Os Sete Reinos

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Os Sete Reinos

Mensagem por O Corvo em Qua Mar 08, 2017 10:31 pm

Relembrando a primeira mensagem :


Ficha de inscrição

Regras Gerais

Buscando simplificar o acesso aos grupos de cada região e até mesmo ao tão sonhado título da nobreza, o JDT desenvolveu uma ficha de inscrição para apresentar os aspectos essenciais da personalidade e da trama de seu personagem. Queremos conhecer sua história, mas queremos lhe dar espaço para desenvolvê-la com o decorrer do tempo, alterando o necessário, acrescentando o que entender melhor e enriquecendo sua experiência aqui. Assim,quando da construção da sua ficha, basta observas as regras a seguir:

01. Para que sua ficha seja aceita, será necessário Nome e Sobrenome. Ex: Richard Collins. Logo, todas as informações devem ser preenchidas de forma correta, não aceitaremos nome de personagens que fujam do padrão. Ex: Cold_Miller ou Broon.Carter. Caso seu personagem seja UM BASTARDO RECONHECIDO pelo genitor nobre, poderá usar os nomes dados aos mesmos em cada região, quais sejam:

Norte = Snow
Vale de Arryn = Stone
Terras Ocidentais = Hill
Terras da Coroa = Waters
Terras da Tempestade = Storm
Terras Fluviais = Rivers
Campina = Flowers
Ilhas de Ferro = Pyke


02. O personagem que morrer, entrará para o grupo dos Mortos, não podendo postar fora de Para-lá-da-Muralha.

03. Não se esqueça de determinar a região de Westeros a qual seu personagem pertence. Norte – Vale de Arryn – Terras Ocidentais – Dorne – Terras da Coroa – Terras da Tempestade – Terras Fluviais – Campina – Ilhas de Ferro.

04. Não se esqueça de dar um cargo ao seu personagem. Você pode encontrar nossa lista de cargos clicando aqui.

05. Cada cargo receberá um salário pré-determinado. Você pode encontrar os salários de cada cargo clicando aqui.

06. Apenas os cargos que detêm mais poder terão suas vagas reguladas. Em virtude disso:
a) Cada player PODERÁ POSSUIR ATÉ TRÊS CONTAS LORDS/LADY ou SENESCAL (YI-TI).
b) Cada player SÓ PODERÁ POSSUIR UMA CONTA NO PEQUENO CONSELHO, e está conta NÃO ENTRARÁ na contagem do item anterior.
c) Caso seja seu desejo ADOTAR UMA CONTA JÁ CRIADA, deve-se sempre observar a regra do primeiro item.


07. Cada player poderá escolher até três habilidades inciais. Isso significa dizer que nas três habilidades escolhidas, os players receberão de imediato o nível 03, seguindo o aprimoramento a partir dai. Dentre essas habilidades, deve-se obrigatoriamente escolher UMA HABILIDADE CRIATIVA, UMA HABILIDADE FÍSICA E UMA HABILIDADE DE CONHECIMENTO. A lista de habilidades você pode encontrar clicando aqui.

08. É proibido que um mesmo OFF tenha mais que 2 (duas) contas Lorde/Lady numa mesma região (reino), a menos que os seus personagens se tornem por progresso na trama dos mesmos.

09. A história de seu personagem teve possuir no mínimo 250 palavras. Textos menores que isso não serão lidos/avaliados.

10. Você deverá distribuir 16 pontos entre os atributos pré-estabelecidos. Fichas cuja distribuição ultrapassar 16 não serão lidas.

11. Fica proibida a criação de fichas para casas nobres (grandes ou menores), magistrais, cavaleirescas ou clãs com menos de três membros vivos e ativos.



Lannister, Targaryen, Baratheon, Stark, Tyrell... são apenas raios de uma roda.

Sete Reinos

Aqui se reúnem as fichas das pobres almas que povoam os Sete Reinos.

[MODELO DE FICHA]

Nome On: (Nome do Personagem)
Nome Off: (Seu Nome e Sobrenome)
E-Mail/Skype/Instagram: (Para contato)
Sangue: (Pode escolher entre Legítimo ou Bastardo).
Cargo: (Ocupação do seu personagem)
Habilidades Iniciais Escolhidas:(1 física + 1 de conhecimento + 1 astuciosa)
Região Pertencente: (Região de origem do seu personagem).
Características do Personagem: (Descrições físicas, psicológicas, atributos, entre outros que possam caracterizar seu personagem).
História do Personagem: (Breve resumo da trama que deseja criar para seu personagem)
Árvore Genealógica:(Opcional)


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: -
Força: -
Inteligência: -
Agilidade: -
Coordenação Motora: -
Vigor: -
Oratória: -
Fé: -


Última edição por O Corvo em Qui Jun 01, 2017 6:43 pm, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo


Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Alyna Velaryon em Qua Maio 31, 2017 3:19 pm




House Velaryon


Nome do Personagem: Alyna Velaryon
Nome OFF: Keiko
E-mail: babikeiko@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região pertencente: Terras da Coroa
Característica do personagem: Desde criança a menina possui uma personalidade forte. Determinada, Alyna não costuma voltar atrás em suas decisões, e governa Derivamarca com sabedoria e astúcia. É bondosa para com o povo, mas odeia seu irmão Aurane — afinal ele tentara assassiná-la com o auxílio do tio. Possui uma mente aberta e coração grande e, mesmo com isso, as pessoas não são tolas para tentar enganá-la.  Consegue se portar como uma dama, fina e recatada, mas também consegue ser brincalhona e sempre tem uma resposta pronta na ponta da língua. Gosta das coisas organizadas, e é extremamente boa em tudo que faz, mesmo que prefira espadas a tecidos, afinal ela treina todos os dias combate armado com Johan, o capitão de sua guarda pessoal — a loira prefere adagas, mas também consegue se virar muito bem com espadas e afins. Alyna é uma garota prestativa, que gosta de caminhar entre as pessoas comuns em Derivamarca, e detesta navegar, pois sempre se sente enjoada. Sempre acorda mais cedo para ver o nascer do sol, e gosta de passear a cavalo. Sempre foi muito ligada à irmã mais velha, a rainha Rhaenys, e admira a mais velha plenamente. Alyna não é alta, possuindo cerca de 160 cm. Os cabelos são loiros — chegando quase a serem brancos — e os olhos são verdes, mas com um leve tom arroxeado perto da pupila, servindo para lembrar sua descendência Valiriana.

História do personagem:
Alyna Velaryon é a última filha do antigo lord de Derivamarca, Rhaego Velaryon e de sua esposa, Alyssa Velaryon, prima de Rhaego. Desde criança sempre fora tratada como uma verdadeira princesa, sendo mimada pelos pais, pelos irmãos mais velhos, Rhaenys e Aurane, e pelo tio, Damon. Ela cresceu em graça, beleza e inteligência, sendo admirada por todos da casa e pelas pessoas de Derivamarca.

E, quanto ela crescia, uma sombra de inveja crescia em seu irmão mais velho.

Quando a menina completou quatorze anos, seus pais foram mortos por uma doença misteriosa, a vida de Alyna virou de cabeça para baixo. Seu irmão, Aurane, havia tomado o posto de Lord em Derivamarca e manteve a menina em casa todos os dias, aprendendo a ser uma dama, como era desde o começo, enquanto sua irmã fora levada para Porto Real para se casar com Daemon, conforme havia sido planejado pelo lord de Derivamarca.

O que ninguém sabia, nem mesmo a amada irmã de Alyna, era sobre as humilhações e maus tratos que ganhava do irmão. Para proteger a casa e as outras pessoas que estavam ali com ela, a menina sofria calada tudo que seu irmão lhe proporcionava. Até que, aos seus dezessei anos, resolveu revidar, treinando secretamente o uso de espadas e adagas com Johan, o atual capitão de sua guarda pessoal.

E, aos dezessete anos, ela sofreu o primeiro baque de sua vida quando seu irmão, com a ajuda de seu tio, tentou matá-la enquanto passeava pelos jardins à noite, mas graças à sor Johan sua vida foi salva. Com raiva e mágoa, a menina mandou prender o mais velho, enquanto o tio foi condenado à morte. Determinada, Alyna tomou Derivamarca e a governou com inteligência e sabedoria, o fazendo até hoje.  


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: -
Força: 2
Inteligência: 4
Agilidade: 1
Astúcia: 4
Vigor: 1
Oratória: 2
Fé: 2

Família:
— Lady Alyna Velaryon, 22 Anos, Senhora das Marés, Mestre de Derivamarca
— Seu pai, Rhaego Velaryon, 55 Anos, morto por uma misteriosa doença;
— Sua mãe, Alyssa Velaryon, 54 Anos, morta por uma misteriosa doença;
— Sua irmã, Rhaenys Blackfyre, 38 anos, casada com o rei Daemon Blackfire
— Seu irmão, Aurane Velaryon, 26 Anos, foragido por tentativa de assassinato de Alyna;
— Seu tio, Damon Velaryon, 49 Anos, morto por cúmplice na tentativa de assassinato de Alyna;





Ficha aprovada


Última edição por Alyna Velaryon em Qui Jun 01, 2017 10:22 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Mirianna Lannister em Qui Jun 01, 2017 5:33 pm




House Lannister


Nome do Personagem: Mirianna Lannister
Nome OFF: Keiko
E-mail: babikeiko@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região pertencente: Terras Ocidentais
Característica do personagem: A filha mais nova do antigo lord do Rochedo é uma jovem fofa, inteligente, carismática,  doce e meiga. Ou pelo menos um lado dela, já que a moçoila sabe como e quando ser durona, principalmente em se tratando de seu irmão, a quem morre de ciúmes.  Sempre com um sincero sorriso em lábios, a jovem Lannister consegue cativar a todos que estão à sua volta. Está sempre pronta para ajudar aqueles que precisam, independente de serem bons ou maus. O coração puro da loira sempre fala mais alto. Incapaz de ferir ou usar as pessoas, a garota sempre corre o risco de ser enganada. Possui melhores amigos, e costuma cuidar muito bem de todos. Não costuma ser uma garota egoísta, mas possui muito cuidado para com todos que lhe são valiosos, sendo o completo oposto da geral personalidade Lannister.

História do personagem:
Mirianna Lannister nasceu em uma manhã ensolarada, e aparentemente absorveu o calor do sol em seu coração, pois o mesmo é caloroso e bondoso, sempre falando mais alto do que sua razão — o que, geralmente, acaba por levá-la a agir por meio de suas emoções. Um de seus maiores sonhos é ver um dragão.

Nascida entre os Lannister, a menina sempre manteve em sua mente que precisava agir como um membro da casa. Fina, delicada, educada e sagaz, a moça não costuma erguer a voz ou agir de forma agressiva, mantendo a compostura e educação sempre. Mantém um sorriso sincero e amigável nos lábios. Apesar disso, consegue ser firme em suas decisões, e não costuma voltar atrás quando decide algo.

É madura para a pouca idade, e tem pensamentos corretos e justos. Quando criança, às escondidas, aprendeu como usar uma adaga, pois a arma é pequena e pode ser escondida facilmente. É uma jovem fofa e carismática, de boa comunicação. Certamente ama seu irmão, sendo muito ligada a ele. Ainda lamenta a morte dos pais, e costuma fazer uma prece para eles todos os dias.

É uma moça magra, mas com curvas notáveis que se destacam por meio de seus elegantes vestidos vermelhos que costuma usar. Costuma usar uma coroa de flores na cabeça. Os fios loiros estão sempre bem alinhados graças aos ensinamentos de sua mãe de como domar o cabelo rebelde. "É como cuidar de uma pessoa", dizia a mãe. "Trate-os com carinho e cuide muito bem. Seu cabelo é lindo, Mirianna."

Palavras que ela nunca esqueceu.

A moçoila nunca saiu de dentro dos limites do castelo, pois sua mãe julgava perigoso para uma futura lady ficar do lado de fora, e o máximo que ir era até os jardins, e sempre estava acompanhada ou por suas damas de companhia ou por algum cavaleiro.

Porém, por debaixo de toda a bondade da menina, havia algo a mais. Um pouco de maldade que fazia jus ao lema dos Lannister: "Ouça-me Rugir". Mirianna tem apenas um único desejo, guardado às sete chaves, e que jamais deixaria alguém saber, principalmente seu irmão.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 2
Força: 1
Inteligência: 4
Agilidade: 1
Astúcia: 4
Vigor: 1
Oratória: 2
Fé: 1

Família:

+ Lord Romeo Lannister, Senhor de Rochedo Casterly e Protetor do Oeste.
   - Sua irmã, Mirianna Lannister, 19 anos
- Sua mãe, Elena Lannister, 52 anos †
- Seu pai, lorde Tytos Lannister, 55 anos †
- Seu avô, Jaime Lannister, 75 anos †
- Sua avó, Jeyne Lannister, 70 anos †





Ficha aprovada


Última edição por Mirianna Lannister em Qui Jun 01, 2017 5:51 pm, editado 1 vez(es)

_________________

♥️Mirianna♥️
 Hear Me Roar | A Lannister always pays his debts

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Valkyrie Frey em Qui Jun 01, 2017 5:44 pm



the red lion

Nome on: Valkyrie Frey

Nome off: Serafim

Skype: the_serafimmm

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Terras Fluviais

Características do Personagem:

Zelosa e perigosa. Duas palavras que descrevem muito bem Valkyrie. Com uma perícia em venenos sem igual, a mulher destrói seus inimigos a sangue frio, sempre encontrando uma maneira de resolver seus problemas sem que sequer pensem em seu nome. Engenhosa, a Frey sempre arquiteta algum tipo de plano para conseguir seu objetivo, seja ele conseguir ou esconder algo. Em compensação, Valk é uma mulher doce (apenas em determinados momentos) e amorosa, principalmente para com seu filho, Esmond. Com o passar dos anos, se tornou uma atriz nata, podendo estar com uma vontade assassina no corpo, mas estar com um sorriso doce no rosto.

História:

Originalmente nascida na Casa Brax, Valkyrie era a mais nova dos três filhos do lorde de Valecorno. Sempre fora a menor, e perto de sua irmã mais velha, tinha uma beleza... Inferior. Teve uma infância bastante conturbada, já que sua irmã era uma verdadeira peste em sua vida, querendo deixar claro para a menina que ela nunca iria casar. Inocente como era, Valk se deixava levar pelos insultos e brincadeiras de Lilinna.

Com o passar do tempo, contudo, a Brax mais nova começou a perder sua inocência de criança, e as provocações de sua irmão não surtiam tanto efeito quanto a mais velha queria. Em seus estudos com Meistre Alaric, a menina descobriu uma grande paixão: a arte dos venenos. E, bem, ela aprendia rápido demais para a uma adolescente de sua idade, e por ser tão nova, certos pensamentos tomaram conta de sua mente, fazendo com que, em um acesso de raiva, Valk cometesse um dos maiores erros de sua vida.

Com a morte precoce de Lilinna, cabia agora a Valkyrie continuar o legado da família, mesmo que Tytos fosse o herdeiro. Seu pai não se importava muito com a menina, e vendo que a situação da Casa estava em perfeita condição, casou a menina com o primeiro pretendente que lhe apareceu. Ele mesmo, Garric Frey.

Se casaram quando ambos fizerem seus 16 anos. Mesmo que com um mau começo, o jovem era um homem bom com Valk, que sentiu uma pequena centelha de esperança de se apaixonar por ele. Para sua maior sorte, o herdeiro não puxara a parte... "Feia" de seus descendentes, e sim aos Lannister, tendo cabelos loiros cacheados e pele pálida. Por ser o único herdeiro de seu pai, a responsabilidade recaída sobre os ombros da Brax se tornara imenso, e tal responsabilidade quase foi sua ruína.

Levou mais de um ano para que Valkyrie viesse a engravidar pela primeira vez. A alegria fora tão grande que Garric festejou com ela durante dias e noites. Até mesmo o nome do belo garoto que nasceria já tinha sido escolhido! Contudo, a felicidade não durou. Duas semanas depois, a jovem acordara em uma poça de sangue, indicando que a criança se fora.

Dois anos depois, tentando, e não conseguindo engravidar, Valk recebeu a notícia: seu irmão estava prestes a se casar. Com um convite caro e bem detalhado, esbanjando a riqueza dos Brax. No dia do casamento, Garric e Valkyrie foram para a festa, e lá, horas antes do matrimônio, foi descoberta a segunda gravidez.

Três meses se passaram até que viesse a notícia: tinha perdido seu bebê. Com a morte das duas crianças, Garric começava a se irritar com Valk sem motivo, chegando a quase bater na mulher em acessos de raiva. O meistre dos Frey começou a dar alguns remédios e chás que fariam a mulher engravidar novamente mais rápido, e para a surpresa da mulher, deu certo. Contudo, não festejaram como o esperado, apenas ficaram felizes com a notícia, tanto as servos da fortaleza quanto Garric. A felicidade se tornou maior quantidade do ela começou a sentir contrações. Finalmente, depois de sete anos, ela conseguiria um filho?

A criança nascera morta, sem nem mesmo a chance de tentar lutar pela vida. O que a Brax estaria fazendo de errado? Porque não conseguia gerar um filho? Quando tudo estava sendo guardado, Valkyrie começou a sentir as contrações de novo. O rosto do meistre se iluminou, e isso acalmou acalmou o rosto aflito da mulher. O choro da segunda criança preencheu o quarto, como um música.

Com o passar dos anos, seu filho, seu primogênito, crescia. As tentativas de um segundo filho vinham e iam, e cada vez mais o casamento com Garric ficava mais fraco, mais delicado. Quando em um dos abortos, Valkyrie quase morreu, o homem disse para ela esquecer. – Esmond terá que ser o suficiente – foi o que lhe falou.

Os anos continuaram a passar, e agora o casamento dos dois era pura atuação. Na frente dos convidados, um casal feliz, cheio de amor, mas fora do palco, quase não se falavam, chegando até a dormir em quartos separados. Vendo a maneira como o homem tratava seu único filho, e com sua habilidade em venenos melhor do que nunca, Valkyrie o envenenou com lágrimas de Lys. Em pouco tempo, Esmond era o lorde. Ela sabia que ele não estava exatamente preparado, afinal, quem estava quando se tornava o líder de uma Casa? E com sua experiência, como lady da Fortaleza de Darry, a Frey ajudou seu filho.

Atributos:

Força - 1
Inteligência - 4
Agilidade - 1
Astúcia - 2
Vigor - 3
Oratória - 3
Fé - 2


Valkyrie Brax Frey, the red lion



Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Draymond Dustin em Qui Jun 01, 2017 6:36 pm

Draymond Dustin

Nome On: Draymond Dustin
Nome Off: Caio Cordeiro
E-Mail: caiovcpereira@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Norte
Características do Personagem: Draymond é um homem já bastante vivido e experiente em todos os campos que a vida lhe propôs, um homem astuto e orgulhoso, não se abala por nada e por ninguém, não se importa com ninguém além dele mesmo e de seus filhos. Adora caçar e se alimentar da própria caça, seu harém é seu espaço de maior prazer e orgulho. As vezes demonstra ser um homem frio, calculista, orgulhoso e impiedoso, e por vezes ser um cara de bem com a vida, pai carinhoso e um lorde que pensa na felicidade de sua nação.

História do personagem:
Nascido e criado nas terras de sua família, desde pequeno Draymond caçou seu próprio alimento, o tornando um homem responsável, astuto e corajoso desde muito cedo. A sua infância não foi muito diferente de vários primogênitos do norte, sendo treinado para matar e caçar qualquer coisa, qualquer pessoa que ousasse entrar em guerra com o seu povo, aprendeu a arte de guerrear e de comandar, sendo um líder desde muito cedo.

Como de costume no norte, ele possuía mais 3 irmãos, nenhuma mulher, por incrível que parecesse, todos muito diferentes do irmão mais velho, tendo a família sempre em primeiro lugar e sempre protegendo Draymond, quando o mesmo precisava de ajuda ou proteção.

Já Draymond era totalmente diferente, nunca suportou a ideia de obedecer aos seus pais, e por isso saiu de casa, em um tipo de missão, e foi para Winterfell, onde os seus familiares tinham vários amigos, e o Lorde Stark da época era amigo de infância de seu pai, o Lorde Jason Dustin.

Em Winterfell, o jovem Dustin, agora com seus 19 anos, conheceu várias moças, pretendentes que vinham conhecer os futuros  Lordes Stark e Dustin, mas nenhuma interessava o segundo, tendo o primeiro já encontrado à sua pretendente, a segunda filha de um Lorde nobre poderoso, Draymond não achava e nem se encantava com nenhuma mulher, apenas uma moça que apareceu uma vez, no jantar de noivado do primogênito Stark e da Lady filha do Lord mencionado, seu nome era Kassandra Cerwyn, esta encantou os olhos e esquentou o coração de guerreiro de Draymond, ambos começaram a namorar e pouco tempo depois se tornaram noivos.

Aos 24 anos, Draymond e Kassandra já dominavam as terras de sua família, já que seu pai, Lorde antecessor à Draymond, havia falecido 2 anos antes do regresso do jovem Dustin.

Com 28 anos, Draymond Dustin perdeu sua mulher que foi morta por assassinos contratados por uma casa desconhecida, em uma das viagens para Winterfell, aquilo abalou o  Lorde Dustin que se fechou mais uma vez, se perdendo no mundo da caça e da diversão erótica.

Com 30 anos, Draymond era um homem conhecido por todo o Norte, talvez até por toda a Westeros por conta de suas atitudes e estratégias que o tornaram conhecido em guerras ou conflitos que tiveram no norte para posse de terras e casas menores, tendo sempre a ajuda dos Stark.

Durante uma de suas viagens para Porto Real, acabou conhecendo uma jovem bastarda, muito linda, e um pouco mais nova que ele, não passava de 15 anos de diferença entre eles, o mesmo se encantou pela segunda vez, mas de um jeito diferente, então a tomou para si, fazendo com que a mesma se tornasse serva dele, fazendo tudo que o seu dono ordenava.

Atualmente, com 32 anos ele vive concentrado em criar seus dois filhos, o seu herdeiro e sua filha mais nova, e também ajuda os Stark com estratégias de guerras e de invasões para que ambos expandam seus domínios.
Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade:3 -
Força:4 -
Inteligência:4 -
Agilidade:2 -
Astúcia:1 -
Vigor:2 -
Oratória:0 -
Fé: 0
Obs.: Não ultrapasse 16 pontos.


.

Can you feel the pressure between your hips?

thank you weird for lotus graphics!



Ficha aprovada


Última edição por Draymond Dustin em Dom Jun 04, 2017 10:44 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Melania Forrester em Dom Jun 04, 2017 8:08 pm

Ficha de Personagem


Nome On: Melania Forrester

Nome Off: Joana Bettencourt

E-Mail: skype: eleanor_tyrell

Sangue: Legítimo

Região Pertencente:Norte

Idade:  35 anos

Cargo: Senhora de Ironrath

Características do Personagem:
Melania viveu parte da sua vida em dor e agonia por causa da perda de seu filho, Redwald, mas com o nascimento de suas duas filhas, ela voltou a ganhar suas forças, se mostrando novamente uma mulher de persistência e coração.
Melania é vista como uma figura de força e justiça em suas terras, sendo benevolente quando é necessário, mas estritamente rígida em situações que assim o merecem.
Ela é bondosa e inteligente, bastante leal e sábia. Por ter perdido seu primeiro filho, é bastante protetora de suas proles, sendo muitas vezes comparada a uma verdadeira loba.
Uma ótima aliada, mas horrível como inimiga. É muitas vezes subestimada, mas já provou muitas vezes ser implacável.


História do Personagem:
Melania é a filha mais velha de três irmãos pertencentes a casa Umber. Sendo a única mulher, sempre teve uma atenção especial por parte de seu pai, despertando assim algum ciúme por parte de seus outros irmãos. Seu sonho sempre foi ser mãe, e desde pequena que tal coisa foi incentivada por sua progenitora, que cedo tratou de arrumar um casamento para sua filha. Como agradecimento por todo o apoio e serviço prestado a sua casa em tempos de guerra, o Lord Umber ofereceu a mão de sua filha ao filho do Lord Forrester que, mais tarde assumiu esse mesmo cargo.
Melania casou então e pouco tempo depois engravidou. Os meses que se seguiram foram de extrema felicidade pela espera do pequeno rebento, que acabou por nascer algum tempo antes do previsto. Mas a família que rapidamente cresceu, depressa diminuiu de novo. O pequeno Redwald morreu com apenas um ano de idade, vítima de uma febre.
Tempos negros se abateram sobre os Forrester e Melania foi quem mais sofreu, vendo assim seu sonho de ser mãe arruinado. A perda de um filho a marcou para toda a vida, assim como a seu marido. Mas a chegada de sua filha veio trazer novamente a alegria a Ironrath. Dois anos depois, uma nova criança era trazida ao mundo e assim os Forrester passaram a ser 4.
Porém, Melania foi obrigada por seu jeito de ser a acolher seu sobrinho bastardo, uma criança pequena, filha de seu irmão mais novo. A criança seria enviada para a Muralha, porém a mulher se ofereceu para dela cuidar e educar, como seu sobrinho que era.
4 passaram então a ser 5, embora Lord Forrester não ficasse agradado com tal ideia. Ainda assim, a família vive em paz e harmonia, agora com suas filhas crescidas e o menino de 8 anos.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:


Criatividade: - 3

Força: - 1

Inteligência: - 4

Agilidade: - 1

Astúcia: - 2

Vigor: -  1

Oratória: - 3

Fé: - 1


Árvore genealógica:
+ _____ Forrester, Senhor de Ironrath
  - Sua esposa, Melania Forrester, Senhora de Ironrath
  - Sua filha e herdeira, ____ Forrester
  - Sua filha, ______
  - Seu sobrinho, _______ Snow





 

you may have to fight a battle more than once to win it



Ficha aprovada

_________________

Iron from Ice
And if the storm
howls through our land I'll be your shelter. And if the world should fall to winter I'll be your warmth

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Siegfried Stark em Seg Jun 05, 2017 3:33 am


Siegfried Stark
Passo Largo


Nome On: Siegfried Stark

Nome Off: Leonardo Aguiar

E-Mail: leozinho.22_sas@hotmail.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:

Possuidor de cabelos castanho-escuros compridos e ondulados, com seus olhos naturalmente cinzentos como características próprias dos Stark, há ainda quem diga que seus olhos possuem um tom de azul-gélido, em dias ensolarados, como os mares da Baía de Gelo. Siegfried ainda carrega algumas das características da suposta linhagem de Gendry, seu teórico ancestral, juntamente com a genética legítima de Arya Stark sua antecessora e mãe de seu pai, Torrhenn Stark II. Diferindo da maioria dos nortenhos possuidores de uma estatura colossal, seus 1,80m são bastante valorizados pelo corpo forte e o porte atlético sempre ocultos por baixo de suas vestes de couro e as capas de pele de animal que lhe recobrem seus ombros. Um prodígio desde sua infância na arte da espada, sendo desde muito jovem capaz de manusear uma Espada Longa, característica incomum para uma criança de doze anos, o que levava muitos à crer que fora nascido para manusear a Gelo, antiga arma de aço Valiriano de Ned Stark, cujo destino foi ser dividida em duas armas diferentes e longe de sua casa de origem. Também mostrou-se notável devido seu interesse na Política e na História dos 7 Reinos, principalmente focado no Norte, sua terra natal da qual sempre teve orgulho. Um homem corajoso, completamente centrado e de princípios, é um governador rígido segundo as velhas leis, leal aos antigos deuses e suas tradições e assim como a maioria dos Stark, um Lorde honrado. Ama seus irmãos e filho acima da própria vida e faria tudo por eles. Acima de tudo honra seus costumes e mantém o orgulho de sua Casa, de nunca se curvar perante ninguém além de seu Rei, o qual ele tem como seu primo distante Bryan Stark.

História do Personagem:

A noite em que Siegfried nasceu era silenciosa e sua mãe trabalhava a murmúrios, era uma mulher dura, uma Mormont, forte como as pedras de gelo que formavam a grande muralha que os fiéis patrulheiros guardavam, a norte daquele lugar. Foi assim que o garoto nasceu, "Siegfried!" Chamou o pai, quando pegou a criança no colo. A mãe? O envolveu, ainda sujo, em seus braços acolhedores dando-lhe amparo para a criança que nascera de olhos abertos. Os olhos vívidos olhos cinzentos do menino foram orgulho para ela, herança recobrada dos Stark de Winterfell antes de praticamente se perderem nas inúmeras misturas de linhagem sanguínea, como Tully e Baratheon, ele tinha a aparência dos antigos Reis do Norte assim como fora Arya Stark e seu pai Eddard Stark. Mesmo que ainda careca, ela já o imaginava com seus lindos cabelos escuros e ondulados sobre a cabeça dentro de alguns meses. Meses esses que os olhos pesados e turvos não a permitiram ver. Valerian Mormont, era seu nome. Uma mulher forte e valente, falecida no parto do último filho, exatos 12 anos depois do parto de seu primogênito. O último lobo de sua ninhada fora uma doce menina que já não chorava mais, e inocentemente dormia nos braços do cadáver da mãe.

Cresceu. Sem muitas lições sobre amor, paciência ou carinho. Muito disciplinado na arte da guerra, demonstrava ser um garoto esperto e entendido em História. Era brutal em combate, sempre demonstrando isso quando uma arma lhe era entregue em mãos, nunca teve medo de avançar à frente dos seus o que o fazia sempre parar nas linhas de frente de combate e por tal motivo o chamavam de "Siegfried, Passo Largo". Foi assim que seu pai o criou sem mimos, sem regalias, provando do gelo e do frio do Norte. O desejou. " Acorde cedo, meu filho". Ele dizia "Seus inimigos não vão esperar seu doce sono" E obediente, ele fazia. Desde manhã, até a queda do sol. Bruto e guerreiro, este era ele. Bruto, guerreiro e... Astuto. Uma astúcia que a cada dia crescia mais, em seus movimentos, em seu linguajar, em seu pensar, em seu olhar.

Por conta de sua dureza de caráter, a rigidez tornou-o um homem frio e sério durante boa parte da vida. Aos 17 anos tinha seus momentos de necessidades humanas, porém beber e farrear não eram o tipo de coisa que um homem apenas focado em Política e Batalhas devia fazer. Seu foco nunca fora a libertinagem mesmo em momentos de puro estresse contido e um desejo enorme por adrenalina como a maioria dos adolescentes. Era constante a inquietação do garoto que logo menos tornar-se-ia um homem de verdade, pois um homem não se conhece por sua idade ou aparência, mas por suas atitudes. Pela primeira vez, ele conheceu os efeitos da bebida e das provocações femininas, tanto que ele nem mesmo lembrava-se de onde havia começado e quando apagou de vez e dormiu. O vinho forte misturado com música alta e uma bagunça que tornaram o regrado e ortodoxo Sieg num adolescente comum de 17 anos e como todo adolescente, seus hormônios falaram mais alto e tendo encontrado a garota de origens desconhecidas ,dentre os habitantes de Vila Toupeira, ele foi enlaçado pelos seus próprios desejos e os dela. De fato tudo ocorreu depressa e com muita espontaneidade, tanta quanto ele nunca havia demonstrado antes, liberara toda sua ansiedade e inquietação sobre a moça que não lhe revelara o sobrenome durante toda a noite e madrugada, até ambos adormecerem.

Apesar de sua fidelidade e princípios, nunca quis casar-se por alianças Políticas, mas não esperava se deparar com uma situação como aquela. Sentiu-se envergonhado por ter desvirtuado a moça que só depois descobriu não possuir uma ancestralidade nobre. A havia tomado por prostituta quando a mesma também era uma virgem imatura e inocente em meio à bebida e música em Vila Toupeira. Pediu ao pai permissão para casar-se com a garota da qual ele havia roubado a pureza e apesar de muitas críticas de seu progenitor e uma fúria sem igual do mesmo, acabou relutantemente aceitando o matrimônio e perdendo assim a chance de obter um crescimento maior de sua casa, como fora outrora, casando seu filho pela Honra.

E assim foi feito. O casamento com a moça ocorreu enquanto ainda eram jovens, apesar de ter se passado algum tempo enquanto Torrhenn esperava que seu garoto mudasse de ideia, mas o senso de honra do mesmo fora imenso e ele não o fez. Durante os três anos que se seguiram pré-casamento, Siegfried acabou se apaixonando pela camponesa que esteve perto de se tornar prostituta horas antes de encontrar-se com ele e terem tido sua primeira noite de amor. Primeira essa de muitas que se seguiram, pois apesar do noivado pela honra e virtude da moça não havia mais porque manter votos pré-casamento visto que já estava tudo marcado. A culpa o consumiu até o dia em que a cerimônia fora realizada e ele enfim teve paz de estar cumprindo a vontade dos deuses antigos. Com o tempo sua família passou a aceitar a garota como um membro dos Stark de Forte de Inverno.

Já na metade de sua segunda dezena de vida, vivia alegre sendo sempre o auxiliador de seu pai. Mas como auxiliar um homem que, uma vez dormiu, e nunca mais acordou? Fios brancos enchiam a barba de Torrhenn, enquanto seus cabelos já haviam caído dando lugar a uma grande área de pele branca e enrugada até o dia de sua morte. Partiu tranquilamente em sono durante a noite e pela manhã o velaram conforme seus costumes. A dor fora imensa, entretanto Siegfried era forte o bastante para manter a calma e mesmo temeroso vivenciar a morte do pai com fácil aceitação.

Aos vinte e cinco anos, saudaram-o como o Lorde Stark, de Forte de Inverno, contra sua vontade. Nunca se viu governando a Casa Stark como seu Lorde, ao menos não tão jovem e isso o trouxe uma ligeira insegurança. Sua esposa, porém deu a ele todo o apoio que ele poderia ter além de prometer ao mesmo um herdeiro, que não demorou à dar sinais de sua chegada. O golpe havia sido duro, mas que homem em sã consciência, esperando um filho e com a mulher que ama ao lado, mergulharia no profundo luto a ponto de não se recuperar?

Foram duros dias, muitas lágrimas nos bosques, muita conversa na cripta, mas ele enfim estava feliz. Havia enfim entendido um pouco mais sobre o amor e seu real significado, mesmo não conhecendo o amor de mãe por muito tempo ansiava por ver sua amada em ação guiando os passos de seu menino, como disseram as Septãs. Todas as noites pedia orientação aos deuses antigos, curvando-se ante a árvore coração no bosque sagrado do Forte, clamava por sabedoria para reger seu lar e criar seu filho, ser um bom pai era algo que ele queria e as vezes sentia-se assustado com a possibilidade de falhar.

Era o nono mês e a expectativa para a chegada de seu filho era grande. Ele estava próximo, muito próximo de fazer a luz de seus olhos brilharem ao chegar ao mundo. E foi durante uma noite sem tempestade e sem chuva, que o menino nasceu. Em uma noite em que uma mulher brava se recusou a dar gritos durante o parto, enquanto o preocupado marido assistia tudo segurando sua mão. "Nasceu!" Disse a parteira. "Nasceu!" Repetiu Siegfried, que ao olhar para o lado, já não a encontrava mais lá. Abatida pelo cansaço, parecia dormir um sono tranquilo. Ele a chamou por três vezes sem obter resposta alguma. Sua mão ainda estava quente e o suor escorria por sua testa, entretanto o fôlego da vida havia se ido de seu corpo, mesmo deixando um sorriso tênue e satisfeito em seu rosto na partida, como se dissesse: "Missão cumprida".

Dez anos se passaram e lá estava ele. Seu filho, ainda muito jovem para as soberbas da vida, mas maduro suficiente para empunhar a madeira e se preparar para o aço. Todos os dias, treinando frente ao pai, que com seus olhos cinzentos e analíticos observavam com atenção a forma como o garoto empunhava a espada de treino, sempre corrigindo no necessário, mas de modos diferentes como fora criado. Ainda havia rigidez em seu falar e lecionar, porém não ao extremo como seu pai lhe ensinara, ele havia conhecido amor e passara o amor da mãe que morreu ao dar a luz a seu primogênito, um varão de sangue nortenho, um pequeno lobo. Um de seus amigos uma vez citou em uma das visitas em seu castelo: "Quando seu pai se foi, Sieg, uma parte de si, se foi. E quando ela se foi, a outra parte, também. O que ainda te sobra, Sig?". Essa pergunta reverberou por muito tempo em sua mente até que...

— O Norte.

— O que, papai?

— Lembre sempre, filho. Quando tudo se perder, ainda te restará o Norte. "

Aquele era seu lar. Aquele era o mundo de seu filho, aquele era o mundo dela, e nada, nem ninguém, fará com que este lobo desista da única coisa que lhe sobrou.

Seu lar. O Norte.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:


Criatividade: - 1
Força: - 2
Inteligência: - 3
Agilidade: - 3
Coordenação Motora: - 2
Vigor: - 3
Oratória: - 1
Fé: - 2

Stark's de Forte do Inverno -
+ Lorde Siegfried Stark, 36 anos, Senhor e Protetor de Forte do Inverno.
  + Sua esposa Lady Brynhildr. ~22 anos quando faleceu~ (falecida no parto)
   + Seu filho _____ Stark de 10 anos.
+ Seu irmão, _____ Stark 29 anos.
+ Seu irmão, Ethan Stark 26 anos.
+ Sua irmã, ______ Stark 24 anos.


FIRST STEP | NORTH | HE





Ficha aprovada


Última edição por Siegfried Stark em Qui Nov 02, 2017 1:29 am, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Miraak Knott em Seg Jun 05, 2017 9:37 pm




the knott


Nome On: Miraak Knott
Alcunha: ‘O Knott’
Nome Off: Gustavo Willian
E-mail: gustavo.tischer33@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Norte.
Características do Personagem: Lorde Knott é baixo para o que se espera de um nortenho dos clãs da montanha, detendo apenas 1,80 de altura e 80kg de músculo e gordura. Possui cabelos louros raspados de um lado de sua cabeça e o cabelo oposto penteado de forma a mostrar sua meia careca. Uma barba protuberante se projeta de seu cavanhaque e ganha volume em seu queixo. Os olhos pretos e expressivos combinam com suas tatuagens em seu rosto que representando símbolos há muito esquecidos por muitas casas nortenhas, mas vividamente lembrados Para-Lá-Da-Muralha.

É bastante veloz e preciso da mesma forma quanto astuto. Não aceita ameaças de seus inimigos, tendo uma clara noção de que ameaças não saldadas são sementes para inimizades mais perigosas. É demasiado verdadeiro e camarada para com aqueles que lhe são queridos e que constroem um vínculo com ele, mas caso essa pessoa lhe traia é capaz de tudo para acabar com essa pessoa. Não tem o conceito de honra nortenha, perdeu isto ao suprimir uma rebelião de dois clãs menores da montanha que tentaram tomar seus domínios e bens, o que o levou a cometer certas inadequações de guerra mas isto não significa que não tenha valores próprios. Abandonou o consumo de álcool, preferindo mascar folhamarga e fumar seu cachimbo mas não significa que não seja menos eufórico numa festa. Fez um voto solene de castidade até a melhora de sua mulher que caiu nas enfermidades.

História do Personagem: Miraak sempre demonstrou personalidade forte e feroz com todos ao seu redor. Cresceu nas montanhas a norte de Mata de Lobos, sempre perambulando e se aventurando em vez de estudar se letrar.Por sua casa ser afastada e de difícil acesso algumas coisas lhe faltaram, como um meistre - algo corrigido recentemente pelo mesmo - ou um contato maior com as casas nobres do Norte, sendo poucas vezes em sua infância que teve contato com outros senhores. Em seus tempos de moço conheceu homens singulares como Siegfried Stark - o qual sempre nutriu grande admiração e afeto -, Dorian Mormont entre outros…

Nos seus vinte e poucos anos, havia se casado com uma Harclay em sinal de amizade e aliança entre os dois clãs e logo depois uma rebelião estourou em suas terras, ameaçado por dois pequenos clãs sem prestígio entre os montanheses - rebeldes que se aliaram a um punhado de selvagens de Para-Lá-Da-Muralha. Miraak os esmagou, matando todos e jogando os rebeldes mais ferozes do topo de sua montanha, sendo nesta ocasião que batizou sua fortaleza de Alto da Montanha.

Por muitos anos permaneceu isolado nas montanhas aumentando sua família e se relacionando politicamente com os outros clãs e as casas de Mata de Lobos. Por viver em uma região montanhosa sua economia rústica e não tão desenvolvida se baseava na criação de bons rebanhos de ovinos e caprinos, tal como a mineração de ferro e cobre das cavernas e montanhas em seus domínios. A pesca tem sido uma prática nova de seu povo.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade:  2
Força: 2
Inteligência:  3
Agilidade: 3
Coordenação Motora:  2
Vigor:  3
Oratória:  1
Fé: 0

Knott de Alto da Montanha


Ramo primário.

+Lorde Miraak Knott, 34 anos, senhor do Alto da Montanha; O Knott.
+Sua esposa, ________ Knott, da Casa Harclay, 36 anos, senhora do Alto da Montanha. Uma mulher enfermiça.
-Sua filha, ________ Knott, 16 anos.
-Seu filho e herdeiro, ________ Knott, 14 anos.
-Seu filho, ________ Knott, 06 anos.

Ramo secundário.

+Seu irmão, ________ Knott, 30 anos, um irmão juramentado da Patrulha da Noite.
+Sua irmã, ________ Knott, 28 anos, casada com um Burley.



valeu @ carol!




Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Melina Bar Emmon em Qui Jun 08, 2017 5:02 am



Sea, blood and duty
Melina Bar Emmon

Nome On: Melina Bar Emmon
Nome Off: Gustavo Willian
Email: gustavo.tischer33@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Terras da Coroa
Cargo: Cavaleira de Ponta Aguda
Características do Personagem: Melina tem um metro e oitenta dois, pele branca, lábios vermelhos, dentes brancos, orelhas pequenas e olhos azuis. Seu estilo de cabelo adotado é bem masculino, sendo curto e penteado para cima ou para os lados em forma de tigela de forma a deixar uma franja, os mesmos são de cor preta. Possui um maxilar quadrado e bochechas levemente encovadas com as maçãs do rosto elevadas. Suas sobrancelhas são grossas e bem definidas. Seu corpo é bem definido, com músculos de causar inveja em muitos homens sendo as pernas, o dorso e os braços bem desenvolvidos o que a permite lutar, correr e realizar seus deveres com eficiência. Sua beleza é ofuscada pelo seu lado masculino, todavia, muitos a consideram uma bela mulher.

Melina é extremamente rígida e obstinada, procurando alcançar seus objetivos de todas as formas possíveis. A criação que recebeu de Lorde Bar Emmon a fez desenvolver valores masculinos bem definidos o que contribui para fazer dela uma excelente lutadora, marinheira e estratega. Sua inteligência é tão notável quanto sua falta de honra o que a faz ser mal vista por outrem. Acreditando que os fins justificam os meios a mesma cumpre seus deveres com rigidez o que a pode levar a cometer atos extremistas. É o tipo de pessoa que tende a por a mão na massa e fazer as coisas por si mesma em vez de mandar que alguém o faça. A mulher construiu ao longo dos anos uma barreira emocional forte e sólida para impedir qualquer pessoa de invadir seu campo pessoal e deixá-la vulnerável e fraca. Além de todas suas qualidades e defeitos (encare como quiser) a Bar Emmon tende ao alcoolismo em suas horas mais escuras e também a uma tristeza acentuada, e em seu íntimo, medo por homens.

História do Personagem: Melina cresceu em Ponta Aguda, sede da Casa Bar Emmon localizada no final do Gancho de Massey. Foi a única filha por anos, recebendo dois irmãos apenas quando já tinha aflorado pela primeira vez. Desde cedo, interessou-se pelo Mar Estreito e pela vida que ele oferecia, tanto que, quando estava na idade dos quinze anos, infiltrou-se num navio mercante de sua família e viajou para as Cidades Livres. Passou meses no mar disfarçada como um faxineiro e quando estava prestes a ser declarada como morta, fora descoberta pelo capitão que rapidamente se prontificou em avisar Lorde Bar Emmon. Após seu retorno sofreu duros castigos de seu pai e isso apenas contribui para a rebeldia da garota se manifestar e marcar por anos a sua personalidade.

Com os deveres de sua Casa sendo atrapalhados pelo cuidado excessivo que tinha com a filha e com os irmãos da mesma, ainda pequenos, decidiu por tomar outro caminho e passou a criá-la de forma extremamente rígida (e não opressiva), ensinando-a sobre navegação, como montar à cavalo, como lutar e como ler, escrever e contabilizar, transformando toda a rebeldia e fúria da garota em disciplina e rigidez. Conforme crescia num mundo completamente oposto ao reservado a lady’s da nobreza passou a navegar em nome da família para as Cidades Livres, fazendo comércio e  intercâmbio cultural, coisa esta que contribuiu para sua falta de honra westerosi. Aos vinte havia sido nomeada cavaleira e aos trinta comandava a frota de navios de sua casa. Sua perícia era notável entre as famílias do Gancho de Massey, todavia, toda a admiração por ela veio a ruir quando esta capitaneava uma galé que fora atacada à caminho de Tyrosh por piratas dorneses. Melina os atraiu para uma ilha à oeste de Tyrosh e encurralando-os, capturou a todos e os torturou por dias até matá-los e posteriormente queimar o navio dornês. Seus homens ficaram horrorizados pelos métodos desumanos que a mulher havia usado e seu imediato da época reportou tudo ao senhor seu pai, que a despojou do comando e de suas atividades por seus métodos serem contra a honra cavalheiresca. Um ato vazio de seu pai e feito em honra a sub-humanos, na mente de Melina.

Com o passar dos anos, Melina tornou-se cada vez mais rígida, inflexível, desprovida de honra e comprometida com seus deveres de forma quase doentia e com o amadurecimento de seu irmão mais novo seu pai lhe declarou seu herdeiro, lugar este que antes era reservado à Melina e num acesso de raiva, tomou sua espada e seu escudo  tentando matá-lo, todavia seu pai habilmente se protegeu e a exilou de suas terras, proibindo-a de pisar em Ponta Aguda sob pena de morte.

Adendos: Tem um relacionamento marcado por ressentimento e raiva em relação ao seu pai e seu irmão mais novo. Se corresponde por cartas constantemente com sua mãe e sua irmã, desenvolvendo até mesmo um relacionamento de amor para com elas. Gosta de jogar cyvasse. Algumas pessoas acreditam que Melina se relacione com prostitutas. Gosta da cor preta e vermelha. Gosta de tocar alaúde e cantar músicas em sua horas vagas, detesta harpas e flautas. Tem um apreço por leitura tão forte quanto o que tem por espadas e pelo mar.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 2
Força: 3
Inteligência: 2
Agilidade: 3
Coordenação Motora: 2
Vigor: 3
Oratória: 1
Fé: 0

Bar Emmon de Ponta Aguda

+Lorde ________ Bar Emmon, 60 anos, Senhor de Ponta Aguda.
+Lady _________ Barr Emmon, da Casa ________, 50 anos, Senhora de Ponta Aguda.
  +Sua filha, Melina Bar Emmon, 32 anos, cavaleira de Ponta Aguda, exilada dos domínios de Ponta Aguda.
  +Seu filho, ________ Bar Emmon, 17 anos, herdeiro de Ponta Aguda.
  +Sua filha, ________ Bar Emmon, 16 anos,


Thak's for@Lovatic, on CG




Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Joanna Tyrell em Sex Jun 09, 2017 4:09 pm

Nome On: Joanna Tyrell

Nome Off: Joana Bettencourt

E-Mail: eleanor_tyrell (skype)

Região Pertencente:
Campina

Características do Personagem:

Joanna é uma jovem muito bonita, de longos cabelos loiros e olhos verdes, que sempre rouba as atenções daqueles que se encontram na sua presença.
A beleza de Joanna é igualada por sua astúcia, algo que ela tem em abundância. A força da jovem se encontra maioritariamente em sua capacidade de conquistar a mente e lealdade dos demais. Dedicada e preocupada, demonstra muitas vezes seu lado mais caridoso, ao ocupar parte do seu tempo com os plebeus que vivem na região de Jardim de Cima, instruindo e entretendo os mais pequenos. Em troca, Joanna ganhou um lugar especial no coração de cada um dos súditos dos Tyrell, sendo portanto amada e respeitada por eles. Isso pode fazer dela uma ameaça para seus irmãos que pretendam tomar o lugar de seu pais mais tarde, uma vez que de todos, Joanna é a mais acarinhada pela população.
Possui o tato e a cortesia necessária de uma lady, sendo capaz de exalar o comportamento cortês e as cortesias esperadas enquanto ainda consegue marcar presença em intrigas. Ao contrário de muitas mulheres que utilizam o sexo como arma de sedução, a jovem trabalha dentro dos padrões sociais da feminilidade "adequada" em Westeros, atingindo da mesma forma seus objetivos.
Contudo, Joanna tem seu lado mais corajoso e aventureiro, fortemente inspirado pela sua heroína de eleição, Nymeria, a rainha guerreira. Graças a ela e, juntamente com sua teimosia e persistência, a jovem se sentiu motivada o suficiente para se instruir na luta de espadas e no uso de adagas.
Ainda que algumas vezes possa parecer dissimulada, tem um coração genuíno e bom, cheio de compaixão e empatia. Joanna ama sua família e a eles jura lealdade, exceto sua irmã, Maella, por quem ela nutre um grande ódio, alimentado desde sempre. As duas não se relacionam pois Maelle a trata como se fosse uma selvagem, embora a garota seja comportada o suficiente. As duas não conseguem permanecer muito tempo juntas sem que uma discussão estoure o que faz com que o ambiente possa por vezes se tornar um pouco mais tenso entre a família.
Joanna desaprova o modo como sua irmã trata aqueles que a mais velha considera como inferiores,

História do Personagem:

Joanna foi a última a nascer, mas seu nascimento não foi por isso menos celebrado. Na verdade, um grande banquete em sua honra foi organizado, dias depois, contando com a presença de seus pais, irmãos, avó e vassalos da casa de Jardim de Cima.
Joanna cresceu sobre a forte educação direcionada a uma lady de seu estatuto, mas foram as aulas de história que proporcionaram seu primeiro "encontro" com a rainha Nymeria. Desde que escutou a primeira história, Joanna se declarou uma fã incondicional da heróica figura e a toma como exemplo para muitas situações de sua vida. Isto a faz ser vista por alguns membros de sua família, principalmente Maelle, como uma selvagem descontrolada, que não sabe se comportar. Mas Joanna é, ao contrário do que Maelle pensa, uma garota educada e comportada, apenas com um ou outro problema de temperamento, muitas vezes testado por sua irmã maior.
Seus dias são divididos entre os treinos de espada, que muitos desaprovam, mas não se atrevem a cancelar, longos passeios a cavalo e a prestação de caridade para com os mais desfavorecidos. Joanna costuma visitar as aldeias que circundam Jardim de Cima durante os seus passeios, e é sempre bem recebida pelos habitantes que vêem na jovem donzela uma figura amorosa, protetora e leal. As crianças costumam correr para a receberem, sempre ansiosas pelas novas histórias que Joanna traz para contar. Todas essas obras de misericórdia a fizeram ganhar popularidade entre os súditos de seu pai, mostrando assim que Joanna seria uma ótima e capaz futura lady de qualquer casa.
Tal como seu irmão e irmã, Joanna aguarda por um casamento, não muito ansiosamente, uma vez que se considera ainda jovem e com muito para viver. Porém, sua avó insiste para que se una a alguém de modo a solidificar algum tipo de aliança, ainda que a ideia seja constantemente rejeitada pela jovem Tyrell.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: - 2
Força: - 2
Inteligência: - 3
Agilidade: - 2
Coordenação Motora: - 2
Vigor: - 3
Oratória: - 2
Fé: -0


árvore genealógica:

ramo principal

+ lord joseph tyrell, defensor das marcas, supremo marechal da campina e protetor do sul, 33 anos.
 - sua esposa, cyressa tyrell, 25 anos (ao morrer), uma redwyne de nascimento.
 - sua mãe, desmera tyrell, 58 anos, uma hightower de nascimento, conhecida como rainha dos espinhos.
 - seu filho primogênito, olyvar tyrell,19 anos, herdeiro de jardim de cima.
 - sua filha, maelle tyrell,17 anos.
 - seu filha, joanna tyrell,15 anos.

ramo secundário

+ lord alester tyrell, 57 anos, senhor de águas claras. †
- sua esposa, roslin tully, 32 anos †
- seu filha e herdeira, mina tyrell, 19 anos, atual lady e senhora de águas claras
- sua esposo, garth mullendore, 22 anos. †



nota: o post está aparecendo desconfigurado para mim, não sei se pra vocês aparece tudo direitinho, então peço desculpa se tiver algum problema aí




Ficha aprovada


Última edição por Joanna Tyrell em Sex Jun 09, 2017 8:33 pm, editado 6 vez(es)

_________________

Separate Or United
Someone gets excited, in a chapel yard catches a bouquet. Another lays a dozen white roses on a grave.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Rhaelle Hill em Sex Jun 09, 2017 9:24 pm

Nome On: Rhaelle Hill

Nome Off: Anna Saviolle

E-Mail: saviolefla@bol.com.br

Sangue: Bastardo

Região Pertencente: Terras Ocidentais

Características do Personagem:

Rhaelle e uma jovem muito gentil e inteligente, sempre disposta a ajudar no que pode quando encontra com pessoas necessitadas. Também e muito bonita e educada, apesar de bastarda, costuma atrair a atenção dos homens com facilidade por causa de sua juventude e beleza. E conhecida em Vila Acidentada como a intocável protegida de Lord Dustin, sendo também muito querida pelos habitantes do local devido a seu jeito gentil e delicado de ser.

História do Personagem:


Rhaelle nasceu em Lannisporto nas Terras Ocidentais, mas foi levada ainda muito pequena para Porto Real. Abandonada muito jovem na Baixada das Pulgas na capital de Westeros, ela nunca soube quem eram seus pais, apenas que ela havia sido trazida por um homem e abandonada na porta de uma das casas de órfãs da cidade. Como não sabiam sua origem, as septãs que cuidavam daquele local a chamaram de Rhaelle e por seus traços característicos dos habitantes das Terras Ocidentais, somaram a Hill, sobrenome dado para os bastardos desse território. A jovem Rhaelle Hill, então, cresceu sob a educação rígida das septas, sendo também constantemente lembrada como uma bastarda e recebendo o péssimo tratamento que somente pessoas dessa classe social recebiam. Foi uma infância sofrida e difícil a dela, porém ela cresceu bela e gentil, atraindo a atenção de muitos septões corruptos que administravam a casa de órfãs. Certa vez quase sendo estuprada por um deles, mas conseguindo fugir e passando a viver nas ruas de Porto Real. Tendo de fazer coisas horríveis como roubar para poder sobreviver.

Nas ruas Rhaelle roubava como mencionado, conseguindo sobreviver um bom tempo dessa forma. Mas um certo dia enquanto tentava roubar um nobre senhor de Terras, acabou por ser capturada e quase foi levada presa pela Patrulha da Cidade, exceto se não fosse por esse nobre que não só a salvou, como se responsabilizou por ela. Contratando-a como sua serva, esse homem chamava-se Matiah Bracken, um nobre cavaleiro e senhor do rio, herdeiro de um castelo chamado Barreira de Pedra nas Terras Fluviais. Ela o seguiu para o seu castelo e passou a viver sob a proteção desse nobre, trabalhando como sua serva, entretanto, não demorando muito para que se tornasse mais do que isso para o nobre. Atualmente ela vive em Barreira de Pedra onde trabalha como serva de Matiah e também esquenta sua cama nas noite mais frias.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: - 3
Força: -
Inteligência: - 3
Agilidade: - 3
Coordenação Motora: -  2
Vigor: - 3
Oratória: - 2
Fé: -


Ficha aprovada


Última edição por Rhaelle Hill em Ter Jul 04, 2017 5:55 pm, editado 1 vez(es)

_________________


Rhae
Perdida
Serva?
Sua Branca


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Olyvar Yronwood em Dom Jun 11, 2017 10:50 pm

Nome On: Olyvar Yronwood
Nome Off: Gleisson
E-Mail: warbornlord@gmail.com
Sangue:  Legítimo
Região Pertencente: Dorne
Características do Personagem: Fisicamente Olyvar possui um corpo moderadamente musculoso, cabelos razoavelmente longos e escuros, assim como a barba, um queixo duro e bochechas encavadas. Psicológicamente, Olyvar é uma incerteza, sua personalidade dança entre dois extremos, há momentos em que é muito bem humorado e brincalhão, até um pouco piadista, fazendo piada mesmo em situações tensas assim como há momentos em que Olyvar é sério e frio como uma pedra de gelo, nesses momentos realiza seus atos mais sombrios, que jamais seriam realizados por Olyvar em seu estado normal. Herdou do seu pai um enorme zelo pela família Yronwood, sendo disposto a fazer qualquer coisa pela família.

História do Personagem: Olyvar é o primogênito do Lord Arving Yronwood, senhor de Paloferro e sua esposa, Lady Yolanda Yronwood. Desde pequeno Olyvar foi forçado pelo seu pai a trilhar o caminho de um guerreiro sendo treinado pelo instrutor de armas de Paloferro.  Olyvar sempre apresentou uma personalidade curiosa e aventureira, um verdadeiro amante do inesperado e de adrenalina, como seu pai não era o senhor quando jovem, Olyvar acreditava que sua tia Elia teria filhos e ele nunca seria herdeiro de Paloferro, isto fez com que Olyvar dedicasse sua vida à viagens e aventuras podendo alegar já ter passado por todos os Sete Reinos ( e arrumado confusão em pelo menos quatro). Olyvar fez amigos por onde passou, em sua maioria cavaleiros viajantes e pessoas de baixo nascimento com quem ele costumava fraternizar uma vez que em suas viagens nunca se identificava como um nobre. "- Sou apenas um Dornês em busca de emoção!" era a frase mais dita por Olyvar na estrada.
Quando a fúrias dos desertos abalou Dorne, Olyvar voltou para casa para ficar junto de sua família, ele entendia o sentido e necessidade da união em tempos difíceis, seu lugar era em com os Yronwood fosse em Paloferro ou onde quer que eles estivessem. Foi nessa época que viveu o maior golpe de sua vida, durante uma rebelião realizada por uma multidão faminta viu seu irmão mais jovem, Cahir, ser brutalmente assassinado. Para tentar salvar o irmão, ou pelo menos recuperar seu corpo, Olyvar liderou guardas Yronwood contra a população com armas em suas mãos e uma trilha de sangue na areia sob seus pés , tal evento fez com que Olyvar não seja muito amado pelos súditos da Casa Yronwood e também ocasionou um desentendimento com sua tia Elia, que era contrária a ações mais agressivas para reprimir rebeliões, mesmo após a morte de Cahir. Olyvar se culpa pela morte do irmão, acreditando que era sua responsabilidade protegê-lo. Na volta de uma viagem alguns meses antes, Cahir havia lhe confessado que sempre havia desejado conhecer o mundo, em especial a região Para-lá-da-muralha, em um último serviço para o irmão, Olyvar cremou o corpo de Cahir e jogou suas cinzas do alto da muralha. Quando retornou dessa viagem encontrou seu pai como Senhor de Paloferro e soube que sua tia havia sido assassinada.

Criatividade: - 1
Força: -3
Inteligência: - 4
Agilidade: - 4
Coordenação Motora: - 1
Vigor: - 3
Oratória: -
Fé: -


Ficha aprovada


Última edição por DeLaTour em Qua Jun 14, 2017 10:03 pm, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Aileen Arryn em Seg Jun 12, 2017 9:28 pm

Aileen Arryn
Com: --; humor:---; vestindo: --- .

Nome On: Aileen Arryn

Nome Off: Kah

E-Mail: karol.2301

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Vale

Características do Personagem: A irmã caçula do soberano do Vale é uma jovem donzela doce, ou pelo menos já foi. Aileen é uma mulher inteligente e com grande sede conhecimento, principalmente na área da cura, dos venenos e das plantas. Cresceu e viveu toda sua vida no Ninho da Águia, conhecendo o castelo como a palma de sua mão, o que mais tarde fez dela intendente da fortaleza Arryn, até mesmo respondendo no lugar do Lorde em suas raras ausências. Tem um comportamento naturalmente solitário, mas é muito afetuosa com a família, principalmente com o irmão Artys e seus sobrinhos. Abdicou de seus próprios sonhos e desejos apenas para estar com eles e cuidar deles da melhor maneira possível. É uma mulher bela, com longas madeixas castanhas e olhos azuis como o céu, todavia, não é alvo de muitos cortejos já que se mantém sempre escondida no alto do Ninho. Inteligente e sábia, tem hábito aconselhar seu irmão nos mais diversos assuntos e aqueles que a conhecem de perto, facilmente se encantam por  sua doçura e inteligência. Todavia, não é bom subestimar a jovem águia, muito se esconde por baixo dessa faceta ingenua e em silêncio e do alto, ela observa tudo o que se passa ao seu redor, pronta para proteger sua casa, sua família e seu castelo.

História do Personagem: Quando Aileen nasceu, era uma manhã fria coberta de neve, antes mesmo que seus olhos se abrissem para o mundo em seus ombros já recaia o peso de seu nome, Arryn. Aquela com certeza, era uma responsabilidade que levaria para sempre e teria que arcar com todas responsabilidades que isso lhe acarretaria. Uma garota de personalidade doce e meiga, mesmo tento um sobrenome de grande importância, uma de suas grandes qualidades, sempre foi a capacidade de se preocupar mais com o próximo do que consigo mesma. Nem sempre isso era visto com bons olhos por alguns membros da família, no entanto era algo mais forte do que ela mesma e que muitas vezes fugia de seu controle. Obviamente, à medida que crescia aprendia a controlar seus impulsos, mas seu coração continuava com a mesma doçura de uma criança. Ainda criança já se mostrava diferente dos demais, pois enquanto os pequenos estavam envolvidos em suas brincadeiras, Aileen estava preocupada com algum problema, fosse da serva que cuidava dela ou de algum animal que estava doente.  

Sua companhia preferida sempre fora a do irmão mais velho, Artys era muito mais que um irmão, era um companheiro, um amigo. O respeito e confiança entre os dois sempre foi algo que chamava a atenção e com certeza onde um estava, o outro também estava. A diferença de idade entre os dois era mais ou menos cinco anos, mas nunca impediu os irmãos de terem uma boa relação. Aileen sempre era uma garota sorridente e feliz e quanto mais ela crescia, sua beleza também se tornava algo notável e até mesmo despertava a inveja de alguns, algo que nunca foi motivo de preocupação. A medida que os louros da infância passavam, a garota descobria que o mundo não era tão colorido quanto ela imaginava e via durante a sua infância, que aos poucos as coisas mudavam, fosse na forma como as pessoas a tratavam, fosse na forma como tinha que agir. Não se orgulhava de muitas vezes ter que fazer coisas que não gostava, mas sabia que era necessário.

Admirava Arthos por sua coragem e determinação em ocupar a posição de líder das águias, mas não era tão próxima a ele por motivos óbvios. Ele nunca tinha tempo para ela, as tarefas como herdeiro e mais tarde como Lorde criou uma verdadeira montanha entre os dois. O amava, mas não com a mesma intensidade que amava Artys. Com a guerra civil dentro do Vale e a morte de seu irmão durante a tentativa de conter as revoltas, Aileen pela primeira vez conheceu o sabor amargo do remorso. Por muito tempo culpou-se por não ter sido mais presente junto a ele, não ter criado lembranças tão felizes como tinha com Artys. O fato de não ter nenhuma boa lembrança com Arthos assustava e muito a garota, fazendo com que ela se afastasse um pouco de todos. Pedia ais sete que não repetisse esse erro nunca mais e que nunca mais deixasse de viver bons momentos com aqueles que ela tanto amava.

Uma garota curiosa e estudiosa, sempre procurou descobrir mais e mais, mas em contrapartida isso sempre a mantinha longe dos demais, pois procurava a companhia de livros e pergaminhos. Também passava horas enfiada no pequeno jardim que conseguia cultivar com muito trabalho e esmero. O primeiro a descobrir os conhecimentos de Aileen fora seu melhor amigo de infância, Thomas, quando o mesmo se machucou e com maestria a menina conseguiu cuidar de seus machucados. As pequenas, porém, habilidosas mãos enfaixavam o ferimento que ele havia ganhado usando uma espada de forma pretenciosa e desleixada. Mais tarde, a amizade com Thomas se desenrolaria de uma forma que nem mesmo a jovem águia poderia imaginar, algo que tenha começado talvez, da delicada gentileza da Arryn de cuidar de seu ferimento.

O conhecimento era algo que queimava em sua alma, mas não mais que sua vontade de um dia sair dali e conhecer o mundo como ele era. Sabia, porém, que isso era um sonho impossível, todos a viam como delicada e frágil demais para permitirem que ela desse um passo sozinha. Muitas vezes na verdade se sentia como um pássaro preso e talvez fosse isso mesmo. Mas diferente de muitas outras que lutariam por mais espaço, Aileen simplesmente aceitou seu destino, sabia que seu irmão já tinha problemas e responsabilidades demais e jamais desejava ser um fardo para ele. Queria ser seu apoio, sua conselheira, sua amiga como havia sido sempre quando estava ao seu lado, os laços que os uniam eram mais fortes do que qualquer diferença ou anseio da jovem morena.

Quando seu irmão se casou pela primeira vez, foi um período complicado de transição, estava sempre tão acostumada com ele ao seu lado e agora teria que dividir a atenção dele. Os primeiros dias foram difíceis, quando se deu conta se isolou do resto do mundo, não dava muita abertura para que a jovem esposa de seu irmão se aproximasse. Quando seu pai morreu não sentiu tanto a falta dele, a bem da verdade, não tinha uma proximidade tão grande dele e Artys supriu qualquer ausência que ela poderia vir sentir. Mas agora vê-lo seguir sua vida era complicado e dava a ela um sentimento de abandono como nunca havia sentindo antes. Muitas conversas foram necessárias para que a situação mudasse, o mais velho, com paciência teve que mostrar a irmã que ela não havia perdido o irmão, mas sim ganhado uma família com isso. Mesmo com tantos problemas, os laços fraternais que uniam os dois não se desfizeram depois da pequena crise.

Pouco mais tarde, a amizade entre a Aileen e Thomas evoluiu, de uma maneira um pouco inusitada, mas a bela morena se viu apaixonada pelo amigo de infância. Todavia, sabia que um verdadeiro abismo havia entre eles, já que ele não tinha nascimento nobre. Mesmo assim, o romance floresceu e o coração da morena tornou-se mais ameno. Já não era mais tão complicado compreender seu irmão, o sentimento arrebatador que tomava seu peito a impelia a fazer loucuras e até mesmo esconder a verdade de Artys. Mas em um misterioso acidente, Thomas perdeu a vida ao cair de uma das altas sacadas da Torre da Donzela. Ele era apenas um aspirante a mestre de armas e por terem um romance escondido ela não poderia fazer grandes alardes, todavia, tinha ciência que seu irmão desconfiava, afinal, fora ele quem, lhe abraçou de maneira carinhosa após a fatídica notícia.

As constantes perdas moldaram a jovem em uma mulher mais dura e menos sonhadora, mas ainda mais inteligente e observadora. Nunca mais ousou se apaixonar, diferente de seu irmão que se casou outras vezes após perder suas esposas, Aileen nunca mais se abriu para tal sentimento. Admirava Artys por tentar encontrar a felicidade, ela mesma já havia desistido de encontrá-la, tudo o que tinha se tornou o suficiente para ela.

*************

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: -3
Força: - 1
Inteligência: - 4
Agilidade: - 2
Coordenação Motora: - 2
Vigor: -  1
Oratória: - 2
Fé: - 1

*************

+ Lord Artys Arryn, Senhor do Ninho da Águia e Protetor do Leste, 35 anos.
  - Sua primeira esposa, Lyssena Royce, 22 anos (ao morrer).
  - Sua segunda esposa, Rowenna Redwyne, 31 anos (ao morrer).
  - Sua terceira esposa, Wanda Corbray, 19 anos (ao morrer).
  - Seu primogênito, herdeiro do Ninho da Águia e de Vila Gaivota, Eddard Arryn, 17 anos.
  - Sua filha, Alyssa Arryn, 15 anos.
  - Seu filho, herdeiro de Lar do Coração, Galahad Arryn, 13 anos.
  - Seu filho, Edwyn Arryn, gêmeo mais novo de Galahad.
  - Seu filho, Robyn Arryn, 05 anos.
  - Sua irmã, Lady Aileen Arryn, 25 anos, Intendente do Ninho da Águia.
  - Seu irmão, Lord Artos Arryn, morto na Guerra Civil das Águias.




Ficha aprovada

_________________

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Arving Yronwood em Seg Jun 12, 2017 11:31 pm

Nome On: Arving Yronwood

Nome Off: Leonardo Torre

E-Mail: old.guard@outlook.com

Sangue: Legítimo

Região Pertencente: Dorne



Características do Personagem:
Arving é um homem que carrega maior semelhança com os Ândalos do que com os Roinares, alto, robusto e com cabelos castanhos, os quais sempre mantém curtos. Seus olhos são verdes e carregam uma característica de ferocidade, que pode ser reconhecida imediatamente. Por manter constante treinamento marcial desde a infância, possui um físico desenvolvido, com ombros largos que aumentam a temeridade causada pela sua presença. É um homem calculista e de pensamento tático. Valoriza a tradição e a lealdade, mas pode ser cruel e implacável quando acredita necessário. É regido por um código moral próprio, o qual justifica e aplica de acordo com os interesses da família. Não nutre sentimentos religiosos, embora acredite que a religião é um importante componente na manutenção da ordem. No ambiente familiar, contrasta seu cuidado e zelo para com os seus, os quais ama, verdadeiramente.

História do Personagem:
Arving viveu a sombra de sua irmã mais velha, a qual, por intermédio dos conselheiros da Casa, foi criada desde cedo para ser lady, deixando o irmão mais novo de lado. Desde a infância, dedicara-se a um rígido treinamento marcial e da ciência da guerra, aos quais acaba por aplicar no seu pensamento político. Levou a sério o lema da família “Nós guardamos o caminho” e por conta disso, passou grande parte do seu período de instrução, viajando por Dorne, para garantir que conheceria a geografia da região com perfeição. Por se afastar mais da corte de Paloferro, acabou por se aproximar mais dos nobres menores, mas sua teimosia e impulsividade o fez perder muitos dos amigos e aliados que fez. Cresceu com o pensamento de que cabia ao homem reger a si mesmo e garantir sua sobrevivência. Sua distinção física em relação a Elia se acentuou também na personalidade, conforme os dois cresciam separadamente. Arving se casou ainda jovem, com Yolanda da Casa Fowler, consolidando assim uma nova aliança e realizando aquilo que entendia ser sua responsabilidade e passou a se dedicar em transmitir aos filhos os seus valores, no entanto, Olyvar, seu primogênito, partiu cedo para uma vida de aventuras, o que aproximou o pai muito mais ao segundo filho, Cahir.

A morte de Cahir durante a Fúria dos Desertos deixou Arving mais amargo e cruel, por ter presenciado a selvageria que compõe o temperamento verdadeiro do homem, passou a enxergar como responsabilidade inalienável de um governante, o controle desta natureza selvagem dos homens. Entende a nobreza como maior símbolo diante dos governados, portanto, devendo ser o exemplo. A morte de seu filho, também serviu para acirrar ainda mais as relações entre ele e sua irmã. O equilíbrio de Elia, entrava em conflito com a dura e esmagadora resposta que ele imaginava necessária. Diferente de seu filho mais velho, Arving não descontou sua ira em seu povo, mas passou a atribuir a responsabilidade pela morte de Cahir totalmente sobre a Casa Blackfyre.

Após um determinado tempo, desacreditou da capacidade de sua irmã para governar e com a recusa de Elia em se casar, além das constantes barreiras que ela criava a ele para que viesse a ser seu conselheiro, tomou uma atitude drástica para assegurar o controle de Paloferro. Envenenou a própria irmã e após a morte dela, se tornou o chefe da Casa Yronwood.

Atributos

Criatividade: -
Força: - 5
Inteligência: - 4
Agilidade: - 4
Coordenação Motora: -
Vigor: - 3
Oratória: -
Fé: -

Membros atuais da casa:

Ramo primário:
+ Lorde Arving Yronwood, 35 anos, Senhor de Paloferro
- Sua esposa, Yolanda Yronwood, 32 anos, Senhora de Paloferro
- Seu filho, Olyvar Yronwood, 17 anos, herdeiro de Paloferro
- Seu filho, Cahir Yronwood, 14 anos, falecido  †
- Sua filha, Elyse Yronwood, 12 anos
- Seu filho, Artor Yronwood, 9 anos
- Sua filha, Lorenah Yronwood, 5 anos

Ramo secundário:
- Sua irmã, Elia Yronwood, 38 anos, falecida †
- Seu irmão, Bodrin Yronwood, 10 anos, falecido  †


Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Tomine Locke em Ter Jun 13, 2017 12:41 pm

Nome On: Tomine Locke

Nome Off: Anna Savionne

E-Mail: saviolefla@bol.com.br

Sangue: Legitimo

Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:

Tomine e uma jovem destemida e muito corajosa, que possui uma arrogância típica dos nortenhos, mas um coração grandioso. Ela e vista por muito como uma jovem estranha, contudo também e respeitada por seu espírito de persistência e liderança, além de sua habilidade como guerreira, especialmente com arco e flechas. Constantemente enlouquece sua mãe com suas constantes aventuras, mas apenas está vivendo sua vida e ganhando coragem para assumir o lugar de seu pai como senhora de Castelovelho e da casa Locke.

Ela também e considerada uma jovem bastante atraente com seus traços delicadas, pele pálida e olhos azuis intensos, porém não costuma gastar muito tempo com aqueles que admiram sua beleza, na verdade ela adora afugenta-los. Pois acha que não precisa se casar tão cedo, uma vez que seu compromisso e com sua casa, seu território e com seu povo.

História do Personagem:

Única filha de Lord Ondrew Locke e sua esposa Sybelle Flynt, portanto, sua herdeira. Tomine nasceu cercada de expectativas, primeiro porque seu pai desejava um menino para herdar o castelo e a chefia da casa Locke, segundo porque sua mãe vinha de uma série de abortos sucessivos, levando-a quase a ruína por não conseguir dar um herdeiro para o seu marido. Mas isso tudo mudou quando Sybelle ficou grávida e deu a luz a uma pálida garotinha de olhos azuis, inicialmente Lord Locke ficou desapontado por ser uma menina invés de um menino, entretanto foi só ele por seus olhos sobre a criança, que se apaixonou perdidamente pela mesma e percebeu que ela seria mais destemida e corajosa que muitos homens do Norte. Criada e educada para ser uma lady, Tomine enlouquecia sua mãe com suas habilidades peculiares para combates e hipismo, porém, a verdade e que ela não tinha a menor vocação para atividades femininas da nobreza, sua habilidade mesmo estava voltada para assuntos como armas, caças e lutas. Então, assim cresceu Tomine, acabando por torna-se uma guerreira bastante habilidosa e reconhecida nas terras de sua família. E obviamente, seu pai percebendo aquilo, tratou de apoia-la e instrui-la para que um dia ela viesse a substitui-lo como senhora de Castelovelho.

Parecia que Lord Ondrew estava prevendo o futuro, pois durante uma luta contra selvagens nas proximidades de Última Lareira, castelo ancestral da casa Umber, ele perdeu sua vida. Deixando assim Castelovelho sob o domínio de sua esposa e sua filha, Lady Sybelle acabou por ficar muito doente e depressiva com a perda do marido, mas assumiu o governo das terras da casa Locke. Atuando como regente até que sua filha se casasse e assumisse o seu lugar de direito; ela planeja casar Tomine com alguém de sangue nobre, mais com baixas pretensões na casa qual é membro. Muitos pretendentes foram escolhidos, contudo Tomine afugentou a todos, pois não deseja se casar tão cedo. Ela pretende apenas assumir o lugar que e seu por direito e governar os domínios de sua casa com tranquilidade, já que em sua concepção casamento e herdeiros podem ser arrumados num momento mais oportuno. Contrariando assim os planos de sua mãe.

Porém, durante uma viagem na companhia de sua mãe a Forte do Pavor a fim de fechar algumas alianças políticas, ela acabou por conhecer o protegido de Lord Sieg Stark, Ellard Snow, o conhecido bastardo de Winterfell. Um jovem rapaz por quem Tomine se interessou logo de cara, e com quem construiu uma forte amizade, chegando até mesmo a desenvolver laços amorosos com o mesmo. Obviamente, mantendo isso em segredo, afinal o que sua mãe iria pensar dela numa relação com um bastardo, mesmo ele sendo de sua casa suserana. Atualmente Tomine inventa qualquer desculpa para viajar a Forte do Pavor e encontrar o jovem bastardo, sendo que o único que tem conhecimento dessa relação e o senhor desse castelo e protetor do jovem. Mas a pergunta que fica, e que aventuras estão por vir para herdeira de Castelovelho? Só saberemos no decorrer de sua trama.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: - 2
Força: - 3
Inteligência: - 3
Agilidade: - 3
Coordenação Motora: -  2
Vigor: - 2
Oratória: - 1
Fé: -


Ficha aprovada


Última edição por Tomine Locke em Sab Jun 17, 2017 12:36 am, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Zakintia Martell em Qui Jun 15, 2017 3:49 am




House Martell


Nome do Personagem: Zakintia Martell
Nome OFF: Thiago
E-mail: thiagobraga.calheiro@gmail.com
Sangue: Legítimo
Região pertencente: Dorne
Característica do personagem:

Zakintia é a irmã mais jovem de Rylan Martell, Príncipe de Dorne. Desde muito jovem, revelou-se uma mulher de alma doce e compassiva, pouco dotada de desejo pelo poder ou gosto pela guerra. Zakintia foi durante sua infância e tenra idade, uma jovem ingênua e apaixonada pelos animais e pela beleza de Lançassolar, seu lar e tudo o que conhecia. Até que sua curiosidade vasta a dominou, aos quinze anos. Uma donzela considerada belíssima, disfarçava-se como pedinte, para visitar o mercado dornês, onde mercadores do mundo inteiro vinham de leste, e da Campina. Também vinham do Norte e do Ocidente, numa mistura de sotaques e línguas que sempre a haviam encantado. Conhecia um pouco do bravossi e também falava um valiriano muito pobre e carregado. A combinação de sua curiosidade e ingenuidade seriam a sua ruína. Seduzida por um mercador que lhe havia prometido conhecer o mundo, Zakintia foi sequestrada e estuprada, levada para Essos como uma jovem pobre e sem nome. Uma profunda mudança em sua maneira de ver o mundo teria início, construída a partir das cinzas de tudo o que considerava bom e justo. Vendida como escrava, foi salva pelo Templo Vermelho de Bravos e enviada para Volantis, para servir como acólita. Novos conhecimentos e dons a libertariam das ilusões do mundo. Uma nova mulher nasceria em seguida. Hoje, é uma mensageira de R’hllor. Uma serva e uma liberta, ao mesmo tempo. A chama da ambição ardendo forte em seu peito, ansiando pelo retorno ao lar e o reencontro com sua família.

História do personagem:
Após anos de seu desaparecimento, Zakintia foi considerada morta por seu irmão e grande parte de sua família. Enevoada pela tristeza e pela dor de sua perda, as lembranças a seu respeito foram mantidas como uma mácula à honra de Lançassolar. Nunca se soube o que teria lhe acontecido. A princesa perdida de Dorne, no entanto, enfrentaria grandes dificuldades após o seu rapto, mantida como escrava sexual num navio pirata das Terras Disputadas, que disfarçado como navio mercante teria ido para Dorne vender os frutos do seu saque. À força teria de adaptar-se à vida no mar, até que finalmente chegasse em Bravos e fosse vendida sob a sombra do Titã à uma Casa de Prazeres. Ali, Zakintia seria treinada na arte da sedução por longos dois anos, até que um visitante inesperado a enxergasse com olhos ardentes. O sacerdote vermelho fora em busca da libertação de escravas belas o bastante para tornarem-se prostitutas do Grande Templo de R’hllor em Volantis, atendendo aos fiéis em nome do deus. O homem enviado pela Primeira Chama do Senhor da Luz escolheria a dornesa, levando-a consigo na jornada de volta.

Em Volantis, Zakintia encontraria a paz pela fé. Sua libertação finalmente a recompensaria com o sentimento de pertencer a um lugar, onde teria conforto e amizade. Um local amistoso, onde seria cercada de almas irmãs, compartilhando de um mesmo sentimento. Não demorou até que fosse muito procurada, pelos fiéis do templo. Surpreendentemente, seus dons incomuns não tardariam a se manifestar, através de visões nas chamas. Seria então convocada a deixar o papel de prostituta, servindo como acólita e sendo treinada nas artes místicas e biológicas da profissão na fé. Ao fim de seu treinamento, como uma Sacerdotisa Vermelha, finalmente pediu autorização para retornar ao seu lar. Com a promessa de propagar sua fé com honestidade e fidelidade aonde quer que fosse, foi enviada de volta à Westeros, onde pretendia reencontrar seus entes queridos.

Ansiava pelo retorno, mas temia o que poderia encontrar. Sua própria existência seria uma surpresa, não apenas para o Príncipe de Dorne, mas para toda sua família e reino. A Princesa Perdida, agora uma mulher vermelha de olhos misteriosos e ambições incógnitas. Esperava ser útil nos tempos que viriam. As chamas mostravam, a mensagem era clara. O destino de Dorne era sombrio, e apenas a luz verdadeira de R’hllor poderia mostrar-lhes o caminho. Águias cruzando os céus, dragões negros devorados por leões e lobos. Os símbolos estavam lá, mas sua visão era turva. Turva pela urgência de seu coração.Turva pelas saudades que sentia, e pela expectativa de finalmente, após tantos anos, pisar mais uma vez no único e verdadeiro lar que já conhecera.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 1
Força: 1
Inteligência: 3
Agilidade: 1
Coordenação Motora: 2
Vigor: 1
Oratória: 3
Fé: 4

Família:
Atual configuração:

Árvore genealógica:
+ O Príncipe de Dorne, Rylan Martell, 33 anos
  - A Senhora sua Esposa, Princesa Cassandra Martell de Dorne
  - Sua filha e herdeira, princesa Katherine Martell
  - Seu filho, príncipe Rylon Martell
 - Seu filho, príncipe ___________
 - Sua filha, princesa ___________
  - Seu irmão, Príncipe Ryce Martell, 18 anos †
  - Sua irmã, Princesa Breniell Martell, 28 anos
- Sua irmã, Princesa Zakintia Martell, 22 anos




Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Visenya Blackfyre em Qui Jun 15, 2017 9:14 pm

Visenya Blackfyre
Acompañante | Dia de la Semana | Hora | Clima
Nome On: Visenya Blackfyre

Nome Off: Kah

E-Mail: Karol.2301

Sangue:  Legítimo

Região Pertencente: Terras da Coroa

Características do Personagem: Ambiciosa, violenta, inteligente, sagaz e uma ótima estrategista. A irmã mais nova do Rei de Westeros é uma mulher de muita ambição e muitos segredos. Jamais fora criada a sombra do irmão, mas como uma igual a ele. Não aprendeu almejar o trono de ferro, essa obrigação cabia ao seu irmão e a família dele, acreditava nas palavras de seu pai que dizia que um dia ela seria uma conquistadora e montaria um dragão. Passou três anos nas cidades livres, aperfeiçoando seus conhecimentos tanto intelectuais, quanto militares. Não é uma pessoa de personalidade dócil, muito pelo contrário, sua paciência é curta e não faz muita questão do uso de gentilezas. Tem a educação de uma princesa, mas seu orgulho muitas vezes a torna prepotente e arrogante. A ironia e o cinismo são constantes em suas palavras e não possui compaixão por quem a desacata. Temida por muitos, dizem que seu desempenho com uma espada é louvável, comparando-se aos melhores cavaleiros de Porto Real, é ela mesma quem treina seu filho mais velho. Mãe amorosa, costuma ter um comportamento mais ameno com suas crianças, todavia, não torna a vida deles fácil, teme que se tornem mimados e incompetentes como alguns de seus sobrinhos. Qualquer um que a desafie, corre sério risco de perder a cabeça, literalmente e há quem diga que a mulher é extremamente cruel. Gosta dos prazeres mundanos, como comer, beber e obviamente sexo, não fazendo distinção entre homens ou mulheres. Visenya realmente se vê como um dragão.

História do Personagem: Era noite alta quando a estrela cadente cortou o céu de Porto Real, a lua majestosa esbanjava seu brilho pelo céu iluminando, acanhando as estrelas que teimavam em lhe fazer companhia. Generosa, cedia seu brilho para iluminar o aposento da mulher que trazia em seus braços uma pequena menina, de cabelos platinados como o brilho do luar naquela noite e de olhos com a mais peculiar das cores que poderia existir. Acolhida ao seio materno, não havia choro e o único estrondoso som a se ouvir, fora a ranger da porta que abriu abruptamente, revelando a figura do homem que aguardava do lado de fora. O homem não devia ter mais do que seus trinta anos, os longos cabelos prateados quase brancos estavam bem presos impedindo que caíssem pelo rosto, os olhos violeta eram harmoniosos com o tom pálido de sua pele, uma figura exótica, única talvez, mas que evidenciava suas origens. Não era um fidalgo, os braços de músculos torneados evidenciavam os anos de labuta nos campos de batalhas, mas naquele momento, ele teria que fazer uma escolha e assim ele o fez mentalmente sem que a mulher soubesse de seus pensamentos.

Seus passos eram letárgicos, quase contados, a hesitação ainda era forte, sobrepondo sua curiosidade, mas era algo que ele precisava vencer, o caminho que havia escolhido não lhe oferecia uma chance de voltar e sabia que assim não o poderia fazer. Curiosos seus olhos observaram a criança, não havia nenhum ruído, nem mesmo a brisa ousava soprar no lugar. O silêncio sepulcral incomodava apenas a mulher que aninhava a menina ainda mais m seu peito. O homem sorriu de canto, algo raro e abaixou-se até que alcançasse a testa da mulher para ternamente depositar um beijo: — Não lhe darei um nome qualquer. Lhe darei o nome de uma rainha. Não uma rainha qualquer, mas aquela que conquistou Westeros junto de seu Rei. Aquela que montou Vhagar e o domou, como um dia você o fará quando necessário. — Sua voz era serena, mas ainda assim dotada de uma certeza que causava arrepios na mulher que segurava a criança: — Hoje, como seu pai, lhe chamarei docemente de Visenya, no futuro, será Visenya, A Conquistadora. — Profetizou o homem enquanto nomeava a pequena filha. Assustada e sem reação a mulher o encarou, seus olhos violetas pareciam queimar: — Mas, eu não lhe dei outro filho varão que tanto desejava, meu esposo. — Indagou confusa. Ele meneou a cabeça e voltou a olhar a menina em seus pequeninos olhos: — Me deste uma conquistadora. É tudo que eu precisava. Aegon tomou essas terras ao lado de suas duas irmãs e eu posso ver nela, a mesma essência de nossas antepassadas. — Respondeu prontamente a mulher, findando qualquer outro assunto.

A garota era criada como uma princesa, coberta de luxo, mimos, educada para ser uma princesa herdando o legado de sua mãe. Deveria ser assim, mas seu pai tinha planos muito diferentes e muito mais ambiciosos para sua filha e de alguma maneira a menina parecia desejar muito mais que as aulas chatas de bordados e costuras. Mas somente quando o misterioso tutor de Visenya chegou ao castelo, que todo o talento da menina desabrochou como uma flor. Era um homem de idade já um pouco avançada, corpo esguio e pele pálida como um cadáver, segundo ele seu local de nascimento era a escura Asshai das Sombras. Seu passado e presente eram uma grande incógnita, mas esse parecia ter uma grande amizade com o pai da Blackfyre. A inteligência do homem e seus conhecimentos impressionavam a todos, ainda mais uma criança que tinha a vida toda pela frente, sua única função era instruir a jovem menina, nos mais diversos campos de conhecimento possíveis e assim ele o fez. Desde o mais básico das histórias dos Sete Reinos, até as mais ocultas histórias Além do Mar Estreito. Despertou em Visenya, o desejo pelo sangue do dragão em suas veias e sua curiosidade e paixão por dragões, contando histórias de Meraxes, Vhagar e Drogon.

No entanto, não era apenas o psicológico de sua pequena conquistadora que era preparado, seu corpo da mesma forma era ensinado. Obviamente a Rainha dos Sete Reinos esbravejou contra esse capricho de seu marido e o indagou sobre a descabida decisão. Sereno ele a encarou em seus olhos negros, sua mão foi ao maxilar dela segurando-o firme: — O futuro dela é muito maior do que você almeja com suas pequenas futilidades. Ela será uma conquistadora. — Sua fala foi pausada à medida que libertava o queixo da esposa: — Eu sonhei. — Murmurou misterioso e fazendo com que suas palavras se perdessem ao vento. De fato, a pequena Blackfyre estava longe de ser uma mulher como as outras, seu destino estava traçado desde o começo, desde que seus antepassados se levantaram contra os dragões vermelhos. Visenya crescia de uma forma muito diferente de seu irmão mais velho, o herdeiro do Trono de Ferro. Aemon se mostrava o que todos esperavam, enquanto ela, crescia como um verdadeiro dragão, indomável.

Esforço, suor e paciência, alicerçada nesses três pontos a jovem herdeira cresceu, escutando as histórias de seu pai e como haviam sido roubados pelos Targaryem, somente conseguindo reaver o trono, muitos anos depois, com muito sangue e suor.  Visenya sabia que jamais ascenderia ao trono, não era seu por direito, mas sabia que seria ela quem deveria expandir os domínios e o poder dos Blackfyre, além de manter seu irmão no poder por longos anos. A personalidade forte surgiu ainda no princípio da adolescência, não se curvando aos caprichos de sua mãe que teimava em lhe poupar do futuro incerto que seu pai profetizava. As palavras da mulher que pareciam absurdas para Visenya, seu pai havia sonhado e ela sabia que aquela seria uma profecia que iria se realizar, um dragão muitas vezes pode ver muito mais do que os olhos comuns e não podia julgar sua mãe por ter uma visão tão medíocre, ela jamais saberia o que era ter sangue valiriano em suas veias. Ela jamais entenderia que um dragão sempre seria um dragão, não importava a cor que ele tivesse.

Ao décimo quinto dia de seu nome, Visenya já era uma mulher, sabia o que desejava e ser uma mera dama de salão não fazia seu feitio. Pediu ao pai que viajasse até terras longínquas, tendo como companhia apenas um dos homens de confiança de seu pai. A Rainha e sua genitora negou veementemente, mas o Blackfyre encarou os olhos de sua amada filha e lhe disse quer partisse, deveria procurar seu caminho. Todavia, ao seu regresso, deveria se casar com o homem escolhido por ele, sem questionamentos ou qualquer outra coisa. Para uma jovem que amava sua liberdade como ela, era uma escolha difícil a se fazer, todavia, precisava confiar nas palavras de seu pai. Não temia o futuro que ele lhe propunha, mas esperava que seu pai soubesse escolher o homem que se casaria com sua filha, afinal, não seria qualquer um que conseguiria doma-la e tão pouco despertar seus sentimentos, se é que havia algum dentro de si. Acompanhada de seu tutor e mais alguns homens de confiança do então Rei, a jovem Princesa partiu.

Por vários dias viajaram pelo mar, até que chegou em Braavos, a primeira cidade que conheceu. Depois fora a vez de Pentos, cavalgaram pelas estradas essorianas e antigas estradas Valirianas. O destino parecia não existir, todo o tempo, tudo que ela havia aprendido era posto à prova, tolos daqueles que entraram em seu caminho, foram mortos sem um pingo de remorso pela mulher. Foi então que ela notou que havia algo mais naquele homem que cuidadosamente cuidava de sua educação, os segredos que ele conhecia. Sua visão do mundo e de tudo ao seu redor tornaram-se diferente, ela conseguia ver o que realmente era e o que realmente precisava fazer quando voltasse a Westeros. Não sabia explicar como, mas era como se algo dentro de si tivesse despertado e fizesse seu peito queimar como labaredas intensas.

Depois de três longos anos, Visenya retornou a sua casa, seu pai esperava ansioso por sua volta, sua mãe, nem tanto. Como prometido, a jovem Blackfyre casou-se com o marido escolhido por seu pai, um homem de origem na Casa Celtigar, com traços tão valirianos quanto os dela. Após o casamento, deixou Porto Real, passando a residir em Ilha da Garra. A relação com Aerion se mostrou tumultuada desde o começo, principalmente quando se tratava da Companhia Dourada. Visenya de uma forma indireta se juntou a eles, mostrando que era uma mulher forte, não era sua líder, mas era bem próximo de quem ocupava tal cargo. Jamais largou seus treinos com espada e chicote, ms viveu uma vida frívola ao lado de seu marido, gostava de ser como era e os Celtigar  que se adaptassem a ela. De sua relação, gerou um casal de filhos e apenas eles. Mostrou-se uma mãe dedicada, mas assim como seu pai, ensinou a eles o significado de ser um Blackfyre desde cedo, os tornando tão orgulhosos quanto ela, não permitindo que as crianças carregassem o nome do pai e sim o de sua família. Na verdade, o que aquela família escondia, fazia com que ela entendesse o motivo daquele casamento. Aquele seria seu primeiro passo como uma conquistadora.

No quinto dia de seu nome de seu filho mais velho, seu marido veio a falecer de um mal súbito ou não tão súbito assim, que nem os mais experientes meistreis souberam dizer. Não podia negar que sentia alívio pela situação, não suportava aquele homem em sua cama, preferia os dias que ele dormia com suas amantes, para que ela pudesse se divertir com as jovens servas do castelo. O luto fora guardado pelo tempo necessário, depois, entregou-se novamente a liberdade que tanto amava. Havia se afastado da família de seu irmão, na verdade, não suportava Porto Real e preferia tomar frente de seus próprios propósitos, o que foi decisivo no afastamento dos irmãos Blackfyre, mas não o trairia e tão pouco tentaria tomar seu lugar como soberano dos Sete Reinos. Porém, jamais esqueceu-se da antiga profecia de seu pai, seria ela, quem domaria um dragão e conquistaria tantos territórios quanto a Rainha Dragão. Visenya então passou a desejar mais e os constantes conflitos com o pai de falecido marido tornaram-se mais intensos. Naquele momento ela sentiu a necessidade de conquistar seu primeiro território e esse seria a Ilha da Garra com suas riquezas.

Era uma mulher sabia e inteligente, mas com o auxilio de alguns homens da Companhia Dourada, forjou uma traição a Coroa e a ela, acusando seu sogro de tentar matar suas crianças sob pretexto que os filhos do irmão mais novo de seu marido herdassem Ilha da Garra. Um plano tão bem fomentado que seu irmão e já Rei, acreditaram na insubordinação dos Celtigar. Visenya enviou seus filhos para Pedra do Dragão e conduziu o ataque que dizimou os Celtigar até seu último descendente, nem mesmo aqueles que estavam longe da Ilha puderam escapar das garras do Dragão Negro, que mandou mercenários caça-los pagando generosas quantias de ouro. Pouco se importava se eles possuíam sangue da antiga Valíria, o fato é que eles não ficariam em seu caminho. Quando o último estandarte da antiga família senhora daquelas fora queimado, o grande dragão negro em fundo vermelho surgiu nas torres mais altas e Visenya apossou-se de tudo que pertencia a eles anteriormente, inclusive seus segredos.  



Criatividade: 1
Força: 2
Inteligência: 3
Agilidade: 3
Coordenação Motora: 2
Vigor: 3
Oratória: 2
Fé: ---

+ Princesa Visenya Blackfyre, 37 anos, Princesa de Ilha da Garra e Senhora da Baía dos Caranguejos.
   - Seu Marido, Lorde Aeron Celtigar, 26 anos, morto por envenenamento. †
   - Seu filho, Príncipe Daeron  Blackfyre , 18 anos.
   - Sua filha, Princesa Rhaenyra Blackfyre, 17 anos.






Ficha aprovada

_________________
"The Black Dragon"
Visenya Blackfyre

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Ellard Snow em Qui Jun 22, 2017 11:58 am



Snow..


Nome On: Ellard Snow
Nome Off: Nathan Lopes
E-Mail: louco_nathan@hotmail.com
Sangue: Bastardo
Região Pertencente:Norte
Cargo: Capitão da Guarda

Características do Personagem:

Ellard e um jovem de personalidade louvável, tendo ele todas as qualidades necessárias para obter o sucesso em tudo que se proponha a fazer, sendo ele inteligente, astuto, ambicioso, mas acima de tudo humilde. Possui um grande coração e está sempre disposto a ajudar quem necessita, e apesar de ser um bastardo, não permite que essa condição afete em muitas áreas de sua vida, pois sabe o valor que pode obter através do próprio trabalho. Ele e um jovem que consegue cativar muito bem as pessoas e ser querido por elas, sendo essa a sua maior qualidade.


Ele também e um jovem alto e robusto, o que lembra em muito as características do lado materno de sua mãe, uma Umber de sangue. Mas apesar de sua alta estatura, ele possui a beleza da alta nobreza Stark, com sua pele pálida e seus olhos extremamente azuis. Ele facilmente e visto despertando o interesse de algumas mulheres, porém o interesse que não dura mais que algumas semanas, devido a sua condição de bastardo. No entanto, recentemente ele conheceu uma jovem que não da muita importância para isso e que realmente parece gostar dele. Mas ambos mantêm uma relação secreta, pois ela e uma herdeira de casa nobre e ele um simples bastardo, por mais nobre que o seu próprio sangue possa ser.



História do Personagem:

Proeminente de Última Lareira sede ancestral da casa Umber no Norte, Ellard e filho bastardo do falecido senhor de Winterfell, Rickon Stark, com uma jovem Umber que faleceu logo após o parto. Ele foi levado por seu pai ainda recém-nascido para a sede ancestral da casa Stark, onde foi criado sob a mesma educação e instrução que os filhos legítimos do Lord, que na época era o atual guardião do Norte. Contudo, nunca esquecendo que era apenas um bastardo, mesmo tendo sangue nobre correndo em suas veias. Ele permaneceu em Winterfell sob a proteção do seu pai por vários anos, sendo criado e educado junto a seus meio-irmão Bryan, Jeremy e Mabelle, tendo uma ótima relação com esses dois últimos mencionados, uma vez que Bryan não era uma pessoa muito extrovertida e aberta a amizades. Mas gostava de pensar que o seu meio-irmão mais velho também tinha algum laço afetivo por ele, afinal mesmo sendo um bastardo, o sangue de Rickon Stark, corria em suas veias. Porém, o fato de crescer com seus meio-irmãos nunca tornou a sua vida fácil em Winterfell, pois desde que Ellard entendia que tinha uma mente matura o suficiente, lembrava que a esposa legítima de seu pai o desprezava, não somente isso, ele tinha certeza que Lady Stark o odiava por ser o fruto da traição de seu marido. Mas quem poderia culpa-la, não e verdade? Mesmo a melhor das mulheres ficaria irritada somente com a possibilidade de conviver com um bastardo de seu marido, imaginem então realmente conviver com o mesmo, tendo de observar e até mesmo ter de ajudar na criação do dito-cujo. Enfim, o fato e que Ellard foi criado e educado em Winterfell, tornando-se um jovem muito atraente e inteligente, além de querido por muitos na sede da casa Stark.

Entretanto, quando o seu pai Lord Rickon Stark faleceu, Ellard foi enviado como última vontade do mesmo para junto de uma nobre da confiança do Stark, Lady Darlessa Tallhart da Praça de Torrhen. Pois Rickon temia pela vida do jovem bastardo, não exatamente por causa de seu herdeiro Bryan, mas por conta de sua esposa que odiava o rapazote Snow. Ellard partiu para Praça de Torrhen e passou a viver sob a proteção de Darlessa Tallhart, tendo a educação complementada pelo Lord, assim como o seu treinamento para guerreiro. Atualmente ele e considerado quase como um irmão mais novo por Darlessa Tallhart, tendo uma posição de respeito dentro da própria guarda da Praça de Torrhen, como o seu capitão. Contudo, ele espera o dia em que seu irmão Bryan possa chama-lo de volta para Winterfell, afinal apesar da relação de ambos nunca ter sido intensa como meios-irmãos, também nunca foi de desprezo e indiferença. Ellard sabe de sua condição como bastardo, mas espera ser útil em Winterfell, assim como passou a ser na sede da casa Tallhart. Ele também conheceu e se apaixonou por uma jovem de sangue nobre que conheceu na Praça de Torrhen, cujo nome e Tomine Locke, na verdade a herdeira de Castelovelho. Ambos mantêm uma relação amorosa secreta, cuja única pessoa que tem conhecimento e exatamente a sua protetora Darlessa, porém, Ellard sabe que não tem nada a oferecer a essa jovem, mas também não consegue se afastar da mesma. O que o colocou num dilema que só será resolvido no futuro.

Então, vamos ver o que o futuro do jovem bastardo de Winterfell o espera...



Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: - 1
Força: - 3
Inteligência: - 3
Agilidade: - 3
Astúcia: - 2
Vigor: - 2
Oratória: - 2
Fé: -







Capitão da Guarda

Tks Maay from TPO


Ficha aprovada


Ficha aprovada


Última edição por Ellard Snow em Ter Jul 11, 2017 9:19 pm, editado 1 vez(es)

_________________
Ellard Snow
....

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Rickard Swann em Qua Jun 28, 2017 7:40 pm



Cisne Negro

Nome On: Rickard Swann
Nome Off: Nathan Lopes
E-Mail: louco_nathan@hotmail.com
Sangue: Legitimo
Região Pertencente: Terras da Tempestade
Cargo: Castelão


Características do Personagem:

Rickard e um homem sério e muito leal a sua casa e também a seu suserano, sempre disposto a ajudar os necessitados que surgem em Pedrelmo. Também e visto como um dos mais habilidosos guerreiros das Terras da Tempestade, sendo sempre um dos primeiros vassalos a atender os chamados de Ponta da Tempestade, assim como seguir a casa Baratheon em tudo que se propõem a fazer.

O cavaleiro de Pedrelmo e um homem bonito e de grande porte, cuja beleza chama a atenção de inúmeras donzelas por anda passa. Porém, não tem interesse em casar com donzelas que julga ser mimadas e idiotas, buscando para ter a seu lado uma mulher de personalidade forte e alma de guerreira. Atualmente sofre com uma constante pressão de seu irmão para que conquiste e case com a senhora de Porto Negro.




História do Personagem:

Proeminente da casa Swann de Pedrelmo nas Terras da Tempestade, Rickard e o filho mais novo de Lord Alyn Swann com uma senhora da casa Fell. Criado e educado no próprio Pedrelmo, o jovem desde muito pequeno foi treinado e instruído para ser o suporte do seu irmão mais velho, quando o mesmo substituísse o seu pai, uma vez que o mesmo só tinha a eles dois como filhos. Porém o futuro de Rickard não estava ligado a sua casa e nem a ajudar o seu irmão no castelo da família, não tão cedo, já que com apenas onze anos foi enviado para o norte de Porto Real a fim de servir Lord Stokeworth como pajem em suas terras. Passando anos sob a proteção de Lord Stokeworth e o servindo como pajem e escudeiro, sendo exatamente na companhia desse Lord que as suas habilidades para combates começaram a aflorar. E como mencionado antes, o seu futuro naquela época não estava mesmo em Pedrelmo, pois no momento que se tornou cavaleiro sob a fé e a benção dos sete, ele partiu para Porto Real. Ingressando na ordem dos mantos dourados, após escutar que eles estavam precisando de jovens cavaleiros para complementar o seu contingente. Foram alguns anos também a serviço da patrulha da cidade, não demorando muito para perceber durante todo esse tempo, que a ordem de soldados que cuidava da segurança em Porto Real, não era mais que um antro de corrupção e distorção de valores. Sendo um dos poucos que realmente fazia o seu trabalho com honestidade e maestria, o agora conhecido Sor Rickard Swann ascendeu rapidamente a altos postos na ordem. Chegando até mesmo a se tornar o seu sub-comandante, mas não durando muito tempo. Contudo, no tempo que passou em Porto Real a serviço da patrulha da cidade, Rickard tentou erradicar os erros que encontrou na mesma e tornar as ruas de Porto Real mais seguras, apesar de não conseguir e perceber que estava apenas perdendo o seu valor naquele lugar.

Ele, então, abdicou do seu posto e tentou retornar para casa, mesmo com o seu pai desgostoso por ele ter desistido de ficar junto de sua família por tanto tempo, em favor de uma ordem de cavaleiros há muito esquecida, ou mesmo, morta. No entanto, ele retornou para casa e foi perdoado por seu pai, assumindo o lugar de castelão ao lado de seu irmão mais velho, o herdeiro e futuro senhor de Pedrelmo, onde permaneceu até a morte de Lord Alyn, quando, então, seu irmão assumiu o lugar de seu pai como líder da casa e recebeu o título de Lord sob o castelo e todas as posses do mesmo. Honrando a sua casa e servindo a casa Baratheon de Ponta da Tempestade como um fiel vassalo, Sor Rickard Swann também seguiu o mesmo exemplo do irmão, assumindo o titulo de cavaleiro de Pedrelmo, e tendo de aturar a constante pressão de seu irmão que agora busca um casamento para ele com a Lady amazona, Alayna Dondarrion, senhora de Porto Negro, a fim de conseguir uma aliança entre Pedrelmo e Porto Negro. No entanto, não será tão fácil para o homem conquistar a nobre senhora dos relâmpagos, apesar de contar com uma forte aliada nessa questão, a rainha dos espinhos, Desmera Tyrell, que e uma velha amiga dos Swann. Vamos ver que aventuras o esperam nessa história.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: -
Força: - 3
Inteligência: - 4
Agilidade: - 3
Astúcia: - 2
Vigor: - 3
Oratória: - 1
Fé: -


OBs: Já pedi a mudança de sobrenome


Ficha aprovada

_________________
Rickard Swann ...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Allyria Piper em Qui Jun 29, 2017 6:31 pm

Ficha - Família Piper - Terras Fluviais


Modelo de Ficha

Nome On: Allyria Piper.
Nome OFF: Eduardo Peres.
E-mail: eduardopallas@outlook.com.
Sangue: Legítimo.
Região Pertencente: Terras Fluviais.
Características do Personagem:  Allyria é uma garota de pele branca, cabelos escuros e olhos azuis como um céu sem nuvens. Seu corpo é bem desenhado e belo, pois já possui dezessete anos. Tem um metro e sessenta e oito de altura, não sendo muito alta – mas também não é muito baixa. Seus traços faciais foram bem delineados, parecendo que é uma obra de arte.

Allyria é conhecida por ser totalmente fria, sempre seguindo o raciocínio – principalmente quando está focado no bem de suas terras. É lésbica, mas está disposta – mesmo não querendo – a se casar com algum rapaz, permitindo que ainda haja riqueza em sua família e que os Piper não sumam do mapa. Não é religiosa, mas finge ser uma seguidora da Fé dos Sete quando algum indivíduo dos Sete está próximo, como septões ou alguém do gênero. É conhecida por torturar e ter uma personalidade cruel com os seus inimigos – apesar de não ser uma coisa muito exposta, é algo oculto que guarda em seu âmago.

História da Personagem: Allyria nasceu numa noite fria e tranquila em Donzelarrosa. Desde o nascimento, recebeu o apelido de “A Fria”, pois não chorou mesmo após levar alguns tapas nas nádegas. Dizem que seu rosto estava inerte, como uma criatura que apenas vivia e nada mais. Sua progenitora, Lenna, amou-a desde o início, mas isso não ocorreu com o seu pai – ele queria um filho, não uma garota. O desgosto esteve visível nos olhos dele – seu nome era Aron – e isso também foi exposto na forma como tratava a criança: não queria pegar Allyria no colo e resolveu se isolar num aposento em Donzelarrosa, onde morreu de tanto desgosto após dois anos.

Sua mãe, Lenna, tornou-se a nova governante das terras – e jurou que jamais se casaria com outro homem, mesmo que tivesse pressão, pois não queria que nenhum outro homem pudesse tratar sua filha como uma criatura inferior. A progenitora da criança fez com que ela fosse alfabetizada e obtivesse um vasto conhecimento desde pequena, assim, tornou-se numa menina sábia, inteligente. Desde pequena, Lenna dizia que ela jamais deveria depender de homem algum para continuar existindo, que só deveria usá-los para manter as gerações da Família Piper.

Aos doze anos, Allyria já sabia a grande importância da política e conseguia deixar vários indivíduos perplexos com o seu jeito. Era fria e importava com Donzelarrosa – e nada mais. Apesar disso, era conhecida por ter o costuma de machucar suas aias. Sua mãe dizia que, caso morresse, ela deveria cuidar de todas as terras, e foi assim que o desejo de poder tomou conta da jovem. Crescia cada vez mais e, junto disso, a vontade de ser a matriarca dos Piper também.

Aos quatorze anos, sua mãe lhe apresentou novos servos – e um deles tinha uma família, cujo nome era Karitza. Foi naquele instante em que se apaixonou pela moçoila. Tiveram uma relação às escondidas até completar dezesseis anos, quando a genitora de Allyria viu as duas no primeiro ato sexual de ambas. Lenna mandou cortar a cabeça da menina e dos pais da garota, o que deixou a filha da Lady completamente irritada. O ódio tomou conta de seu âmago e o amor que tinha pela mãe converteu-se em puro desprezo.

Aos dezessete anos, sua mãe morreu de velhice – tinha 58 anos, já estava cansada. Em seu leito, falava o nome da filha, implorando para que ela fosse lhe visitasse – mas Allyria nunca fez isso. Esperou que a morta a consumisse e, posteriormente, mandou que queimassem o seu corpo e jogassem as cinzas no Ramo Vermelho, para que a água levasse para bem longe. Após isso, tornou-se oficialmente Lady de Donzelarrosa, onde começou a governar todos de maneira rígida, mas ao mesmo tempo era justa – sendo cruel somente com aqueles que desafiassem as leis.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com seu personagem:

Criatividade: 03.
Força: 01.
Inteligência: 04.
Agilidade: 01.
Coordenação Motora: 02.
Vigor: 01.
Oratória: 03.
Fé: 01.        

+ Antigo Lorde de Donzelarrosa, Aron Piper. Morreu aos 60 anos, após adoecer por causa do nascimento de sua única filha, Ellarya.
+ Antiga Lady de Donzelarrosa, Lenna Piper. Morreu aos 58 anos, se velhice.
+ Atual Lady de Donzelarrosa, Allyria Piper. Assumiu o controle das terras da família aos 17 anos.




Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Benjamin Belmore em Qui Jun 29, 2017 9:24 pm



Casa Belmore


Nome On: Benjamin Belmore
Nome Off: Kaique Cunha
E-Mail: kiq.e3@hotmail.com
Sangue: Legítimo
Região Pertencente: Vale
Características do Personagem:

É um homem completamente habilidoso com espadas além de ser frio, calculista, inteligente e perdidamente apaixonado por seu irmão e parentes próximos. E alto musculoso, geralmente deixa seus cabelos caindo pelos ombros, mas as vezes o corta. Não tem nenhum desejo de abandonar seu cargo e o castelo de sua família, além do fato que ama as montanhas da lua.

Historia do Personagem

O Nascimento:

Walter Belmore lord  era um homem esperto, astuto e calculista e amava sua mulher Mylenne Belmore acima de tudo, quando descobriu que a mesma estava grávida ficou bastante contente e deu uma grande festa em seu sigiloso castelo que ficava no Vale, comemorando e se exibindo que seu primeiro filho seria um garoto, dito e feito em uma noite chuvosa à lady foi levada até seu quarto estava prestes a ganhar o seu bebê, até então ambos não tinham pensado em nomes, quando o garotinho nasceu Walter não pensou em outro nome a não ser Benjamin, e assim após a septã colocar o bebê nos braços de sua mãe, o lord deu um beijo em sua esposa absolutamente feliz.

Infância:

Quando garoto Benjamin gostava de brincar com alguns navios de madeira que o mesmo possuía, era bastante luxado por seus pais e sempre tinha tudo que queria, mal sabiam que isso afetaria o garoto quando crescesse. Aos cinco anos sua mãe engravidou novamente, ele teria um irmão cujo nome seria ____ e a partir desse momento o pequeno Benjamin seria um tanto quando deixado de lado pelo Lord e pela Lady.E assim se tornaria um adolescente tímido, sozinho, observador e inteligente.

Adolescência:

Quando se tornou adolescente Benjamin não mimava mais seu pequeno irmão e começava a pensar em seu futuro, o mesmo se interessava por armas e coisas do tipo como os outros garotos de sua idade, preferia ficar treinando com sua espada do que ficar lendo algum livro de história embaixo a uma árvore ou ficar estudando matemática. Devido a isso se tornou muito habilidoso nos treinos que seu pai havia autorizado, o Lord então percebeu que seu filho seria um hábito cavaleiro como ele havia sonhado.

Fase Adulta:

Assim que Benjamin estava adentrando a fase adulta ele resolveu fazer uma coisa que seu pai jamais imaginava, já tinha pensado muito no assunto então pediu para que seu pai o deixasse se tornar capitão da guarda de Cantoforte. Assim deixaria de ser o herdeiro que assumiria o lugar de seu pai e passaria tal títulos e honra para seu irmão mais novo. Lord Walter não aprovou aquilo de primeira, mas quando percebeu que era isso que seu amado filho desejava aceitou, e tomou as providencias necessárias para assumir tal cargo ( Benjamin já havia se tornado um cavaleiro em sua adolescência ) . Depois algum tempo seu amado pai veio a falecer de velhice, junto a sua mãe sendo assim seu irmão que já havia se tornado um homem, assumiu como lord Belmore. O capitão se mantinha feliz protegendo aqueles que amava, enquanto _____ governava perfeitamente seu castelo.

Arvore da Familia:
Benjamin Belmore, 33 anos, Capitão da Guarda de Cantoforte
Seu pai Walter Belmore, 64 anos ✞
Sua mãe Mylenne Belmore, 50 anos (uma Egen de nascimento) ✞
Seu irmão _______ Belmore, 28 anos, Senhor de Cantoforte

PS: Deixei a vaga do lord meu irmão Disponível, se o futuro jogador quiser adicionar mulher e filhos para ele ta liberado.




O Som da Vitoria!
------------------------------------------------------------------------------
@Lilah



Ficha aprovada


Última edição por Benjamin Belmore em Sex Jun 30, 2017 10:17 am, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Boros Landless em Qui Jun 29, 2017 10:01 pm

Nome On: Boros Landless
Nome Off: Gleisson
E-Mail: warbornlord@gmail.com
Sangue: Bastardo
Região Pertencente: Ilhas de Ferro

Características:
Boros possui a pele escura, uma mistura do sangue de Westeros e das ilhas de verão, cabelos crespos e uma pequena barba. É bastante alto, possuindo mais de 1,90 e é muito forte.
Apesar de ter um corpo feito para a guerra, Boros é bastante amigável. Sempre de bom humor e sorrindo, apesar disso apresenta uma disciplina incondicional. Falando sempre respeitosamente e possuindo uma lealdade indestrutivel por seus senhores.

História:
O pai de Boros era um marinheiro das Ilhas de Verão, um pirata na verdade. Saqueando em Essos e Westeros, caçando comerciantes através do mar. Em certa ocasião, acabou fazendo amizade com homens de ferro enquanto saqueava.

Alguns anos após isso, se mudou para as Ilhas de Ferro junto com seus homens, onde teve um filho com uma prostituta local. Esse filho era Boros.

Boros foi criado como um homem de ferro, ensinado a pagar o preço de ferro pelo que queria, ensinado que o que está morto não pode morrer.

Boros não tinha mais de seis anos quando o pai partiu para uma pilhagem e não voltou mais, acabou tendo de trabalhar nas minas da casa Goodbrother, até assassinar o gerente das mesmas.

Boros iniciou sua carreira como um contrabandista quando jovem, levar as mercadorias de um lugar para o outro ilegalmente. Não era como ser um pirata, mas era um começo.

Alguns anos depois Boros foi aceito no navio de um lorde tradicionalista e passou a invadir junto com ele. Alto, forte e resistente, Boros sempre se destacou no combate, reduzindo seu inimigos à anões quando diante dele.

Com a morte de seu capitão, Boros assumiu o controle do navio e tripulação e abandonou as invasões para pilhar em alto-mar. Atacar comerciantes de Essos era muito mais lucrativo.

Enquanto pilhava próximo as costas de Dorne, Boros acabou sendo capturado pelo Lord Fowler e levado para Alcanceleste.
De alguma forma, Boros subiu de prisioneiro para guarda com o tempo, provando sua lealdade a Casa Fowler mais de uma vez.

Quando a filha do seu senhor, Yolanda Fowler casou Arving Yronwood, Boros foi com ela até Paloferro como seu protetor.

Criatividade:
Força: 4
Inteligência:
Agilidade: 4
Coordenação Motora: 4
Vigor: 4
Oratória:
Fé:




Última edição por Boros Pyke em Sex Jun 30, 2017 11:39 pm, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Mirabella Di Tenebre em Sex Jun 30, 2017 11:03 am

A jovem dama
dos sete



Nome On: Mirabella Di Tenebre
Nome Off: Fran Brito
E-Mail: Fraanviana@hotmail.com
Sangue: Bastardo
Região Pertencente: Norte

Características do Personagem:

Mira é dona de uma personalidade forte e até deslumbrante. Sabe do poder que tem como mulher e não se retém em usá-los em proveito próprio. Poderia ser vista como uma mulher inescrupulosa, contudo, isso é apenas intrínseco a ela, não se poderia separar tal consciência sem que uma profunda mudança se fizesse nela, mudando-a por completo, lhe tirando toda a exuberância. Observadora e meticulosa sabe bem como chamar atenção para si. Adoradora de jogos de manipulação e cobiça adora qualquer coisa que envolva a luxuria, a guerra e uma boa disputa amistosa, desde que claro saia como vendedora de alguma forma, dificilmente aceita perder. Sua aparência lhe permite que seja um tanto quanto mandona e até mesmo uma líder nada odiando também receber ordens de pessoas com pouca classe. Delicada e perfeccionista sabe como abusar do belo corpo de mulher sabendo bem que possui extrema beleza. È muito vaidosa não aceitando que um único fio de cabelo permaneça fora de seus penteados perfeitos, traja-se sempre de maneira elegante, gostando de coisas que envolvam luxo e requinte.

Possui cerca de 1,70 de altura e um corpo escultural, os cabelos batendo na cintura, seios fartos, coxas grossas e lábios vermelhos e carnudos, olhos verdes e marcantes, a pele morena cor de canela, sedosa e macia, seu perfume marcante faz muitos olhares se virarem em sua direção, não que isso também não seja algo de fato extremamente comum.

História do Personagem:

Mirabella é uma jovem moça de grande exuberância, nascida nas terras do norte, a pequena fora criada por seus tios após perder a mãe no parto. Aos 5 anos de idade a garota morena e de tamanha beleza fora vendida por sua tia a uma casa de prostituição por algumas poucas moedas, mais o que na verdade a mulher temia era ser trocada por uma moça mais jovem, mesmo sendo uma bastarda.

Desde muito nova a moça sabia que era diferente, por diversas vezes, Mirabella se viu olhando as demais prostitutas pela fresta da porta enquanto estava fazendo o seu trabalho, e por diversas vezes ela gostou de tudo o que via. Assim que chegou a adolescência, com treze anos, Mirabella começou a ser ensinadas pelas demais moças que viviam ali, como satisfazer os desejos dos homens, como ser a mulher perfeita na cama. Mirabella sempre foi digna de muita beleza era desejada por todos os homens que ali chegavam, mais por ser pura e virgem, não era facilmente conquistada a não ser por aquele que paga-se o maior valor.


Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:

Criatividade: 4
Força: -  
Inteligência: 3
Agilidade: 1
Coordenação Motora: 3
Vigor: 4
Oratória: 1
Fé: -





Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Jon Rivers em Ter Jul 04, 2017 3:19 pm



Ficha de Personagem

Nome on: Jon Rivers
Nome off: Gustavo Willian
Email: gustavo.tischer33@gmail.com
Sangue: Bastardo
Região Pertencente: Terras Fluviais
Cargo: Castelão de Darry

Características do Personagem: Jon é um homem de aparência madura e cabelos grisalhos. Detém marcas de expressão no rosto e um cabelo grisalho curto junto de uma barba por fazer. Seus olhos são azuis, sua pele levemente pálida e seus lábios vermelhos. Possui um físico trabalhado devido a esgrima e prática da metalurgia, que trabalha desde seus anos de mocidade. Tende-se a vestir de roupas simples e escuras que favoreçam a seu anonimato. Prefere não utilizar armaduras ou cotas de malhas para evitar pesos extras e se tornar mais leves e silencioso.

Mentalmente Jon é um honrado e animado, busca sempre ser amigável e compreensivo para com todos todavia o mesmo não é um velho tolo e bonzinho, sabe ser duro e calmo quanto se necessita. É um devoto fervoroso da fé do Senhor da Harmonia - religião que prega um senhor supremo criador de tudo - e Jon constantemente medita sobre suas doutrinas e faz reflexões para si sobre a mesma e tudo ao seu redor, todavia, não adota uma postura incisiva como seguidores de outra fé, evitando pregações. É proativo e um bom líder. Inteligente e pragmático. Não é tolo e sempre procura distância de pessoas maniqueístas, sempre vigiando seus passos na medida do possível para não ser pego ou envolvido em intrigas. Não ingere álcool e não come carne vermelha.

História do Personagem: (Breve resumo da trama que deseja criar para seu personagem)


Jon nasceu como o irmão bastardo do Lorde de Barreira de Pedra, ou seja, este é um bastardo Bracken. Apesar de ser um bastardo nunca sofreu exageradamente com sua condição de nascimento, sendo criado nas terras da família, mas não dentro da família. O homem sempre acompanhou a rotina da família de perto e sempre teve o desejo de construir algo para si e não ter que depender da boa vontade de seu pai nobre, e assim, decidiu começar tal caminho ao se tornar aprendiz de ferreiro do mestre armeiro de Barreira de Pedra.

Com os anos o bastardo desenvolveu suas habilidades em manejar couro, madeira, ferro, bronze e aço, todavia, produzia armas simples que visava o bom desempenho e não a pompa. Com a habilidade metalúrgica não demorou muito para partir com sua sorte e passou a trabalhar em Septo de Pedra como um ferreiro. Conseguindo um salário suficiente para sobreviver, Jon Rivers passou a trabalhar mais arduamente afim de poupar algum dinheiro e partir para a Baía dos Caranguejos e servir em Lagoa da Donzela como armeiro e negociar seus produtos com mercadores que usavam o local para comerciar.

Desenvolvendo suas habilidades e aspirando a ser um comerciante passou a ganhar uma maior soma de dinheiro até voltar para seu pai e logo após viajar para Essos procurando se aperfeiçoar e enriquecer em Braavos. Apesar de sua ousadia, carisma, entusiasmo e habilidade com um martelo e uma bigorna, infelizmente, seu destino foi alterado ao ser atacado por piratas e naufragar na costa de  Ândalos. Jon sobreviveu ao lutar pela sua vida com uma das espadas que havia fabricado.

Após seu incidente e naufrágio partiu para Pentos e em seguida para Qohor, afim de desenvolver sua habilidade de ferraria e onde acabou por ingressar na companhia mercenária chamada Soprados pelo Vento onde lutou nos Degraus, nas Terras Disputadas e perto da Baía dos Escravos. Durante seu tempo em Essos, comunicou-se com sua família nobre de Barreira de Pedra dizendo que estava aperfeiçoando suas habilidades como ferreiro. Aprendeu o Alto Valiriano com seus companheiros de armas e teve contato com muitos povos de Essos incluindo com uma escrava originária de Naath com quem aprendeu sobre o Deus da Harmonia. Jon apaixonou-se pela mulher mas com a movimentação da companhia teve de largá-la a própria sorte.

Após anos em Essos atuando como mercenário e ferreiro para a companhia Soprados pelo Vento, Jon Rivers decidiu ir para Lys com alguns companheiros após juntar uma quantia moderada de dinheiro. Na antiga colônia, reuniu comerciantes que aspiravam a riqueza e juntos passaram a pagar para utilizar uma antiga propriedade de Lys e estabeleceram-se, comerciando de tudo, todavia, Jon mantinha-se trabalhando com metais para seu sustento e ocasionalmente fazendo serviços mercenários pequenos.

A idade lhe cobrava o peso e após ter passado quinze anos em Essos mandando notícias para seus meio-irmãos, decidiu retornar para Westeros após seus colegas e ele serem expulsos da propriedade alugada em Lys.

Após desembarcar na Baía dos Caranguejos, comprou uma pequena barcaça e passou a navegar pelo Tridente transportando pessoas e mercadorias em troca de dinheiro, o que provou-se ser um investimento que lhe rendeu dinheiro para se manter por anos enquanto visitava corriqueiramente Barreira de Pedra para conviver com seus meio-irmãos e seu sobrinho, o jovem Matiah Bracken.

Lutou em Westeros ocasionalmente mas sua vida mudou quando conheceu Esmond Frey que o convidou para ser castelão de Darry. Jon atualmente utiliza sua experiência acumulada ao longo de toda sua vida para atuar como castelão de Lorde Frey da melhor maneira possível, equilibrando-se e evitando joguetes.

Adendos: Conheceu Lorde Rodrik Mallister em sua juventudade. Conhece Matiah Bracken e Esmond Frey. Viajou por Essos e aprendeu ferraria, luta e afiou seu intelecto e percepção. Aprendeu a ler em Barreira de Pedra mas suas habilidades se aguçaram quando se tornou um andarilho. Gosta de uma boa conversa e reflexão. Tem preço pela luta mas evita lutas desnecessárias e sem causa real. É bem respeitador.

Distribua 16 pontos entre os seguintes atributos, de acordo com o seu personagem:
Criatividade: 2
Força: 2
Inteligência: 4
Agilidade: 2
Coordenação Motora: 2
Vigor: 2
Oratória: 1
Fé: 1



Ficha aprovada

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Os Sete Reinos

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 7 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum