Porto

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Porto

Mensagem por Senhora das Lanças em Dom Jun 04, 2017 2:58 pm



Porto

A área portuária de Ponta Tempestade esta entre as maiores do reino, recebendo cerca de duas dezenas de navios por dia. O local cresceu muito com o tempo e com os investimentos da família governante. Tornou-se também um mercado respeitável e um dos principais parceiros comerciais de Dorne e das Cidades Livre

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Ter Jun 27, 2017 2:41 pm


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
Enfim chegara o grande dia: finalmente conheceria a mulher com quem foderia, após me embriagar, pelo resto de minha desprezível vida. Vesti-me com uma armadura tradicional da guarda Baratheon, apenas com o detalhe de usar um elmo mais elaborado, reservado aos comandantes. Selei meu cavalo e então parti com a comitiva para o porto.

O cais estava completamente enfeitado em amarelo e preto, as cores de ambas as casas. O veado Baratheon e o kraken Greyjoy tremulavam nas bandeiras. Já conseguia ver o navio ao longe. Pedi então minha luneta, que me permitiu identificar um barco menor, de desembarque, que para minha surpresa trazia uma figura velha conhecida minha entre as pessoas embarcadas. Meu coração disparara, era a garota de anos atrás no torneio de Porto Real, Freya, infelizmente muito provavelmente ela estava vindo me trazer minha esposa, que deveria ser uma das outras duas garotas no barco, Suspirei e coloquei-me em posição, ao lado do meistre e do castelão de Ponta Tempestade, que haviam sido designados para me acompanhar. Assim que desembarcaram, aguardei os dois irem conversar com o chefe da comitiva Greyjoy e me aproveitei para me aproximar de Freya.

- Ora, ora, incrível como o mundo dá voltas, achei que nunca mais fosse vê-la, senhorita...

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Freya Greyjoy em Qua Jun 28, 2017 12:30 am

Nós não Semeamos


A viagem das ilhas até o porto de ponta tempestade fora uma viagem calma e silenciosa, Freya se mantinha trancada em seus aposentos quase o caminho todo, colada a janela observando aquela imensidão, se aquele tal Baratheon não fosse um cara decente poderia nunca mais poder desvendar os mistérios de seu melhor amigo, o oceano. Com isso a menina suspirava sabia que estava botando a culpa no rapaz sem nem conhecê-lo. Ouvia as batidas na porta e não respondia, com isso ouvia as vozes de suas acompanhantes

- Freya, estamos chegando.

- Nos trouxemos seu vestido, deixe-nos ajudar a senhorita a se arrumar.

Freya se levantava e caminhava até a porta sem dizer uma palavra, as meninas podiam apenas ouvir o salto da bota fazendo barulho ao tocar o chão e se aproximando, eram passos pesados que chegavam a dar calafrio nas garotas, assim a Lady abria a porta e com toda sua graça dizia

- Vão para o inferno que vocês acreditarem!

Assim continuava seu caminho saindo do quarto e batendo a porta com força, passando pelas meninas e indo para a proa da embarcação e observando o continente, assim caminhava até o lado de um de seus conhecidos que estava no leme e ria com o canto do lábio

- É estranho pensar que provavelmente ficarei longe disso de hoje em diante, o que você acha de fazermos uma manobra?

Mas o rapaz olhava para Freya e balançava o rosto negativamente, assim a menina se apoiava em uma das grades de madeira ao lado do leme e dizia

- Eu sei... Vamos logo então e acabe com essa despedida que mais parece uma tortura!

Assim o barco se aproximava do local e iam para o bote, Freya aproveitava assim para deixar a mão tocar a água e fechar os olhos sentindo a brisa que batia em seu rosto, isso a acalmava. Porem essa calmaria era interrompida com a voz de um dos tripulantes dizendo que já estavam próximos, fazendo Freya abrir os olhos e ao pararem se levantar. Um dos rapazes ofereceu ajuda para a Lady sair do bote, mas essa apenas o olhou feio e saltou para fora do mesmo, levando as duas mãos a cintura e observando o lugar. Nesse momento seus olhos trombaram um uma figura conhecida, que fez o coração da garota disparar e seu pensamento apenas passar por um "Isso que é uma tortura bem feita", um suspiro foi dado pela menina, mas logo um sorriso tomou conta de seus lábios com o comentário do rapaz

- Nem sempre o que a maré leva ela não devolve, mas confesso que de todas as pessoas que pensei que poderia encontrar nesta viagem a única que não me veio a mente foi o Sor.

Assim a menina olhou para os lados e para o rapaz em seguida, vendo que ninguém naquele momento prestava atenção na conversa dos dois Freya, aproximava o rosto do ouvido do rapaz e sussurrava

- Você sabe para onde temos que ir,certo? o que acha de fugirmos dessa bagunça? Creio que ninguém daria falta de nós dois nesse momento.

Em seguida dava uma leve mordidinha na orelha do rapaz de forma discreta a olhares alheios, afinal sabia que estava prometida para algum engomadinho por ai que não teve a decência nem de aparecer no porto para busca-la, mas não estava casada ainda, então porque não ter um ultimo momento de diversão antes do destino que a esperava?




_________________
O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Qua Jun 28, 2017 2:36 am


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
A proposta era tentadora, não fazia ideia de qual daquelas garotas eu foderia essa noite, porém tinha um desejo escondido por uma delas, e não era nenhuma das que estava a fofocar, era a que me provocava no momento.

- Olha, Freya, estou a esperar alguém que veio nesse navio, mas não sei exatamente quem é. Acho que esses velhos aí ainda vão demorar muito, tenho certeza que vamos ter bastante tempo para dar uma volta pelo cais do porto e colocar a conversa em dias...

Olhei para os guardas que me olhavam meio atônitos, fazendo sinal de silêncio para eles, que não dissessem nada e não me denunciassem. Peguei a jovem pela mão e a conduzi-a pelo lugar, andando sobre os estrados de madeira, tentando evitar olhar nos olhos acinzentados pois não queria me perder e acabar fazendo alguma cagada que comprometesse a aliança entre Baratheon e Greyjoy.

- Então, como tem passado a vida desde aquele nosso fatídico encontro em Porto Real?

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Freya Greyjoy em Qua Jun 28, 2017 2:09 pm

Nós não Semeamos


- Está esperando alguém que você não sabe quem é? ria - Acho que nunca vai achar esse alguém então...

pensou em perguntar quem o rapaz procurava, afinal conhecia cada marujo que estava em sua embarcação, mas se fizesse isso perderia a oportunidade de ter um momento a sós com o rapaz então não disse mais nada a respeito do assunto e apenas respondeu

- Claro vamos!

Com isso Freya sorria segurando firme a mão do rapaz e saindo com ele do local o deixando conduzi-la para onde quisesse, afinal não tinha medo que ele tivesse segundas intenções pois a morena já estava cheia delas. Assim o ouvia falar e respondia sem demora com os olhos brilhantes

- Divertida como sempre, navegando pelo mar, desvendando novos lugares, deixando com que meus marinheiros se divertissem vivendo como todo nascido do ferro deve viver. Suspirava ao terminar de falar - Mas temo que isso tenha acabado para mim... Mas vamos deixar esse assunto para outra hora, afinal temos pouco tempo

Ao finalizar sua fala a mulher olhava ao redor, vendo que estavam longe o suficiente para não serem vistos pelos demais , Freya se punha a frente de Steffan e se aproveitando de que ele iria dizer algo, colava rapidamente os lábios de ambos, já colocando sua língua dentre os lábios do rapaz que tanto sentira falta, para beija-lo de forma intensa deixando transparecer parte da saudade que sentia do rapaz, queria aproveitar aquele momento já que provavelmente em poucas horas estaria presa a um babaca qualquer com titulo de nobreza.



_________________
O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Qua Jun 28, 2017 2:29 pm


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
A conversa estava indo bem, quando ela comentou sobre a pessoa a qual esperava, apenas sussurrei que estava deixando que aqueles velhos cuidassem disso. A conversa estava indo bem, até que inesperadamente fui beijado. Foi um misto de sensações que nunca havia experimentado antes. Medo de ser descoberto, receio por estar traindo minha esposa desconhecida, porém o desejo que eu sentia por aquela mulher. Retribuí um pouco, porém interrompendo antes da hora, ficando de cabeça baixa e me afastando um pouco...

- Freya, me desculpe. Não posso... Sei que deve perceber o desejo que sinto por ti desde aquele nosso encontro anos atrás, mas lembra-te que comentei que estava a esperar alguém do navio? Pois, estou a esperar a irmã de Lord Dickon Greyjoy, que esta prometida para ser minha futura esposa...

Afastei-me um pouco, com isso tentando evitar olha-la. Havia aguardado por aquele beijo por anos e mais anos, quando ele finalmente veio, eu não poderia desfrutá-lo sem pensar estar traindo a tal lady a quem estava prometido. Sentei-me em uma pedra dali de perto, escondendo o rosto tentando não chorar de frustração. Sim, minha vida toda cheia das ironias...

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Freya Greyjoy em Qui Jun 29, 2017 12:42 am

Nós não Semeamos


Finalmente sentira o rapaz retribuir seu beijo, mesmo que por pouco tempo, tentou não deixar ele se afastar mas foi pega de surpresa,  queria mais daqueles lábios viciantes tocando os seus queria mais daquele rapaz até que o ouviu começar a falar, ficava boquiaberta ao ouvir aquelas palavras, "então aquele a sua frente era o tal Sor que fora prometida? aquele homem ali a sua frente era seu futuro marido?" Seu olhar se voltava para o mar e aproveitando que o rapaz a sua frente não a olhava se deixava sorrir pensando "Você nunca me deixa na mão né", acreditava no Deus afogado e depositava suas fichas quase sempre nele, e fizera isso mais uma vez quando tocava ao mar quando se aproximava, pedia para que não tivesse que se casar com um babaca ou se tivesse que ser com algum dos engomadinhos que ele morresse logo. Nesse momento freya apagou o sorriso de seus lábios, era de cortar o coração ver o rapaz que amava assim, mas ao mesmo tempo achava divertido o como ele não tinha a menor ideia de que falava com sua futura esposa, então decidiu ver o quanto tempo ele demoraria para perceber o que acontecia, chegava a apostar que nunca até que alguém contasse a ele, pois se ele não tivesse falado ela nunca saberia. Com isso em mente se aproximou da pedra em que ele estava sentado e se abaixou a frente do rapaz tomando suas mãos enquanto dizia em um tom que não desse para ele decifrar o que a garota sentia no momento

- Ah, então você é o Sor da Lady Greyjoy? eu realmente não sabia disso, sim também me deixei levar pelo que eu sinto, perdoe-me Sor. Assim entrelaçava os dedos aos do futuro marido e olhava para ambas as mãos juntas enquanto voltava a falar - Vem vamos voltar ao cais, afinal seus guardas devem estar loucos atrás de você e você deve estar curioso para conhecer sua lady não?

Assim levava a canhota ao rosto do rapaz e tocava de forma suave descendo o dedo para baixo do queixo do rapaz, para assim lentamente erguer o rosto dele e deixa-lo frente a frente com o dela, dando um sorrisinho e dizendo

- Mas creio que antes, Sor deve melhorar esse animo, afinal está indo conhecer sua lady e não a um funeral, ela definitivamente não iria gostar de vê-lo assim

Puxou a mão do rapaz para que ele se levantasse e desta vez a Lady se pois a guiar o rapaz de volta para o cais, ficando a maior parte do tempo em silencio, afinal não queria mostrar o quão eufórica estava, queria rir, queria toma-lo para si, ao mesmo tempo que queria ver a cara que ele faria ao descobrir que acabara de recusar um beijo de sua futura esposa.






_________________
O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Qui Jun 29, 2017 12:58 am


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
"Ah, então você é o Sor da Lady Greyjoy?" Aquela pergunta começou a ecoar na cabeça, a presença daquela mulher me fazia duvidar se realmente eu deveria honrar aquela porra de acordo entre a porra das famílias. Aproveitando-se do momento, assim que ela me levantou, deixei meu olhar um pouco perdido na imensidão do mar, antes de ser trazido de volta a realidade quando voltávamos a caminhar...

- Então, Freya, diga-me o que você sabe da Lady Greyjoy que veio nesse navio... - disse um pouco receoso, porém acabei pensando em voz alta - Caralho, tomara que ela seja tão bonita quanto a Freya, se não for, capaz de eu cagar pra essa porra de acordo e sumir no mundo...

Corei um pouco ao perceber que falara aquilo em voz alta, sim, aqueles olhos acinzentados estavam me deixando cada minuto mais confuso. Tomara que aqueles malditos velhos não me decepcionem...

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Freya Greyjoy em Qui Jun 29, 2017 1:34 am

Nós não Semeamos


Caminhava com o rapaz silenciosa até ter sua atenção roubada pela voz dele, respirou fundo para responder, não queria contar ainda o que havia descoberto. Porem ouvia o que ele pensava em voz alta antes que pudesse responder, assim se virava de frente para o rapaz, aproximando seu corpo ao dele, sem se importar de já estarem próximos ao cais e assim olhava nos olhos do rapaz e deixava seu rosto se aproximar do dele até tocar a pontinha de seu nariz com o dele, neste momento desviava o trajeto aproximando o rosto do ouvido dele e sussurrando enquanto levava as mãos as dele

- Calma Steffan, quer dizer Sor. Steffan, pelo que ouvi pela embarcação esse acordo é importante para a família Greyjoy e para a sua também, mas eu posso lhe garantir uma coisa, mesmo após o acordo firmado Levava assim as mãos do garoto até o bumbum dela o fazendo aperta-lo - Eu estarei a sua disposição

Assim ainda guiando as mãos dele deixava que elas subissem por seu corpo até próximos de seus seios enquanto dava uma leve mordidinha na orelha do rapaz, se afastando em seguida e piscando para ele. Não podia negar que aquele desejo repreendido não massageava seu ego, era algo excitante de se ver, então soltou as mãos do rapaz e deu mais alguns passos para trás.

- Não vou lhe dizer nada sobre a Lady Greyjoy a não ser, que eu garanto que não vai se arrepender!

Virava então no próprio eixo ficando de costas para o rapaz, nesse momento jogava os cabelos para o lado de seu ombro direito e voltava o rosto para ele

- Então vamos, não quero tomar o tempo de alguém tão importante como o Sor.

Começou a caminhar novamente, com passos bem marcados que faziam seu quadril balançar enquanto caminhava, moveu a cabeça então deixando com que seus cabelos escapassem de seus ombros e corressem para suas costas novamente, podia sentir o olhar do rapaz como se tocasse seu corpo e isso era delicioso.






_________________
O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Qui Jun 29, 2017 11:04 am


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
"Sor, Sor, Sor..." Aquela palavra me lembrava das minhas obrigações, da porra da minha família e da porra da minha decepção.

- Que se foda, pros sete infernos com essa porra de Sor. Se continuar me chamando assim, te mando pros sete infernos junto com essa porra de título... - Sorri um pouco com o mistério que Freya fazia. - Agora só falta me dizer que você é a porra da minha esposa e não quer me contar... Se aqueles velhos me pregarem essa peça... Mas então, diga-me alguma coisa sobre ela, esses morcegos velhos sempre desviavam quando eu perguntava sobre ela... - Fiquei extremamente corado com a proximidade que ficamos em seguida com seus cabelos sendo jogados em meu rosto, o cheiro de oceano que exalava das madeixas da jovem, me tentava, muito. Retornamos ao porto, foi quase como se não tivéssemos saído de lá. Coloquei-me de volta onde deveria ficar, bem no momento que os morcegos velhos terminavam sua conversa...

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Freya Greyjoy em Qui Jun 29, 2017 4:36 pm

Nós não Semeamos

Freya observava as reações do rapaz de forma atenciosa e ria com a resposta dele, finalmente tinha encontrado alguém interessante e era divertido jogar com ele, assim como o prometido levava o indicador ao lábio e fazia shhh, estavam perto o suficiente do porto para que se ele gritasse chamasse a atenção de guardas, assim novamente piscou para o rapaz e disse

- Já disse que não vai se arrepender Sor Steffan Baratheon e talvez esses morcegos velhos soubessem disso, mas fico me perguntando.... E se eu for a "porra da sua esposa e não quero te contar", vai fazer o que com isso?

Após falar riu e saiu caminhando sem esperar pela resposta do jovem que parecia confuso ao mesmo tempo que parecia se aproximar da verdade,para o porto, enquanto levava uma das mãos a cintura. Chegando ao destino Freya continuou a caminhar indo em direção as meninas que vieram a acompanhando, com isso tomou a mala da mão de uma delas, atraindo os olhares dos que conversavam, apenas lançou um olhar para os seus companheiros que logo voltaram aos seus deveres e com isso caminhou na direção do Baratheon, o Meistre apressado se aproximou e quando respirou fundo para dizer algo foi interrompido por Freya

- Obrigada, mas creio que nem eu nem o Sor Baratheon precisamos desse tipo de apresentação, o que eu preciso nesse momento é de um bom prato de comida e algumas horas para conversar e conhecer melhor meu futuro marido. Assim mordia o cantinho do lábio inferior se aproximando de Steffan e sussurrando ao seu lado - Eu disse que sua lady não iria lhe decepcionar. Com isso levava a mão ao queixo do rapaz virando seu rosto para o dela falando para só ele ouvir -Você fica uma graça com essa cara de bobo, agora vamos logo que eu ainda quero fazer muita coisa hoje

Assim Freya continuou seu caminho observando onde deveria ir para ser levada para o seu novo castelo quando o meistre se aproximou do rapaz e se desculpou pela menina, dizendo que não falavam muito dela porque talvez suas histórias não fossem das mais interessantes ao rapaz afinal ela era uma Greyjoy.


_________________
O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Porto

Mensagem por Steffan Baratheon em Sex Jul 07, 2017 7:02 pm


Et glorificaveris eum dum non vis. Volo enim vos regnum iubes mihi donec manducem, et bibam bum ad mortem!.
O que está morto não pode morrer
Já começava a me irritar com essa brincadeira de mau gosto. Todos sabiam quem era a porra da mulher que ia me colocar uma coleira e ninguém me dizia. Deviam estar se divertindo às minhas custas.

- O que é teu estará guardado se fizeres tal brincadeira de mau gosto comigo, milady. Que os sete infernos carreguem esses diabos velhos... - resmunguei antes de retornarmos para onde estávamos. Meu susto maior foi com a atitude da jovem que foi em direção as garotas, pegou as malas, lançou um olhar para que os demais continuassem seus afazeres e chegou perto de mim e do meu meistre que ia dizer algo quando foi interrompido por ela. Suas palavras que seguiram me deixaram bobo e boquiaberto. Meus guardas e o castelão a escoltaram para o castelo enquanto eu fui deixado com a comitiva Greyjoy, o meistre, que veio se desculpar comigo pela falta de comentários sobre ela por inúmeros motivos - CALE-SE SEU MORCEGO VELHO, DESCULPAS O CARALHO, QUE SE FODA ESSAS DESCULPINHAS SUAS. - Berrei com o velho e perguntei pelo capitão da comitiva Greyjoy. Ao ser apresentado ao primeiro imediato, dei-lhe as instruções devidas, explicando-lhe sobre as acomodações que teriam para descansar até a viagem de volta, indiquei-lhes os puteiros mais bem frequentados da vila próxima, comentei que servos estavam vindo ajudar no carregamento das coisas e quando a carroça das damas chegou, montei em meu cavalo e acompanhei-as, que iriam na carroça junto com o meistre...

_________________
.                O que está morto não pode morrer                       .

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum