A Estrada do Rei

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Estrada do Rei

Mensagem por O Corvo em Qua Mar 08, 2017 11:22 pm



Parte Norte da Estrada do Rei


Esta parte da Estrada do Rei cruza o Gargalo até o seu ponto norte em Fosso Cailin. Depois de Fosso Cailin, a estrada do rei continua a norte através das Terras Acidentadas, a sudeste da Mata de Lobos, e um afluente do Faca Branca que vem de Winterfell, cruza também por Castelo Cerwyn, sede da Casa Cerwyn, até chegar em Winterfell, sede da Casa Stark. A partir deste ponto a estrada diminui sua dimensão, não passando de um caminho pouco viajado, que possui apenas algumas fazendas esparsas, incluindo Vila Toupeira, até Castelo Negro, na Muralha.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Estrada do Rei

Mensagem por Gendrick Karstark em Qua Ago 16, 2017 10:48 am



A graça de estar instalado no Forte do Pavor era que a proximidade com as suas casas ancestrais eram bem nítidas. Localizado praticamente entre Winterfell e Karhold, do sangue que congelava dentro das veias dos primeiros homens. Os lobos definitivamente reunidos. Era impressionante, mesmo para Gendrick que não era um homem do Norte de nascimento, mas sim de criação, sentia-se pertencente e impressionado. Seus negócios que seriam tratados na casa ancestral dos lobos do norte era algo relacionado justamente a sua origem. Ficou sabendo que os homens da Patrulha da Noite na ocasião estavam levando os desertores para servir entre as fileiras da muralha e que o homem que revelou sobre sua verdadeira história no momento fúnebre do antigo lorde Karstark estaria entre um dos eles. Logo que soube pediu a Siegfried que pudesse levar os prisioneiros que quisessem se juntar aos irmãos, para Winterfell e como era mais um favor que não esperava, ele aceitou.  


------xx-----


Não teve uma manhã muito sossegada naquele dia. Levantou cedo, começando suas atribuições. Caminhando pelo castelo fantasmagórico ele se encontrou com Rickard, o velho e inseparável companheiro do lorde. Ambos se aproximaram cumprimentando somente com um aceno de cabeça e seguindo junto o caminho para o pátio. O mais experiente foi o primeiro a irromper o silêncio entre eles.  – Não esperamos uma vida fácil hoje não é mesmo milorde? – Disse o homem coçando a barba em desdém a  situação em que o jovem havia colocado ambos e que não parecia ter gostado nada. O próprio uso do “milorde”, terminologia que o Karstark havia em mais de uma oportunidade dito que não era necessário o uso, acabava por indicar a situação, coisa que ele não ligou muito, pois era costume ouvir de suas falas algo do tipo ou ele estar sempre com o mesmo humor. – Primeiramente bom dia, meu velho e não ganhamos para ficar parados não é mesmo? – Respondeu o comentário ácido do velho com outro de igual valor, assim se mantinham empatados, enquanto no momento, colocavam os primeiros pés para fora. Diferente da maioria dos castelos do Norte, o Forte não era tão frio e mesmo Gendrick ou os outros soldados não precisavam usar roupas muito pesadas além das de couro convencionais. Ele, no entanto, havia colocado para o dia uma pele de urso, junto de sua habitual armadura preta de couro com um sol branco talhado no peitoral. Os dois homens se integraram no grupo que esperava no pátio.

A trupe de mal encarados se organizava no pátio, cada um do lado do outro em linha reta transversal, enquanto eram vigiados pelos guardas. Quem falou Rickard. .  – Muito bem seus bastardos, hoje vocês vão seguir para um lugar que vocês não merecem então andem logo com essas suas bundas sujas! – Ele dizia para a Muralha e não para Winterfell. Era uma rixa que ele mesmo tinha com os reis do Norte. Foram então que ele deu o espaço para Gendrick que já estava em seu cavalo, pois ele mesmo conduziria os sujeitos. – Vamos seus bastardos, vocês ouviram o homem, não temos o dia todo. – A comitiva com doze soldados, incluindo Gendrick e quatro prisioneiros que entraram numa carroça fechada, tomou seu rumo.


------xx-----


A carroça trancada havia sido uma ideia de Gendrick que conseguiu trazê-la de sua casa em Karhold. Eles não precisavam agora esperar tanto tempo para chegar, ideia que inicialmente havia sido recusada por Rickard. A viagem estava bem pacata e eles encontraram nada mais do que pequenas vilas pelo caminho. Foi ao dobrar uma das fazendas que a comitiva encontrou outra. Os homens não acreditavam quando viram que os estandartes eram do Sul e logo ficaram curiosos. Gendrick os fez se acalmar e acelerou o trote do cavalo em direção a eles. Passou um dois e três dos uniformes vermelhos e verdes pelas bordas. Até ancorar o que poderia chamar de centro da comitiva. – O que uma comitiva do Sul faz tão longe de casa? – Perguntou sem formalidades e surpreendeu que ao virar o rosto, uma jovem loira o espreitava.


Turno com Rowena Tarly
MOONLIGHT
there might be a million roses in the world, but you're only, because you're my rose

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Estrada do Rei

Mensagem por Rowena Morrigen em Sex Ago 18, 2017 11:27 pm


Um Estranho?

Depois de meu irmão finalmente ter voltado a Monte Chifre eu de fato agora estava muito feliz, tínhamos passados várias noites conversando. O mesmo ficava me contando das aventuras que havia presenciado longe de nossa casa, e eu lhe contava do quanto havia sido difícil a morte de nosso querido pai. Eu pedia aos Sete que tudo se ajeitasse agora, e que eu e meu irmão enfim conseguimos voltar a ser felizes.

Após muitas conversas com Ashton finalmente consegui convencer meu irmão, a permitir que eu viajasse por Westeros para conhecer todos os locais. Desde quando eu era pequena e minha mãe me ensinava a costurar eu tinha o sonho de conhecer todos os lugares do mundo, e agora depois do terrível acontecimento com meu pai eu iria ter esse sonho realizado.

Minha comitiva tinha, mais homens do que o necessário, já que meu irmão colocou essa regra para permitir segundo ele, o desenrolar dessa minha loucura. No momento estávamos passando pelo Norte, na conhecida e famosa Estrada do Rei. A mesma cruzava o Gargalo até o ponto norte em Fosso Cailin, depois disso minha comitiva iria para as Terras da Tempestade, eu estava muito curiosa para visitar as fortalezas de alguns amigos da casa Tarly.

Eu estava escovando meus cabelos enquanto olhava em um pequeno espelho que minha criada segurava, quando de repente minha carroça parou inesperadamente. Abri a pequena janela com raiva para ver o que havia acontecido “ – Cuidado m’lady pode ser ataque de alguns mercenários, ou homens maldosos dos bosques... “ nem me importei com seu comentário, sempre fui corajosa e não tinha medo como as outras mulheres. Além do fato que os Tarly não haviam muito inimigos nos tempos atuais, então sorri e virei para Mircelle “ – Não seja tola, se fosse inimigos ou algo do tipo já estaríamos mortas... “ me animei vendo sua cara de espanto, em seguida coloquei meu rosto para fora da janela e me deparei com a figura de um estranho homem.

Estava montado em um cavalo, era um tanto quanto magro, tinha barba e demostrava ser corajoso, depois de ficar observando os estandartes da minha casa, começou a dirigir a palavra com o homem que conduzia minha carroça “ – O que uma comitiva do Sul faz tão longe de casa? “ Sua voz ecoou grossa e com um ar de desdém, antes mesmo que o covarde condutor respondesse me adiantei e respondi rapidamente “ – Boa tarde cavaleiro curioso, primeiramente devemos ser educados... enfim estou fazendo algumas viagens para resolver algumas coisas de minha casa, mas isso não vem ao caso... e você quem è ? Pretende nos matar, ou nos roubar ? “ Embora aquele homem com certeza não fosse fazer tais coisas, decidi provoca-lo, eu sempre esperava educação de todos que fossem se dirigir a minha palavra.

Ajeitei meus cabelos colocando sobre meus ombros do lado direito, sorri e voltei a falar “ – Muito prazer sou Rowena Tarly irmã do atual lorde de minha casa... “ tentei tratar o estranho bem, já que minha criada já estava tremendo toda no banco em minha frente.


Primeiros em Batalha
Thanks Maddoll @ TPO

_________________

Rowena Aalis Tarly Morrigen

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Estrada do Rei

Mensagem por Gendrick Karstark em Sab Ago 19, 2017 7:08 pm



Era verdade que Gendrick estava tanto tempo no Forte do Pavor que só sabia falar com malfeitores, nos moldes dos piores do Norte. Mesmo assim nenhum homem da região gostava das casas ao Sul. Ele não era nenhum estudioso, era um guerreiro o que era palpável era aquilo que conseguia dominar, só aos deuses antigos era permitido o inatingível. Então, somado a sua criação como Karstark, foi muito difícil creditar mesmo aquela cometida equipada a sobrevivência dentro dos territórios do Norte. Fora o quanto suspeito isto poderia parecer. Até o momento dava a eles o benefício da dúvida que era o que a educação que sua mãe lhe deu lhe instruir a fazer naquele momento. Afinal, quando os dois hemisférios se encontravam eram certas as chances de tudo dar errado.

O condutor da carroça guarnecida pelos soldados parecia muito suspeito, ele estava suando frio, quando o homem havia feito apenas uma pergunta e se perguntava por que motivos eles deixaram ele chegar tão próximo já que era seu dever protege-la. A moça brotou da janela do móvel. Ela tinha cabelos loiros ondulados e bem caídos por cima do ombro. Todos os traços finos, nariz, boca, olhos doces, parecia que jamais havia tocado o sol, jamais haviam pegado uma arma em mãos. A pele tão lisa que parecia feito de pedra lisa e alva. Era o total oposto das mulheres Mormont.  Ou melhor, quase completo, por que logo começou a discursar, assumindo uma coragem que faltava na maioria dos homens que a servia. Coragem o suficiente para desafia-lo. Adiantou-se a deixar o cavalo diminuir o compasso da cavalgada, deixando seus rostos bem rentes uns ao outro. Sua sombrancelha direita ganhou vida sozinha enquanto ouviu a moça lhe desafiar completamente aberto e seus soldados bem atrás deu algumas risadas bem longe. – Pelo menos agora sei quem... Está no comando aqui. – Disse devagar bem dramático, olhando para o homem que conduzia os soldados e outros que estavam próximos. Pigarreou. – Nem um pouco senhora, nós não temos interesse em vossas posses, nem em selar sua vida. Mas carregamos homens que sem dúvidas teriam muito interesse... – Olhou para trás, sabendo que nenhum dos soldados comentava mais nada. Seu orgulho havia sido ferido quando ela insinuou que ele fosse ladrão, mas não tinha muita certeza dos próprios soldados do Forte, num dia ruim... Voltou-se para falar, agora de perfil, continuando com o seu jeito direto. – Meu nome é Gendrick, sou irmão da senhora de Karhold. – Era difícil para ele assumir aquilo, sabendo que a verdade era outra. Mesmo a armadura de couro que carregava, toda negra com o símbolo da casa no peito, parecia estranha naquele momento. –  Estamos indo para Winterfell, suas viagens cobrem o lar dos Lobos do Norte? – Quando perguntou encarou ela, ainda tinha que se relembrar o por que real da viagem e permitindo-se ficar de olho naquela comitiva ao mesmo tempo. Sabia que dentro daquela móvel ela não estava sozinha, pois ouviu expressões confusas vindas de dentro.
MOONLIGHT
there might be a million roses in the world, but you're only, because you're my rose

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Estrada do Rei

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum