irmãos e, também, da loucura que tirara sua mãe de si. A garota tinha não mais do que onze anos quando os sintomas da loucura começaram, e quando a Lady Stark se tornou incapaz de realizar suas tarefas de Lady e de mãe, fora a pequena Mabel que assumira seu lugar. Aquela situação desagradável contribuiu muito para que ela se tornasse a garota que era agora: não se interessava por garotos, nem por costura, nem por piadas; apesar de nova, não há juventude nela, e seu senso de humor é nulo. Muitas vezes, aconselha rigidamente seus irmãos mais velhos como se fosse uma verdadeira mãe, principalmente em tempos difíceis, como os que estão por vir.



Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Ella Baratheon em Seg Maio 08, 2017 11:10 am

Nome On: Argella "Ella" Baratheon

Nome Off: Valéria Rocha

Photoplayer: Adelaide Kane

Skype: highvaleria

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Terras da Tempestade

Características do Personagem:
Ella Baratheon é uma jovem mulher de personalidade marcante, palavras fortes e opiniões políticas em construção. Cresceu agarrada à capa de seu pai, ao invés de seguir sua mãe e suas amas. Seu rosto delicado e doce esconde uma senso de humor afiado, críticas severas e um coração bondoso. Fidelidade é algo extremamente importante para ela, bem como a segurança dos que lhe são queridos. É capaz de beber com seus inimigos em nome da soberania de sua casa, escondendo seus sentimentos com grande esforço. Não é facilmente controlada, dissuadida ou convencida. Tem problemas de confiança, é festiva, e gosta de saber que sua aparência atrai atenção nos salões de baile. Dona de cabelos longos e negros, pele pálida e lábios naturalmente rosados, Ella sabe que muitas mulheres escolhem usar seus atributos para conseguirem o que querem, mas ela prefere usar seus argumentos e sua inteligência.

História do Personagem:
Ella é a segunda filha de Lord Garret Baratheon, nascida em um pôr do sol frio do inverno nas Terras da Tempestade. As velhas amas espalharam histórias ao longo de seus 25 anos de idade, contando como sua mãe, a Lady da Tempestade, havia saído do castelo escondida, tentando encontrar o marido para que este ficasse ao seu lado durante o parto. O Lord não estava longe, ocupado com um navio de sua fronta. A Lady caminhou sozinha pela orla de Ponta Tempestade, até que as contrações ficaram fortes demais e ela acabou caindo na orla. O marido a encontrou, e o parto da filha foi feito ali mesmo, sob o som do mar revolto e gelado. Ella ganhou o nome da primeira rainha da tempestade, Argella, e cresceu provando que a proximidade entre elas não parava ai. Retraída nos primeiros anos e curiosa na adolescência, se transformou em uma jovem muito bela e talentosa. Não talentosa apenas com as agulhas, mas também com flechas e palavras.

Apesar da rigidez do pai, cresceu em um lar amoroso e bem estruturado. A casa Baratheon vivia tempos de prosperidade e paz, que fizeram da infância de Ella e seus irmãos uma viagem tranquila. Bom, pelo menos nos primeiros anos. Conforme crescia, Ella percebia que o mundo não era exatamente justo. Após uma desilusão amorosa, passou a ver em si mesma mais que apenas uma noiva para um dos Lordes de Westeros, tornando-se quase tão orgulhosa quanto seus antepassados. Logo sua mão seria prometida a um Stark, a um Tully, Tyrell ou Martell, mas ela desejava mais. Suas ideias, é claro, não eram apreciadas pelo pai ou pelo irmão, mas diante da dificuldade de controlar o gênio de Ella, permitiram que ela se juntasse ao conselho de Ponta Tempestade, tornando-se uma das mais jovens mulheres Baratheon a alcançar tal honraria.

Com a morte do pai, devido a uma febre estrangeira, os sonhos de Ella ficaram ainda mais distantes, pois o irmão não conseguia assimilar a ideia de uma irmã independente. Embora sonhasse alto, Ella se conservava muito apegada a família, e tal amor era capaz de frear qualquer ambição ou rebeldia. Assim, passava seus dias entre longas viagens e projetos em benefício de seu povo, dedicada a manter a honra e glória de seu nome da melhor maneira possível. Porém, a vida cuidou de mudar seus planos, levando a morte seu irmão mais velho, Endric. O jovem Lord havia saído para o mar com seus melhores homens, e nunca mais retornou. Foram achados apenas destroços da embarcação, mas não corpos para cremar. Logo, Ella ascendeu ao trono de sua casa, mantendo seu legado e suportando o fardo da administração. Tornou-se uma governante justa e uma líder militar surpreendente, buscando alianças em meio à conspirações diversas.

Ramo Principal

- Lady Ella Baratheon, Senhora das Terras da Tempestade, 25 anos;
- Seu irmão, Lord Endric Baratheon, morto aos 30 anos em um naufrágio.
- Sua irmã, Marianne Baratheon, 23 anos, esposa de Dickon Greyjoy;
- Sua irmã, _______, 17 anos;
- Sua irmã,________, 15 anos;
- Sua mãe, Lady Joana Baratheon, 50 anos;
- Seu pai, Lord Garrett Baratheon, 65 anos

Ramo Secundário

- Sor Steffan Baratheon,


Ficha aprovada


Última edição por Ella Baratheon em Qui Jun 29, 2017 9:34 pm, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Six em Ter Maio 09, 2017 2:56 pm

the black wolf
Nome On: Six

Nome Off: Emilly Cassiane (Serafim)

Sangue: Bastardo

Skype: the_serafimmm

Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:

Six é uma garota doce e meiga, que gosta de conversar e fazer amizades. Com um sorriso alegre, a menina facilmente ganha o coração das pessoas, que geralmente gostam de sua companhia. Coragem é seu sobrenome, afinal, a nortenha não nega uma luta, sendo sabia ao escolhe-las, claro. Ainda sim, qua do irritada é um furacão impossível de conter. Pode não parecer, mas é uma grande pequena guerreira, aprendendo mais sobre habilidades de combate a cada dia.

História:

Meera Snow. Este é o verdadeiro nome da garota de quem lhes contarei a história. Proveniente de uma vila pequena e pacata em Mata dos Lobos, a menina era filha de um bastardo Umber com uma mulher qualquer. Seus pais eram um dos casais mais apaixonados e aparentemente felizes do local. Porque, ninguém sabia. Com a vinda da pequena, a alegria dos dois se tornou maior, e o laço que os unia se estreitou ainda mais. Ambos tinham medo, é claro. Três anos antes da menina nascer, ataques de selvagens eram comuns por ali, e a perspectiva de que algo tão bárbaro acontecesse de novo era o maior medo, não só deles, como também de toda a vila.

Uma garotinha bonita, de pele branquinha e cabelos negros. As mulheres babavam para ficar com ela alguns minutos, e as crianças brigavam entre si para brincar com a sorridente criança. Os dias eram claros, e o frio era pouco. Mas é claro, até o dia mais bonito com o tempo se tornar a noite mais escura.

Quando escureceu, e a maioria dos camponeses estava em sua cama, dormindo tranquilamente para acordar disposto no dia seguinte para mais um dia de trabalho, eles vieram. Antes que qualquer um pudesse entender alguma coisa, gargantas foram cortadas e casas pegaram fogo. Os selvagens começaram a matar os que estavam do lado de fora, e logo após a prender as mulheres, para poder estupra-las depois. O pai de Meera foi ao quarto de sua hóspede, para que ela pudesse ter uma chance de fugir, mas a mulher já estava terminando de colocar a espada nas costas, e saia como um furacão da casa.

Não eram muitos selvagens, e menos ainda os homens que sabiam lutar, mas conseguiram salvar algumas pessoas. Quanto a vila, estava completamente queimada, e cheia de corpos ao redor. Sem dúvidas, ninguém mais moraria ali. A mãe de Meera ainda estava parcialmente viva. Quando a mulher que abrigou aquela noite voltou para ver como estava, a bastarda lhe entregou a Snow, de apenas seis anos.

Meera estava desacordada quando a estranha foi ver como ela estava. Sangue escorria de um corte de sua cabeça, e logo a preocupação tomou conta da mulher. Uma concusão não era algo que deveria acontecer a alguém tão pequeno! A cavaleira levou-a a sua casa, e logo a criança foi atendida pelo meistre do local. Quando finalmente acordou, não sabia dizer quem era, ou quem foi. Apenas um nome lhe vinha a mente: Six. O homem que cuidou da pequena disse a sua nova tutora que ela poderia vir ou não a lembrar daquela noite, mas era bem improvável que isso fosse acontecer.

Sua benfeitora? Susanne Glover, que não tinha mais do que 17 anos. Com o passar dos meses, as duas se tornaram próximas, e logo sua relação era quase de mãe e filha. Contudo, a cavaleira viajou querendo levar a menina consigo, mas não pôde, afinal, ela tinha pouco mais do que 7 anos. Cartas eram trocadas entre as duas, mas mesmo assim, a saudade era imensa. Com o tempo, se tornou amiga de um dos guardas de Bosque Profundo, Magnus, que começou a treina-la. Quando Anne voltou, cinco anos depois, um novo lorde se erguia, e o treinamento de Six ficava mais pesado.
I'm your great fear


Ficha aprovada com sucesso

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Godfrey Blackwood em Ter Maio 09, 2017 11:42 pm

Nome On: Lord Godfrey Blackwood
Nome Off: Bento Junior
E-Mail: bentojuniorjor@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras Fluviais
Características do Personagem: Alto, rosto sempre com uma expressão feroz, nariz avantajado, careca e com uma cicatriz do lado esquerdo da boca devido a uma flechada em batalha.
História do Personagem: Godfrey nasceu durante a guerra. Seu pai, Arthos, o moldou para ser um eximo comandante militar, onde o mesmo se destacaria anos depois, comandando exércitos das Terras Fluviais em nome de seu pai. Como herdeiro, Godfrey acabou assumindo algumas funções de seu pai em representações, já que seu estado de saúde começava a se deteriorar. Aos 22 anos, o jovem herdeiro se torna senhor de Raventree Hall, tendo como espelho um certo bastardo que nasceu de sangue real em sua família, Lord Brynden Bloodraven Rivers, Seu ódio mortal pelos governantes Blackfyre era devidamente escondido, Godfrey tinha planos de unir as casas certas por baixo dos panos para assim planejar a derrocada dos soberanos que, do ponto de vista dele, prejudicaram, e muito, seus antepassados mais recentes. Além disso, sua obsessão pelo Corvo de Sangue iria levá-lo a aventuras jamais imaginadas a um simples Lord dos Rios...Completamente devoto aos deuses antigos, Godfrey carrega um cordão com o brasão da casa esculpido em madeira de represeiro, como um modo de sempre carregar seus deuses próximo de si...

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: - 2
Força: - 2
Inteligência: - 2
Agilidade: - 2
Astúcia: - 2
Vigor: - 2
Oratória: - 2
Fé: - 2

Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Darlessa Tallhart em Qua Maio 10, 2017 2:07 pm

Darlessa Tallhart
Com: --; humor:---; vestindo: --- .

Nome On: Darlessa Tallhart

Nome Off: Kah

E-Mail: karol.2301

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Norte.


Características do Personagem: A líder da casa Tallhart é uma mulher que inspira confiança à aqueles que a seguem, todavia, inspira medo em seus inimigos. Desde criança, Darlessa sabia que não era como suas irmãs, com a morte prematura da mãe, tomou para si responsabilidades as quais não sabia lidar, mas sempre esforçou-se para dar o seu melhor. Desde cedo, mostrou sua grane capacidade em lidar com as adversidades, lidar com os problemas corriqueiros e administrativos o que deixava seu pai orgulhoso. Todavia, se via que ela não era uma mulher de temperamento dócil como suas irmãs, não era uma garota de muitos sorrisos e sempre muito séria. Casou-se nova, com o único homem que amou e ainda ama, a perda prematura dele tornou Darlessa uma mulher dura e até mesmo um pouco ríspida, dona de uma personalidade forte e decidida. Encontrou nas batalhas uma forma de aliviar sua dor, tonando-se uma grande combatente e exímia estrategista. Fez seu nome enquanto servia a família Mormont, onde aperfeiçoou seus conhecimentos militares. Apaixonada pelas batalhas, luta ferozmente e não importa quem seja o inimigo, ela vai até o fim. Muito astuta, perspicaz e inteligente, sabe como conduzir as pelejas militares e criar ótimas estratégias de combate. É uma mulher reservada, de pouca conversa, não demonstra seus sentimentos e em muitas vezes é um pouco fria e indiferente. Não toma atitudes por impulso, tudo é bem calculado e planejado, se necessário sabe como conduzir um bom diálogo, principalmente com os outros nobres.

É uma mulher um pouco mais alta que a maioria, mas menor que a maioria dos homens que lidera, como todo nortenho possui a pele muito alva, mas diferente das ladys habituais, carrega nas mãos, nos ombros e pelas costas as marcas de suas batalhas. Não se envergonha das cicatrizes que carrega, muito pelo contrario, orgulha-se de cada uma delas. No entanto, tais detalhes não ofuscam a beleza da lady Tallhart, dona de um belo corpo, esbelto de curvas sinuosas e acentuadas, músculos torneados pelo corpo, mas de linhas delicadas conferindo uma beleza feminina a mulher. Os longos cabelos negros caem sobre os ombros como um manto negro, muitos lisos e lustrosos. Geralmente os usa soltos e não se importa muito em mantê-los muito bem penteados, conferindo um ar displicente a jovem comandante. Seus olhos são como grandes safiras, de um tom ciano único, mas seu olhar é tão frio quanto o inverno do Norte.

História do Personagem: Quando o corpo do homem chegou aos domínios de Praça de Torrhen ainda era dia, porém o céu estava escuro e a nevasca cai forte deixando branco todo o piso do pátio principal do castelo. Não havia muitas pessoas para recebe-lo, apenas a família para receber o corpo do cavaleiro, que agora jazia sem vida. A morena estava parada diante da porta principal do castelo, de braços cruzados observava a carroça que era puxada por dois cavalos no pátio principal, seu semblante era duro, até mesmo um pouco ríspido, era difícil identificar se havia comoção em seu rosto em algum instante. O homem com a pesada barba negra se aproximou da garota de corpo ainda franzino e colocou a mão em seu ombro: — Você precisa ser forte. — Disse ele fitando os olhos azuis da garota. Ela respirou fundo e então encarou os azulados de seu pai, que naquele momento se mostravam muito mais calorosos que os dela: — Eu serei, por mim e por ele. Por nós. — Disse ela sem derramar uma única lágrima se quer, mesmo que o homem morto fosse seu marido. Daquele momento em diante ela soube que sua vida não seria fácil e dificilmente seria como antes, era o frio que tomava conta dela para sempre.

Darlessa havia se casado muito jovem, mal havia se tornado moça e o casamento fora arranjado para a garota. O noivo fora seu primo, para sua sorte sempre fora apaixonada por ele, desde quando eram crianças, era óbvio que o Lorde Tallhart, poderia ter conseguido um bom casamento para sua mais velha, mas no fundo o homem sempre soubera que ela não era como as outras, havia algo mais no olhar de sua primogênita que assustava até mesmo a ele. O casamento fora celebrado pouco depois do décimo terceiro dia de seu nome, a festa havia sido farta e bela, era algo raro de se ver, mas ela trazia um semblante mais ameno, mais leve, o que não era comum da garota que sempre reclamava quando tinha que fazer aulas de costura e bordado, dizia que sua mão era pesada demais para tão refinado trabalho manual.

Mas aquela tarde mudou toda a vida da jovem Tallhart, seu casamento fora interrompido de forma prematura pela morte de seu marido, ainda não haviam tido filhos e por um momento sentiu-se aliviada por não os ter, cria-los sem um pai seria uma tarefa dolorosa para ela. Seu pai visando o melhor, manteve a jovem sob seu olhar, de todos os seus filhos, era ela quem ele melhor conhecia. Durante um longo ano ela se manteve em luto, nem mesmo no pátio do castelo, a mulher ousava ir. Fora um longo silêncio que entristeceu a todos de uma forma geral, uma vez que a família sempre fora unida, porém todos sabiam que quando ela se reerguesse, seria para nunca mais cair. Naquele um ano de isolamento ela mudou, mudou consigo mesma e com o mundo, não queria ser mais a garota fraca que vivia alheia ao mundo dentro das muralhas do castelo, não queria nunca mais ter que chorar escondida em seu quarto.

Uma nova vida começava para ela, procurou seu pai e o pedido inicialmente chocou o homem, jamais imaginou a sua filha de espadas na mão, mas depois de tudo que ela havia passado, não negou seu pedido. Porém, para sua surpresa, ela se mostrou tão habilidosa quanto seu filho e muito mais do que vários soldados. Darlessa, tinha o talento de manejar armas como o melhor dos cavaleiros. Com treinos e mais treinos a garota se destacava no manejo de armas e nas artes da guerra, o que seu pai não pode ignorar. Atendendo um último pedido de sua menina, não lhe procurou mais nenhum pretendente, ainda tinha duas filhas mais novas para casar, o lugar de Darlessa era na guerra e não em um castelo vivendo uma vida que não lhe pertencia.

Depois que seu pai selou o noivado de sua irmã mais nova, o homem para selar um acordo com os Mormont, enviou a filha para servir como mestre de armas do castelo. Ela não discutiu com seu velho pai, o homem já havia feito muitos sacrifícios por ela. No início pensou que não se acostumaria, mas a hospitalidade de seu novo lorde logo fez com que ela se sentisse bem, mesmo com seu jeito reservado e frio, não era uma mulher de muitas palavras, suas armas falavam por ela. No final do quarto ano que estava na Ilha dos Ursos, teve permissão de acompanhar seu lorde até Winterfell, mostrando seu talento como agora comandante da guarda e estrategista. Poderia ter escolhido regressar para casa, porém contrariando a todos, ela resolveu não ficar, Praça de Torrhen agora era apenas uma lembrança de seu passado, seu futuro estava na Ilha dos Ursos, ao lado de seu lorde. Ela amava sua família, mas sabia que seus irmãos poderiam cuidar de tudo sem ela, seu pai sabia disso e talvez tenha sido essa a razão para que tenha a enviado para longe de casa, de todas as batalhas que ela travaria, a única que ela jamais poderia vencer era contra seu próprio passado.

Os anos se passaram e Lessa despontava de qualquer outro guerreiro, tornou-se ma pessoa de confiança do Lorde Dorian Mormont, conduzindo junto a ele seu exército, mostrando a força dos homens e mulheres daquela Ilha. Seu nome percorria todas as casas do Norte por sua lealdade e habilidade, muitos queriam conhecer a feroz guerreira. Mas toda aquela fúria, toda aquela vontade de derramar sangue inimigo, era apenas para amenizar a dor que nunca deixava seu peito, algo que ela jamais conseguiu esquecer. Lançou-se nas mais improváveis batalhas em nome de seu Lorde, sempre voltando vitoriosa, não importando quantas cicatrizes ela teria que ganhar para isso. De algum modo, ela sabia que havia nascido para essa vida, aquela era a verdadeira Darlessa Tallhart, feroz, destemida e forte. Agora sabia que tinha força suficiente para defender aquilo que lhe era importante.

Mas o destino, uma vez mais resolveu brincar com Darlessa. Primeiro, levando seu pai, um homem ainda jovem e cheio de planos, uma doença sorrateira que ceifou a vida de seu amado pai. Uma vez mais ela se viu diante de seu passado durante o funeral de seu pai, mas como todos esperavam ela regressou junto a comitiva Mormont para a Ilha dos Ursos, porém, deixando uma vez mais um pedaço seu enterrado em Praça de Torrhen. Aquela, porém, não seria a última vez que ela regressaria ao seu lar, mais uma vez ela voltou, agora para enterrar seu irmão mais velho, Jorah. Todavia, algo estava diferente na morena, uma verdadeira cólera pairava em seu olhar, amedrontando a qualquer um que a encarasse.

O assassinato do irmão havia sido brutal, semelhante ao de seu falecido esposo, o que obviamente mexeu com todos os sentimentos da mulher. Sentia como se estivesse revivendo aquele fatídico dia, toda aquela dor, algo que ela não perdoaria, algo que não passaria dessa vez. Darlessa então se viu em um grande dilema, voltar a servir seu senhor ou cuidar de suas irmãs que precisavam muito dela naquele momento. Noites de sono foram perdidas ponderando qual a melhor decisão, mas os rumores do que acontecia em Praça de Torrhen logo chegaram aos seus ouvidos. Não deixaria que suas irmãs fossem joguetes nas mãos de quem quer que fosse. Era difícil encarar a realidade, mas era a hora de voltar para casa.

Com o apoio de seu Lorde, Lessa deixou para trás tudo que havia conquistado na Ilha dos Ursos e assumiu o lugar como líder da casa Tallhart. Não fora uma tarefa fácil, havia ficado anos longe de casa e muitos homens a viram com desconfiança. Mas Darlessa sabia mostrar com ações, com trabalho, que ela seria tão boa governante quanto seu pai e irmão. Suas irmãs se viram aliviadas com sua volta, pois sabiam que estariam protegidas junto a irmã mais velha. Mas além de comandar sua casa, a morena se lançou em uma missão ainda mais importante para ela, descobrir quem havia matado seu irmão e com certeza quem havia feito isso pagaria com sangue derramado por ela mesma. A casa Tallhart novamente tinha uma liderança firme, justa, uma líder que não temia o inverno e nem o campo de batalha e que pensava somente no bem daqueles que estavam com ela e dos que amava.

**********************

Criatividade: 1
Força: 3
Inteligência:2
Agilidade: 3
Astúcia: 2
Vigor: 2
Oratória: 2
Fé: 1




Ficha aprovada

_________________


House Tallhart

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Clive Tully em Qua Maio 10, 2017 3:17 pm



Clive Tully...


Nome On: Clive Tully
Nome Off: Nathan Lopes
E-Mail: louco_nathan@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras Fluviais

Características do Personagem:

Lord Clive e considerado um homem bonito e muito inteligente, sempre compromissado como o respeito e a lealdade. Ele diferentemente de seus antepassados, não possui uma ascendência natural dos senhores do rio, muito pelo contrário, Clive herdou os traços nortenhos de sua mãe. Possuindo um gênio tão ferrenho quanto os de seus parentes e vizinhos do Norte; ele tem como características físicas principais, uma pele pálida, cabelos negros, olhos azuis intensos e um físico considerável em questão de altura e peso. Pode-se qualificar seu corpo como atlético e bem cuidado, ele não e vaidoso, mas possui uma beleza reconhecida por muitos. Sendo muito reconhecido não somente por sua aparência, como também por sua personalidade e conduta como governante. Por fim, e de conhecimento geral, que o atual Lord Tully aspira respeito e admiração de seus amigos e muita preocupação e temor de seus inimigos.


História do Personagem

Desde o seu nascimento já era esperado inúmeras expectativas a respeito de seu futuro. Clive Tully é o primogênito de Lord Edmyn Tully, filho do notável Edmure Tully e sua esposa Roslin Frey, sendo assim neto de ambos. Mas pode-se dizer que o jovem rapaz não havia herdado nada dos traços físicos dos senhores de Correrrio, tampouco sua personalidade. Pois Clive havia saído muito parecido com sua mãe - uma Stark - não somente nos traços, como também na personalidade característica dos nortenhos, sempre focado e inflexível independente das adversidades. Trazendo assim uma nova imagem para os antes considerados fracos, Tully. No entanto, o herdeiro de Correrrio nunca teve uma vida fácil e como todo futuro Lord governante, teve de passar por um longo e até mesmo árduo processo de aprendizagem. Obtendo conhecimento em várias áreas que seriam importantes em seu futuro, no caso quando fosse empossado no lugar de seu pai como Lord supremo do Tridente. O que não demorou muito a ocorrer, uma vez que Lord Edmyn Tully durante uma caçada acabou por ser morto por um javali enfurecido. Lembrando de certa forma a morte do rei usurpador, Robert Baratheon.

O fato é que após a morte de seu pai, Clive foi elevado a seu título de direito, assumindo assim, o governo de todo o Tridente e o senhorio sobre o castelo sede da casa Tully, Correrrio. Como governante ele chegou a cometer alguns equívocos que custaram-lhe sua tranquilidade em certos momentos, contudo ele era jovem e um pouco imaturo; e todos sabem que juventude, poder e falta de maturidade pode ser uma combinação muito perigosa. Tão perigosa, que para reparar tais equívocos, ele teve de casar-se com uma jovem, cujo nome era Mirena. A filha caçula de Lord Piper de Donzelarosa, um de seus principais e mais importantes vassalos; o casamento foi forçado, uma vez que era isso ou uma revolta liderada por Lord's insatisfeitos, e inicialmente não possuía um afeto mútuo entre ele e a jovem. Porém com o tempo acabou por transforma-se numa relação de respeito e admiração, tendo como frutos o nascimento de duas crianças, um menino e uma menina. Todavia essa relação não durou muito tempo e acabou num fim trágico para a jovem Mirena, pois ela perdeu sua vida durante o parto daquele que viria a ser seu terceiro filho com Clive. Que logo após a morte da esposa e também do filho, este que infelizmente não resistiu, tornou-se um homem fechado e focado em seu papel como governante do Tridente. Ganhando toda a maturidade que um dia havia-lhe faltado, assim como anos mais de vivência e o abandono da juventude.

[...]

Lord Clive acabou tornando-se um homem notável em vários aspectos, chegando a bater as expectativas que seus pais tinham para o seu futuro. Atualmente ele acabou por se apaixonar por uma jovem chamada Ellery da casa Mallister, filha do próprio Lord Mallister; casando-se com essa mesma jovem e com ela concebendo mais duas crianças, os gêmeos, Bryden e Jason, homenagem a seu lendário antepassado, Bryden, o peixe negro, e o de sua esposa, Lord Jason Mallister. Clive também ultimamente está focado em instruir seu primogênito para que um dia ele assuma seu lugar. Ele, porém, não costuma ser muito sociável com seus vizinhos do leste e do oeste, ainda por conta da situação que levou sua casa a quebrar sua lealdade com os Targaryen e dobrar seus joelhos para os Blackfyre. Contudo permanece simpático a seus parentes do norte e para com o povo do sul, mantendo também sua lealdade para com os atuais ocupantes do trono de ferro. Entretanto focado em seu próprio território e nas necessidades de seu povo, evitando laços que possa trazer novamente desgraça a sua terra ou sua família, como ocorreu em outrora. Essa e um pouco da historia de Clive Tully, senhor de Correrrio e atual Lord supremo do Tridente.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: - 2
Força: - 2
Inteligência: - 2
Agilidade: - 3
Astúcia: - 2
Vigor: - 3
Oratória: - 2
Fé: -

Genealogia

Descendência de Edmure Tully e Roslin Frey

• Senhores de Correrrio e do Tridente •

Ramo Principal

- Lord Clive Tully, Senhor de Correrrio e Lord supremo do Tridente, 33 anos;
- Sua primeira esposa, Mirena Piper, morta aos 17 anos. †
- Sua segunda esposa, Lady Ellery Tully, da casa Mallister, 17 anos.
- Seu primogênito e herdeiro, ____ Tully, com sua primeira esposa Mirena, 16 anos;
- Seu filha, ____ Tully, com sua primeira esposa Mirena, 13 anos;
- Seu filho, Bryden Tully, com sua segunda esposa Ellery, gêmeo de Jason, 2 anos.
- Seu filho, Jason Tully, com sua segunda esposa Ellery, gêmeo de Bryden, 2 anos.
- Sua mãe, Lady Lianna Tully, da casa Stark, 48 anos.
- Seu pai, Lord Edmyn Tully, morto aos 34 anos †

Ramo Secundário

- Seu irmão, ____ Tully
- Sua irmã, ____ Tully


Descendência de Edmure Tully e Roslin Frey

• Senhores das Gêmeas •

Ramo Principal

+ Lord ___ Tully, Senhor das Gêmeas
- Sua esposa, ____
- Seu filho, ____ Tully
- Seu filho, ____ Tully
- Sua filha, ____ Tully
- Sua mãe, Jocelyn Ryger, morta aos 28 anos †
- Seu pai, Lord Hoster Tully, morto aos 43 anos †
- Seu irmão, ____ Tully


Lord do Tridente

Tks Maay from TPO


Ficha aprovada


Última edição por Clive Tully em Qua Maio 10, 2017 6:01 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Clive Tully
Senhor de Correrrio
Senhor Supremo do Tridente
Família, Dever, Honra!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Sunny Manderly em Qua Maio 10, 2017 4:11 pm



Sunny Mormont...


Nome On: Sunny Mormont
Nome Off: Anna Nucci
E-Mail: saviolefla@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Norte


Características do Personagem:



Sunny e uma bela e simpática jovem, que viu-se numa situação difícil, quando foi forçada a casar com um homem qual não nutria nenhum tipo de afeição. Acabando por buscar uma forma de fugir desse compromisso, mas caindo numa situação ainda pior após ser ludibriada e seduzida por seu cunhado. Homem que arruinou sua vida por completa, mas ela tem esperanças que um dia sua situação mude, e que seu marido a perdoe por seu erro e solte-a do cativeiro em que é mantida. Apesar disso tudo, ela continua uma linda jovem, com seu corpo delicado e traços gentis, cabelo castanho, pele pálida e olhos azuis suaves, além de uma personalidade dócil e um coração grandioso.



História do Personagem:


Sunny nasceu nos domínios de sua casa na Ilha dos Ursos. Sendo ela a filha caçula de Lyanna Mormont, desde muito pequena mostrou-se dona de uma inteligência e uma beleza sem igual. Típica nortenha aprendeu ainda muito jovem a ser forte e rígida em tudo que se propunha a fazer, mas a jovem não possuía em nada as características dos ursos Mormonts, na verdade era totalmente o oposto do que sua mãe foi um dia. Pois era uma jovem doce e muito prendada, chegando ao entendimento de sua mãe e seus demais familiares que o destino dela era casar com um Lord rico e construir um bom futuro a seu lado, no entanto não foi bem assim que aconteceu. Quando tinha cerca de quatorze anos, Sunny foi obrigada por seu irmão mais velho, Dorian Mormont, a casar com um senhor poderoso do Norte. Frustrada ela tentou de muitas formas fugir do compromisso, mas terminou mesmo foi sendo forçada a casar com um Lord aliado de sua casa, chamado Cardinale Manderly, o senhor de Porto Branco. Um homem sério e intimidador que para muitos tinha uma fama de sanguinário, Cardinale era conhecido em suas terras como o "corvo sangrento" e essa fama havia se espalhado pelos arredores do Norte e dos territórios vizinhos, quando ele pegou alguns salteadores roubando pelos arredores da faca branca e os obrigou a fugir enquanto ele os caçava, matando um a um das piores formas possíveis. O fato e que seu irmão admirava o Lord Manderly e no objetivo de reforçar a aliança entre suas casas, a obrigou a casar com ele.

O primeiro ano de casamento até que foi tranquilo Cardinale não era um exemplo de delicadeza, mas sabia trata-la de uma forma gentil e Sunny mesmo mantendo uma certa repulsa para com o Lord, cumpria sua função de esposa. Chegando até a lhe dar um herdeiro, cujo nome era Noah. Tudo estava bem até certo ponto na vida de ambos, e pode-se dizer que ela sentia-se feliz pelo menos com seu filho. No entanto tudo mudou com a chegada do irmão mais novo de Cardinale Manderly, um rapaz chamado Charles. Ele aproximou-se de Sunny e conseguiu atrair sua afeição, planejando junto com ela matar Cardinale e tomar seu lugar como senhor de Porto Branco, assim como casar com ela. Mas o que eles não sabiam e que nada passava despercebido naquele território sem que seu Lord soubesse, e quando Cardinale descobriu sobre o que Charles e Sunny planejavam, sua fúria recaiu sobre ambos, que respectivamente tentaram fugir. Mas não indo muito longe.

Já que Cardinale os encontrou e matou seu irmão arrancando sua cabeça, levando posteriormente Sunny de volta a Porto Branco e a prendendo em um dos aposentos de sua fortaleza, espalhando em seguida a historia de que seu irmão havia a sequestrado e estuprado, por isso tinha sido punido com a morte. Mas que quando o encontrou, Sunny já não estava mais com ele, levando-o a dar ela por morta, porém sem nunca ter encontrado seu corpo. Tal história espalhou-se pelo Norte como poeira ao vento e muitos acreditaram nela nos anos que se seguiram, entretanto atualmente Sunny e mantida presa por seu marido em aposentos isolados de Porto Branco a cerca de três anos. Descobrindo que cair na lábia de Charles foi o pior erro de sua vida, ou melhor, o pior erro de sua vida foi despertar a fúria de Lord Cardinale Manderly. Ela tem certeza disso toda vez que observa o céu através das janelas fechadas de seus aposentos, ou seria cativeiro?


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:


Criatividade: - 3
Força: - 1
Inteligência: - 3
Agilidade: - 2
Astúcia: - 2
Vigor: - 2
Oratória: - 1
Fé: - 2


Lady de Porto Branco

Tks Maay from TPO



Ficha aprovada

_________________


I am Mormont! I am Manderly! Pleausure sun...
Sunny?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Olyvar Tyrell em Qui Maio 11, 2017 11:16 am

Nome On: Olyvar Tyrell
Nome Off: Denis Torres
E-Mail: denizarthur_po@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Campina
Características do Personagem:

Fisicamente esbelto e atraente, possuindo consigo belas constituições corporais, robusto e com definições corporais avantajadas, embora que sem exageros. Seus cabelos são louros como do senhor seu pai e uma pele alva-leitosa, com um toque de gracejo que poderia atrair atenções do público feminino. Seus olhos são de um intenso azul, tão quanto o mar, passando um sentimento de curiosidade para quem o olha. Sua altura é em torno de um metro e setenta e oito para nove, com um peso equivalente e bem distribuídos em sua massa muscular.  

Já em questões psicológicas, o Tyrell é honrado e justo, sendo um dos nobres mais promissores da Campina ao cavalheirismo, gentil e cavalheiro para com aqueles que merecem. Sua educação fora baseada ao espelhar seu pai como um modelo de homem, qual seguiu cegamente até então. Desde a época de sus infância até sua maturidade nunca foram ouvidos relatos de confusões ou encrencas de sua parte, acabando sendo descrito como uma rosa sem espinhos, a verdadeira rosa. Talvez fosse exagero, mas ele também tinha um profundo orgulho sobre seu sobrenome e sua descendência histórica, bem como os status de sua família.

Claro, ninguém é perfeito, prova disso que também pôde ser considerado alguém com memória profunda, tendo um apreço especial em confundir vingança com justiça, e verdade seja dita, tão pouco era alguém religioso e temente aos Deuses, estava mais para uma pessoa ousada e soberba de sua posição.

História do Personagem:

Sendo filho do meio de alguns irmãos, Olyvar veio ao mundo com a incerteza do que esperar de seu futuro em Jardim de Cima, afinal o mais velho era o filho mais amado e o mais novo paparicado, sobrando apenas uma sombra entre os dois lados para este. Vivendo sobre um teto onde não detinha nenhuma expectativa sobre seu futuro, ele trabalhou durou para ser reconhecido como útil entre os seus familiares, dia após dia de dedicação aos treinos intensivos,vivendo na expectativa de ser aceito. De todos os modos, sua mãe era única e pequena exceção de que o amor materno poderia suprimir sua falta de notoriedade, isso se estivesse com ele. Criado distante de sua casa, fora educado na ilha da Árvore, sede dos Redwyne.  

Com Lord Redwyne finalmente aprendeu significado de ter um pai consigo e, com alguma ajuda do velho senhor, ele aperfeiçoou em técnicas marítimas e adquiriu um desejo de ter seu próprio navio. O tempo passou e ele estava errado, nunca poderia navegar pelo mundo com seus status de nobre e filho de uma das casas mais promissoras de Westeros. Ora, sendo solicitado pelo seu próprio pai, quando finalmente atingiu sua maioridade por lei, aos quatorze anos, foi mandado pelo próprio progenitor até Porto Real, a antiga fortaleza dos dragões vermelhos e nova dos negros, a família Blackfyre. Lá ele conheceu uma das Princesas e sua melhor amiga, quem aos poucos afeiçoou.

Vale salientar que o sentimento entre ambos era puro e sem quaisquer meios de malícia por ambas as partes, embora as vezes pudesse corar com o maldito sorriso da valiriana. Pôde se dizer que tenha ficado mais orgulho e ousado para atrair o dragão ao seu jardim de rosas. Quando fora mandado para capital, Olyvar jurou ao seu pai que não voltaria de mãos vazias e muito menos sem expressar o lema de sua casa, crescendo tão forte quanto. O verdadeiro objetivo era conseguir relações políticas fortes, desde que fosse discreto. Bom, tão pouco esperava que fosse apaixonar pela garota, ao ponto de ignorar os chamados de seu pai e cortar suas relações de obediência por umw paixão incerta.  

Portanto, aos quatorze, o rapaz cresceu e passou convivências com sua querida Naerys, vivendo em uma conturbada disputa pelo poder na côrte real dos Sete Reinos. Era provável que seu amor por aquela garota seria sua destruição, mas tão pouco importava mais com consequências de suas decisões, morreria feliz caído aos braços de sua amada. Sua posição era implícita aos demais, porém explícita a ele a Blackfyre, afinal ele era sua espada juramentada e seu amigo de infância, disposto a arriscar qualquer coisa por seu amor.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 01
Força: 04
Inteligência: 04
Agilidade: 02
Astúcia: 01
Vigor: 01
Oratória: -01
Fé: 01


Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Cardinale Manderly em Qui Maio 11, 2017 11:58 am



Cardinale  Manderly ...


Nome On: Cardinale  Manderly
Nome Off: Nathan Lopes
E-Mail: louco_nathan@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:

Cardinale não é um exemplo de homem admirável, apesar de ter um senso de justiça e se preocupar sempre com o bem estar de seu povo. Ele aprendeu desde muito pequeno o valor que sua casa possuía no Norte, e por esse motivo tornou-se arrogante e prepotente, coisas que só viriam a piorar com o passar do tempo, já que ele desenvolveu habilidades notáveis em combate e se transformou num sanguinário quando o assunto era inimigos. Exemplo disso foi os salteadores mortos que renderam-lhe a alcunha de "Corvo sangrento" e seu próprio irmão, a quem decapitou sem nenhum remorso ou piedade; em outras palavras ele é um homem intimidante e um pouco perigoso. Mas conhece o significado da palavra lealdade e a prática com seriedade perante seus suseranos e aliados, no entanto, nunca tentem o passar para trás, pois isso desencadearia um espírito de vingança implacável e impiedoso. Antigamente a única que conhecia o seu melhor lado, era sua jovem esposa Sunny, mas como ela o traiu, ele tornou-se ainda mais arrogante e prepotente do que era, tendo despertado de vez o seu pior lado. Porém ainda existe alguém que conhece suas qualidades; seu filho Noah para quem ele é um excelente pai. Todavia mesmo sendo esse tipo de homem mencionado acima, vale a pena ressaltar que ele também e um ótimo líder e governante para com seu povo, sempre inteligente e astuto em tudo que se propõem a fazer.

Cardinale é considerado um homem muito atraente, sempre vestido com vestes negras, possui um visual bem marítimo, com vestes que lembram um pirata. Ele possui uma pele pálida, cabelo negro e olhos azuis, capazes de intimidar qualquer um com um simples olhar. Porém também possui um sorriso característico que inspira malícia, mesmo que não seja muito visto ultimamente. Cardinale pode ser visto por muitos como um homem belo e notável, seja para o melhor ou pior.


História do Personagem:

Nascido nos domínios de sua família é primogênito de uma poderosa e tradicional casa do Norte, Manderly de Porto Branco. Cardinale desde muito pequeno foi treinado e educado para ser forte como inúmeros nortenhos tinham sido ao longo das eras em Westeros, era o herdeiro da casa Manderly e como tal esperava-se que fosse um grande Lord no futuro. Obviamente cresceu sobre a atenção de muitos em Porto Branco e por esse motivo desenvolveu uma arrogância e prepotência única, mas tais defeitos passavam despercebidos enquanto crescia como um ótimo guerreiro e líder. Sendo que com apenas treze anos já ocupava o posto de guerreiro mais habilidoso e astuto daquela região, claro que isso resultou na inveja e fúria de muitos, incluindo a de seu próprio irmão. O fato e que com apenas dezessete anos após a morte inesperada de seu pai, ascendeu como senhor de Porto Branco.

Como Lord era visto como justo e astuto, no entanto implacável e sanguinário com seus inimigos. Certa vez cavalgava pelas margens do Faca Branca, quando foi abordado por um grupo de salteadores que buscavam rouba-lo, mas para infelicidade deles, Cardinale os capturou e os obrigou a fugir enquanto ele os caçava e matava um a um. No final suas cabeças foram postas em estacas no caminho que dava para Porto Branco, dando a Lord Manderly a alcunha de "Corvo sangrento" que se espalhou como poeira ao vento por todo o Norte e territórios vizinhos. Sempre leais a casa Stark, Cardinale  elevou sua casa a um posto ainda mais poderoso que outrora, antes a mais rica, tornou-se ainda mais influente ganhando visibilidade em outros territórios. Sendo que com essa visibilidade que ele casou-se a primeira vez, porém sua esposa que era uma nobre da casa Royce do Vale não resistiu a uma doença rara e faleceu alguns anos após o casamento.

Foram anos mantendo-se viúvo e focado apenas no governo de suas terras, porém em determinada época numa visita a casa Mormont da Ilha dos Ursos, acabou por arranjar um casamento com uma das filhas de Lyanna Mormont. Uma linda e simpática jovem chamada Sunny; inicialmente seu casamento não foi um mar de rosas e Cardinale tinha certeza que a jovem o odiava, pois tinha sido forçada a casar com ele. Entretanto ela cumpria suas obrigações como esposa e pouco tempo após o casamento o presentou com um herdeiro, a quem chamaram de Noah. Depois disso ele passou a desenvolver certos sentimentos pela esposa e uma relação estável entre ambos surgiu, mas por pouco tempo. Uma vez que seu irmão Charles que o invejava havia retornado a Porto Branco após uma longa temporada em Essos, e de alguma forma ganhado à afeição da jovem Ursa, cego pelos sentimentos Cardinale não prestou atenção na trama que se desenvolvia em baixo de seu nariz. Charles havia seduzido Sunny e a ludibriado para ajuda-lo a matar Cardinale e tomar Porto Branco, embora não tivesse direito algum. Contudo toda essa trama foi descoberta pelo Lord Manderly resultando na fuga de seu irmão e da jovem Sunny.

Só que ambos não foram muito longe, Cardinale os capturou e decapitou seu irmão como punição por seus crimes. Levando sua esposa de volta a Porto Branco em seguida e a prendendo em aposentos isolados, onde a mantém desde então. Ele espalhou que seu irmão movido pelo ódio e inveja havia a sequestrado e estuprado e por esse motivo fora decapitado, mas antes de morrer o infeliz tinha se recusado dizer onde estava Sunny, levando-o a dar ela por morta. Quando na realidade ela é mantida presa, sendo que ele a pune usando o filho, não a deixando observar a criança a não ser de longe através das janelas de seus aposentos.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:


Criatividade: - 2
Força: - 2
Inteligência: - 2
Agilidade: - 3
Astúcia: - 2
Vigor: - 3
Oratória: - 2
Fé: -







Lord de Porto Branco

Tks Maay from TPO



Ficha aprovada

_________________
Lord of White Harbor-

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Ellery Tully em Qui Maio 11, 2017 12:18 pm



Ellery Tully...


Nome On: Ellery Tully
Nome Off: Anna Nucci
E-Mail: saviolefla@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras Fluviais

Características do Personagem:

Ellery é conhecida por ser uma jovem de coração puro e espírito indomável, ela e geniosa, destemida e corajosa, mas também delicada e doce. Sempre pensando no que é melhor para a sua família e seu povo, inicialmente ela não achou que seria capaz de se tonar uma grande senhora da casa Tully, entretanto acabou se tornando. Indo ainda muito além, e sendo o ponto de apoio do seu marido o Lord Tully e sua principal conselheira, pois apesar de jovem, ela e sempre muito inteligente e dedicada.

Sua aparência e um ponto a ser notado, pois ela nunca ligou para como se vestia, ou mesmo se era bonita ou não. No entanto, quando se casou descobriu que ela mais bela do que imaginava e passou a vestir-se como uma perfeita dama. Sempre com suas características madeixas avermelhas soltas e bem escovadas e um bonito vestido recaindo sobre seu corpo curvilíneo, Ellery possui uma pele alva e até mesmo pálida, olhos verdes e uma face dócil que sempre parece estar corada por algo, isso devido a suas bochechas sempre rosadas. Ela também possui um nariz empinado que demonstra um pouco de seu gênio altivo e lábios carnudos que enlouquecem seu marido nos beijos trocados. Sendo definitivamente uma bela e excelente jovem.

História do Personagem:

Sonhadora a jovem Ellery imaginava como poderia navegar por todo o mundo existente num dos barcos de sua família, o problema era que ela era uma jovem nobre e como tal, estava destinada a casar com um rapaz também de sangue nobre e constituir uma família, ou melhor, a próxima geração de uma família. Essa é a historia da jovem Ellery Tully...

Nascida é criada em Guardamar, Ellery é filha caçula do honrado Lord Mallister com uma senhora da casa Blackwood, como esperado de uma jovem da nobreza em Westeros, ele foi criada e educada para se casar com um futuro Lord e com ele dar continuidade à geração de alguma família nobre poderosa. Mas a jovem de madeixas vermelhas e pele pálida parecia não ter vocação para ser uma simples senhora, isso já era demonstrado por ela desde muito pequena, afinal ela não era prendada e muito menos interessada nas coisas que uma senhora nobre deveria aprender, não tinha interesse em bordar, ou moda, tampouco se importava com aparência e serviços domésticos necessários em um castelo, sua paixão mesmo era navegar nos barcos de sua família na companhia de seu pai. O que obviamente deixava sua mãe louca e as septãs responsáveis por sua educação à beira de um precipício, já que ela era educada sobre os costumes Ândalos, natural do seu território natal, as terras fluviais.

No entanto, mesmo contando com a cumplicidade de seu pai, Ellery ainda sim, tinha conhecimento que seu destino era tornar-se uma Lady e odiava isso. Por vezes sonhava em ter nascido em Dorne, onde poderia ser livre e fazer o que quisesse de sua vida, porém sua realidade estava muito longe disso, e assim cresceu a jovem Mallister, fugindo de suas aulas e tarefas e aprontando por toda Guardamar. Roubando a sanidade de sua mãe e das septãs responsáveis por sua educação. Certa vez enquanto acompanhava seu pai numa viagem a sede do poder nas terras fluviais, no caso ao castelo ancestral da casa Tully, Correrrio. Ela acabou por conhecer aquele que viria a ser seu futuro marido, o Lord do Tridente, Clive Tully. Um homem que ela julgou como muito belo e por quem nutriu um certo afeto contido, mas que tentou afastar de seus pensamentos, pois sabia que alguém como ele estava destinado a ter como companheira uma mulher educada, prendada e muito bela, diferente dela que não tinha interesse algum nessas coisas. Entretanto para sua infelicidade, Lord Tully era viúvo e no momento que a viu ficou imensamente encantado, resultando num compromisso formal entre eles. Contra sua vontade é claro, pois ela mesmo nutrindo certo afeto pelo homem, talvez por sua beleza e forma de se portar, jamais queria um casamento.

Disposta a desfazer o compromisso ele tentou de inúmeras formas livrar-se do Lord, mas nada dava certo e o Tully só parecia cada vez mais encantado por ela, e pode-se dizer que foram muitas tentativas para por fim naquele futuro casamento, todas elas falhas. Ellery tentou e planejou, mas no final, terminou mesmo foi casada com ele numa cerimonia memorável em Correrrio. Mesmo ela tendo tentado fugir...

Inicialmente o casamento não foi muito tranquilo, uma vez que até para consuma-lo foi uma batalha entre ela e o Lord, contudo o afeto existia e ela terminou cedendo para o mesmo e tornando-se de fato sua esposa. Apesar de continuar sempre geniosa e sonhadora.

Na atualidade, Ellery está muito feliz com seu marido e com os filhos gêmeos que possui com ele, Bryden e Jason. Vale a pena ressaltar que ela e um dos pilares que sustentam o Lord e torna seus dias felizes e memoráveis, apesar dos problemas de governo enfrentados no Tridente.

Esse é apenas um breve resumo sobre a vida da jovem Lady Ellery Tully.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: - 2
Força: - 2
Inteligência: - 3
Agilidade: - 2
Astúcia: - 2
Vigor: - 2
Oratória: - 1
Fé: - 2

Lady Tully

Tks Maay from TPO



Ficha aprovada

_________________



Ellery (Mallister)Tully
Acima do resto.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Steffan Baratheon em Qui Maio 11, 2017 1:53 pm

Nome On: Osmund Baratheon
Nome Off: Bento
E-Mail: bentojuniorjor@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras da Tempestade
Características do Personagem: Alto e muito musculoso, ele tem olhos azuis e cabelo preto e grosso. Vingativo, porém cauteloso, devido à sua juventude, teme não ser digno de portar o martelo ancestral da casa Baratheon. Apesar dos receios é um bom guerreiro, bom diplomata e bom comandante.
História do Personagem:
O dia chegara, cedera seu lugar à noite e a mesma à madrugada e Lady Mya Tully não conseguia dar a luz ao bebe que esperava de Sor Orys Baratheon. A chuva castigava o castelo de Storm’s End. Uma tormenta como nunca antes vista. Chuva grossa e intensa, uma forte ventania, ondas enormes chocando-se contra as pedras do precipício sobre o qual o castelo fora construído. Era o início de uma manhã sem sol, quando a lady dá a luz a seu segundo bebê, o primeiro filho homem.
Osmund tem poucas lembranças da infância, todas elas envolvem ou cavalgar, ou destruir coisas com seu pequeno martelo de guerra, ou ambos. À medida que foi crescendo, Osmund foi sendo treinado para substituir ser como o pai, sendo ensinado pelos meistres e pelo próprio pai, o que deveria saber sobre ser um cavaleiro e comandar exércitos, além de história de Westeros. O rapaz não era muito de fazer amigos, porém estava sempre cercado por um bando de dez garotos, todos eles escolhidos pelo próprio garoto entre os filhos dos grandes senhores da tempestade, para treinarem juntos e eles serem quase que como uma guarda pessoal do rapaz, por isso Osmund normalmente não pegava os herdeiros dos vassalos, os quais preferia manter um relação mais diplomática, além de não colocar em perigo a linha de sucessão das casas.
O rapaz Baratheon sempre teve dois grandes nomes nos quais se espelhou, Rei Robert Baratheon e seu filho bastardo Gendry. Cada qual com sua história de combate. Robert e seu épico duelo contra Rhaegar Targaryen na batalha do Tridente, Gendry e seu empenho ao lado da Irmandade Sem Estandartes na Batalha da Aurora. Ambos com um elemento em comum, o martelo de batalha, arma preferida pelos guerreiros que mais se destacaram na família, desde Orys, o fundador da Casa Baratheon. Orys sempre carregava consigo seu martelo de guerra, que posteriormente fora passado de geração em geração pelos Baratheon, criando-se um mito de que se tinha de merecê-lo para portá-lo. Robert usara a arma ancestral, um presente que Orys ganhara do próprio Rei Aegon, para dizimar quase por completo a linhagem do dragão, matando Rhaegar no tridente. Após Daenerys conquistar o trono, a arma estava entre os itens que foram devolvidos aos Senhores da Tempestade, como forma de darem garantia de que devolveriam os artefatos que Robert tirara de Porto Real e escondera em Ponta Tempestade. Crânios, tapeçarias e até objetos feitos com vidro de dragão. Com isso, o mito do porte por merecimento apenas aumentou. Orys, o pai de Osmund, era um exemplo dos que não se provaram merecedores de portar tar artefato, era mais um diplomata e administrador do que um guerreiro, e a falta de gosto pela batalha era o único ponto que lhe faltava para portar a arma ancestral. Porém a obsessão de Osmund e suas árduas jornadas de treino com seu pequeno bando, já conhecidos como Manada Furiosa, estavam quase prontos a ser colocados à prova.
Era um dia anormal em Ponta Tempestade, a chuva dava lugar a uma névoa e a resistentes raios de sol que penetravam nas brechas das nuvens. Osmund estava, como sempre, treinando com seu bando desde antes da hora do alvorecer.  Estavam em um dos mais complicados, o de concentração e equilíbrio, quando um servo chegou para chamar o jovem. Péssimas notícias, o meistre acreditava que Orys havia sido envenenado e Osmund tinha muitas razões para desconfiar quem tivesse feito aquilo. Apesar de ser querido por muitos, Orys havia feito alguns inimigos, como a Casa Baratheon era uma das grandes oposições ao atual governo do trono de ferro, Osmund em sua cabeça tinha quase certeza que fora um dos vassalos, os Connington que, além de não gostarem de Orys, tinham um relacionamento muito próximo com os reis Blackfyre devido a Jon Connington, Gryff, ter criado Aegon I Blackfyre desde que era pequeno, o Jovem Gryff. Era no meio da manhã e antes do meio dia, Sor Orys Baratheon se fora, deixando o legado do nome nas mãos de Osmund. A essa responsabilidade se somavam a vontade de se mostrar como o melhor e o desejo de vingança pela morte do pai...
Osmund fora nomeado cavaleiro pelo pai, no leito de morte, transformando assim o rapaz, no principal homem dos exércitos à disposição de sua prima, a Lady da Tempestade...


Ramo Secundário
- Sor Osmund Baratheon, primo de Lady Ella e um dos comandantes dos exércitos.
- Sua esposa, _______ da casa ______


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 1
Força: 3
Inteligência: 2
Agilidade: 3
Astúcia: 2
Vigor: 3
Oratória: 2
Fé: -


Ficha aprovada. Favor enviar MP com a trama do ramo secundário e o local em que eles vivem.


Última edição por Osmund Baratheon em Qui Maio 18, 2017 5:50 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Desmera Tyrell em Sex Maio 12, 2017 5:29 am



Growing Strong...


Nome On: Desmera Tyrell

Nome Off: Thiago Braga

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Campina

Características do Personagem: É uma mulher extremamente calculista e fria em suas decisões, embora ame incondicionalmente seus familiares, o que sempre foi sua qualidade redentora. Com a idade avançada, não possui limites em seus discursos, sendo por vezes rude ou simplesmente importando-se muito pouco com o juízo que se tem dela. Histórica por produzir mulheres fortes, a Casa Tyrell é bem representada por Desmera, que recebeu a alcunha do povo e dos muitos nobres que já a conheceram de Rainha ou Senhora dos Espinhos, como sua antepassado, Olenna Tyrell, uma mulher que de fato governou a Campina até sua morte aos cento e cinco anos. É culta, e treinada em política e nos costumes clássicos de seu povo. É uma mãe carinhosa, e deseja mais que tudo proteger o único filho que pôde produzir, Joseph. Ela não sobreviveria à outro parto, o que sempre a entristeceu muito. No entanto, vê em seus netos a figura dos filhos que não conseguiu produzir, fazendo mais o papel de mãe para eles e decidindo sobre suas vidas no lugar da esposa de seu filho.
  Desmera é uma voz de comando, mas principalmente, de visão. Ela sempre mede cada gesto de sua Casa, e as consequências de cada decisão. É orgulhosa e extremamente perdulária. Ama os prazeres que a comida de Jardim de Cima podem proporcionar, e é uma mulher tolerante com qualquer tipo de particularidade. Conhecida como uma benfeitora de bardos e cantores, sempre mantém alguns em seu séquito, bem como cerca de quinze donzelas de famílias nobres da Campina, as quais ela convida para ensinar. No jogo dos tronos, e na vida como uma Senhora. Uma delas foi a sua nora, escolhida por ela para o seu filho enquanto era ainda muito jovem. Ela treina moças de toda a Campina, e é reponsável por arranjar a maior parte dos casamentos dos vassalos de seu filho. Desmera também possui um lado sombrio, já que seria capaz de qualquer coisa para assegurar o que lhe pertence, e ao seu filho. É frustrada com a relação de seu neto com o Trono de Ferro, extremamente ofendida pela ligação de Olyvar com uma Blackfyre. Furiosa, têm insistido para que Joseph o convoque de volta, sem resposta. Tal situação pode significar o limite de seu temperamento, que não deve ser provocado por ninguém.


História do Personagem: Desmera era a filha mais velha de Leorian Hightower, e foi escolhida dentre todas as donzelas da Campina para casar-se com Garlan, filho de Willas Tyrell. A partir de então, cresceu como uma influência sobre seu marido, utilizando o apoio de seu irmão, anterior Lord Hightower, para fortalecer e assegurar a paz da Campina. Ao lado de seu marido, ela manteve uma aliança distante com os Blackfyre, permitindo o comércio comum que realizava com o governo anterior, de modo a manter o equilíbrio do reino. Com mãos de ferro para a economia, poupou dragões e mãos Gardener (moeda única da região da Campina, em que duas mãos de ouro equivalem a um dragão), apenas ampliando a riqueza crescente de seu marido. Quando Garlan morreu, já aos quarenta e sete anos, por uma infecção nos rins, assumiu o controle das funções de sua família, ensinando seu filho na arte da governança e afastando-se cada vez mais enquanto ele tornava-se ainda mais capaz. Como Joseph fora feito cavaleiro e treinado na espada a vida inteira, foi dela que ele aprendeu o necessário para jogar o Jogo dos Tronos.
Habilidosa, arranjou o casamento de uma donzela Redwyne com o Lord do Vale, bem como o casamento de uma Fossoway com seu sobrinho, Lord Hightower. Escreve e recebe cartas de toda Westeros, de Lords pedindo esposas do sul para seus filhos. Solenemente recusa qualquer oferta Lannister, permitindo contudo alianças com alguns vassalos influentes em seus domínios, como medidas de prevenção. Conhecida pelo seu insentivo à arte e por manter uma rede de espiões, pouco passa despercebido à esta figura carismática e icônica da Casa Tyrell. Suas frases de efeito e zombarias são conhecidos de todos os Sete Reinos. Nem mesmo o Trono de Ferro escapa de sua atitude blazé habitual. .
Com o conflito entre os Martell e o Trono de Ferro, Desmera aconselhou seu filho a não manifestar-se sobre sua posição diante do assunto. Tanto Dorne quanto as Terras do Ocidente fazem fronteira com a Campina, e ela não desejava uma guerra até que fosse inevitável. Neutros, assegurariam que todos os lados continuassem almejando seu apoio, e os corvos de fato viriam. Mas os Tyrell não partiriam em uma cruzada insana novamente, não depois da traição da Rainha Louca. O Julgamento Verde não se repetiria enquanto ela estivesse por perto. Conhecia a história e vivera o bastante para conhecer também seus adversários. Os Lords verdes e imberbes atuais não a intimidavam. Sob sua tutela, tanto Joseph quanto seus netos cresceriam fortes. Só então poderia ter alguma paz para encerrar sua vida. Não antes disso.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: - 2
Força: - 1
Inteligência: - 4
Agilidade: - 1
Astúcia: - 3
Vigor: - 1
Oratória: - 3
Fé: - 1

Queen of Thorns...
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah



Ficha aprovada

_________________

Queen of Thorns...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 6 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum